Viagem de moto até o Alaska

Relato de uma grande viagem solo de moto de Campinas (SP) até Prudhoe Bay no Alaska, percorrendo 44 mil kms, 15 países durante 97 dias.

Após 3 grandes viagens internacionais pela América do Sul, sendo a última até Ushuaia, em 2017, chegou a hora de unir os 2 pontos mais distantes do continente Americano e rodar de moto de Campinas até o Alaska, mais precisamente Prudhoe Bay.

Foram aproximadamente 1,5 ano de planejamento englobando: documentação para a moto e piloto em cada país, estradas, pontos turísticos, postos de gasolina, hospedagens, equipamentos e acessórios para a moto e piloto.

Esta foi a quarta grande viagem internacional de moto que eu fiz. As anteriores foram: Expedição Atacama em 2013 (Brasil, Argentina e Chile - 22 dias, 9000 km), Expedição Inca 2015 (Brasil, Bolívia e Peru - 24 dias – 9000 km), Expedição Ushuaia 2017 (Brasil, Uruguai, Argentina e Chile - 29 dias e 14.000 km).

De tudo que vi e vivi, países que passei, lugares que conheci, momentos bons e ruins, o contato com outras culturas, a culinária, o mais marcante para mim foi o contato com as pessoas, novos amigos e o autoconhecimento. Fazer novos amigos em cada canto das Américas tornou a viagem ainda mais rica/especial.

Viagem de moto Alaska

Durante uma jornada longa e solitária como essa nos tornamos mais fortes e ao mesmo tempo mais sensíveis, pois temos que lidar com as dificuldades do dia-dia, como os trechos de estradas mais difíceis, o transito, o frio, o calor, a busca diária por gasolina, água, comida, encontrar algum lugar para dormir e ao mesmo tempo os sentimentos e sensações que ficam cada vez mais intensos, a alegria/felicidade, a solidão, realizações, frustações... momentos de solidão.

Apesar de ter feito a viagem solo, acho que não passei nenhum dia sozinho. Conhecia pessoas e fazia novos amigos a cada dia/momento, na estrada, nos postos de gasolina, pontos turísticos ou mesmo por onde dormia, campings, hotéis, albergues, casas de pessoas que conheci pelo caminho e de amigos.

Os países percorridos:

  • América do Sul: Brasil, Peru, Equador e Colômbia e Paraguai (para onde a moto foi despachada desde Miami e onde fui busca-la para chegar rodando até em casa)
  • América Central: Panamá, Costa Rica, Nicarágua, Honduras, El Salvador, Guatemala e Belize
  • América do Norte: México, Estados Unidos (incluindo Alaska) e Canada

Viagem de moto Alaska

Principais pontos turísticos por pais:

  • Peru: Vale Sagrado (Ollantaytambo, Salinas de Maras e Moray, Abra Malaga), Oasis Huacachina, Reserva de Paracas e Lima
  • Equador: Cuenca (cidade), Lago Quilotoa, Banos (Casa na Árvore), Quito e Monumento Metade do Mundo
  • Colômbia: Catedral Las Lajas, Catedral de Sal (mina), Villa de Leyva (cidade colonial espanhola)
  • Panamá: Canal do Panamá, Bocas del Toro (arquipélago no norte do Panamá - Caribe - divisa com a Costa Rica)
  • Costa Rica: Cachoeira La Fortuna e Praia Tamarindo
  • Nicarágua: Ilha Ometepe, Managua (cidade colonial espanhola) e o Vulcao Cerro Negro (sandboard no vulcão)
  • El Salvador: Praias El Tunco e El Sunzal, Lago Coatepeque
  • Guatemala: Antígua (cidade colonial espanhola), Lago Atitlan (passeio de barco e visita aos vilarejos ao redor do lago), Rio Dulce (passeio de barco que sai do continente até o mar do caribe), isla das flores e Tikal (principal sitio arqueológico Maia)
  • México: Todo o estado de Quintana Roo com sua costa do atlântico/Caribe com cidades e praias lindíssimas (Bacalar, Tulum, Playa del Carmen, Cozumel, Cancun e Isla Mujeres) os cenotes, o centro do país - San Cristobal de Las Casas (cidade colonial espanhola), Oaxaca (capital da Mezcal - bebida típica Mexicana e com muita riqueza cultural), Puebla....os sítios arqueológicos de Chichen Itza e Teotioacan e a Baja Califórnia.
  • Estados Unidos: Os parques como Grand Canyon, Vale da Morte, Yosemite, Sequoias, Crater Lake e Yellowstone.
  • Canadá: Alaska Highway, Floresta de Placas, Top of the World Highway, Dawson City, Icefield Parkway (umas das estradas mais bonitas do mundo) e os Parques Jasper e Banff
  • Alaska: Rodar pela Dalton Highway, Prudhoe Bay, Magic Bus do filme Na Natureza Selvagem

Viagem de moto Alaska

Travessias de ferry boats/Balsas

  • Brasil - Rio Madeira (balsa com a moto)
  • Panamá - Para Chegar a Bocas del Toro (barco - a moto ficou no continente)
  • Nicarágua - Para Chegar a Ilha Ometepe (Balsa - com a moto)
  • Guatemala - Para fazer o passeio no lago Atitlan e visitar os vilarejos ao redor do lago (barco - sem a moto - ficou no porto)
  • Passeio da cidade de Rio Dulce até o oceano Atlântico (barco - moto ficou no porto)
  • Canadá - Para chegar à cidade de Dawson City (balsa - com a moto)
  • México - Travessia do Golfo da Califórnia para chegar até a Baixa Califórnia - 17 horas de travessia (com a moto)
  • Barco de Playa Del Carmen para Cozumel (sem a moto)
  • Balsa de Cancun para Isla Mujeres (com a moto)

O único trecho que não foi possível percorrer com a moto foi o Darien Gap entre a Colômbia e o Panamá, o qual fiz de avião (eu e a moto). A escolha do modal aéreo aconteceu por ser mais rápido e seguro, mas a minha vontade era atravessa-lo, algo que pouquíssimas pessoas fizeram até hoje.

Viagem de moto Alaska

Alguns números da Viagem

  • 44.000 km
  • 15 países
  • 97 dias
  • 18 fronteiras
  • 2750 litros de gasolina
  • 7 pneus (4 pneus traseiros e 3 dianteiros)
  • 4 revisões
  • Maior Altitude 4300 m nos Andes Peruano
  • Menor Altitude -85m em Badwater (vale da morte) EUA
  • Maior temperatura 49ºC na Califórnia
  • Menor temperatura – -10ºC no Alaska
  • Quedas - 1 na Costa Rica numa estrada de terra com muita chuva, tentando chegar a um Vulcão, nada demais, estava devagar então foi só levantar a moto e seguir viagem.
  • Dia mais Longo – 1º dia da viagem – Campinas (SP) a Cáceres (MT) – 1700 Km (Que me rendeu mais um certificado de Iron Butt)
  • Países onde menos fiquei - Belize e Honduras - Apenas 1 dia
  • Pais onde fiquei mais tempo – EUA + Alaska - 27 dias, México - 22 dias
  • 12 Noites Acampando (todos no Canadá, Estados Unidos)
  • 3 Noites em casa de amigos (Bogotá, Tijuana e Seattle)
  • Animais avistados na estrada: 17 ursos - (16 pretos e 1 Grizzly - marrom e perigoso), veados, raposas, bisões, alces, lhamas entre outros...

  • Países que mais gostei de rodar: México, Estados Unidos e Canada.
  • Pais que menos gostei: Belize
  • A América Central também foi uma região que gostei bastante - muita cultura, natureza e culinária.
  • Onde me senti mais seguro: Estados Unidos e Canada
  • Onde me senti menos seguro: Nenhum país, mesmo nas fronteiras da América Central e do Sul.
  • Fronteira mais demorada: Costa Rica (estava sem energia) e Nicarágua (1h30 - muita burocracia e muita gente)
  • País mais caro para entrar e rodar com a moto: México (450 dólares para entrar com a moto e recebemos de volta 400 dólares na saída do país)

Em todos os países da América Central a fronteira é um pouco demorada/burocrática - temos que pagar taxas/seguros para entrar e sair dos países tanto pra gente quanto para a moto.

Viagem de moto Alaska

DOCUMENTOS NECESSARIO PARA A VIAGEM

  • Passaporte com vistos do EUA e Canadá
  • Documento da Moto
  • CNH e PID (permissão Internacional para dirigir)
  • Carteira de Vacinação Internacional com a vacina de febre amarela valida
  • Autorização para entrada na Nicarágua (o pais está em um momento político complicado - exige uma autorização previa para entrar e o próprio site do consulado Brasileiro naquele país não aconselha brasileiros viajarem para lá)
  • Seguros obrigatórios para a moto nos países como SOAT no Peru e Colômbia e nos países da América Central que são feitos na entrada do país.

NAO NECESSARIOS, MAS IMPORTANTES

  • Seguro de Viagem/Saúde
  • Seguro da moto para EUA e Canadá

Viagem de moto Alaska

MOMENTOS DE MAIOR PREOCUPACAO/APREENSAO

  1. Nas fronteiras dos países da América Central e do Sul
  2. Atravessando as estradas não pedagiadas no México
  3. Nos 2 protestos, um na Colômbia e outro na Guatemala, que fecharam a Rodovia Pan-americana (Na Colômbia precisei do apoio do Exército para passar e na Guatemala apenas uma boa conversa)
  4. Rodar pelo Vale da Morte com os quase 50 graus (48°C para ser exato). Preocupação se a moto suportaria rodar com esse calor e eu também.
  5. Nos dias que fiquei parado em Fairbanks (Alaska) esperando a chuva parar para ir até Prudhoe Bay passando pela famosa e perigosa Dalton Highway. Todos os motociclistas que encontrei e conversei com me recomendavam não ir até lá devido ao risco da estrada, umas das mais perigosas do mundo e sem suporte. Até os mecânicos da concessionaria falaram que eu não deveria ir, que muitos se acidentam, destroem as motos, inclusive no site da estrada as notícias não eram animadoras e a mesma foi fechada durante meio dia para reparos. A maioria dos motociclistas que vivem por lá ou que passam por ali não vão para Prudhoe Bay, preferem outros destinos. A maioria que vai até Prudhoe Bay são latinos. Os Norte Americanos e Europeus preferem seguir até o Ártico pelo Canadá passando pela estrada Top of the World e pelas cidades Dawson City, Inuvik e Tuktoyaktuk que possuem um pouco mais de estrutura turística e um caminho muito bonito também com muita natureza.
  6. Rodar pela Dalton Highway no Alaska para chegar até Prudhoe Bay são aproximadamente 800 km numa estrada de terra e nos últimos 400 km sem nenhum tipo de suporte ou posto de gasolina.

PERRENGUES

  1. Perdido no meio do nada nos Andes no Peru - demorei 3 horas para encontrar novamente a estrada (estava tentando fazer um desvio para diminuir a quilometragem do dia – por caminhos off road) - tive que rodar pelo meio do mato e atravessar trechos com muita lama, pequenos lagos e riachos
  2. Queda na Costa Rica tentando chegar a um vulcão. Muita chuva e estava rodando por uma estrada de terra com muita lama - nada aconteceu comigo ou com a moto
  3. Na Nicarágua, para chegar ao Vulcão Cerro Negro, levei 2 horas para rodar menos de 20 km. A estrada era feita de material/cinzas vulcânicas, muito fofo e de difícil condução.
  4. Quase fui atingido por um caminhão na Baja Califórnia - o caminhão não me viu e teve que se jogar para fora da pista para não me acertar - fiquei mais de 5 horas na estrada até resolver a situação. Acabei pagando o conserto do caminhão para não perder tempo com a burocracia do acidente e seguir meu planejamento da viagem (tinha seguro contra terceiros, mas iria perder muito tempo com os tramites de seguradora, fazer B.O, hotel, comida então achei mais barato e rápido pagar pelo conserto e seguir).
  5. Fiquei 4 dias parado em Fairbanks (Alaska) esperando a chuva parar para tentar chegar a Prudhoe Bay (Alaska) - destino final e principal da viagem.
  6. Passei 2 dias em Anchorage (Alaska) onde inicialmente seria o destino final da viagem, tentando encontrar uma forma segura e barata de enviar a moto de volta ao Brasil (ou era muito caro, ou barato demais e não senti segurança), mas como não encontrei, decidi rodar de volta até Miami (existiam outras opções como Vancouver, Seatle e Los Angeles), o que aumentou a viagem em mais 13 dias e aproximadamente 10.000 kms
  7. Devido ao calor extremo do norte do Peru até a Califórnia, por muitos dias dirigi sem a jaqueta, apenas com uma segunda pele e a camiseta da viagem (o que não recomendo, mas estava quente demais – tomava 6 litros de agua/bebidas isotônicas e mesmo assim me sentia desidratado).
  8. Dois protestos que fecharam a Pan-americana - 1 na Colômbia, na qual fui escoltado pelo exército durante aproximadamente 1000 km (com foto e vídeos) e na Guatemala (vídeo negociando a passagem)
  9. Tirar a moto do caminhão que a moto estava dentro na divisa do Paraguai com o Brasil. Tivemos que fazer isso no acostamento da estrada e sem nenhum equipamento especifico/apoio. Por sorte encontramos um distrubuidor de bebidas próximo que nos ajudou a tirar a moto de dentro em uma galera que trabalhava lá no armazém

Viagem de moto Alaska

PROBLEMAS COM A MOTO E EQUIPAMENTOS

  1. O farol da moto queimou algumas vezes na viagem - Chegando a Porto Velho, ainda no segundo dia de viagem (troquei em Porto Velho mesmo); chegando a Cancun (troquei em Cancun); passando por Portland (esse só fui trocar em WhiteHorse (Canadá) já quase no Alaska - durante esse tempo rodei com o farol alto ligado); chegando a Miami (esse só troquei quando fui buscar a moto no Paraguai para chegar em casa com tudo certo)
  2. A bota soltou a sola 3 vezes durante a viagem (uso uma bota de trilha, pois protege mais, mas por outro lado é mais pesada, desconfortável e não aguenta muita água) o pessoal que acompanhou a viagem pelo face transformou ela num 3º elemento como se fosse a bola de vôlei do filme "naufrago" rss
  3. As luvas, devido ao excesso de chuva na Costa Rica, também não aguentaram e rasgaram nas palmas das mãos. As duas, mas continuei com elas assim mesmo até o fim da viagem.
  4. Logo da BMW do lado direito caiu na estrada quando estava chegando a Yellowstone. Comprei outro na concessionaria da BMW em Miami (rodei alguns dias sem ele e instalei o novo assim que voltei ao Brasil)

PREJUIZOS

  1. Perdi 2 câmeras GoPro na viagem - uma foi atropelada pelo caminhão no incidente na Baja Califórnia/México e a outra, que ficava presa num suporte da moto, caiu e só fui perceber quando cheguei ao hotel na Nicarágua.
  2. Paguei o conserto do caminhão na Baja Califórnia para evitar perder dias da viagem parado no México até resolver a burocracia de fazer BO, seguros e etc. O caminhão foi consertado na estrada mesmo, passei o dia lá, mas consegui seguir viagem ainda à noite.
  3. Perdi o Boné que estava usando na volta do Alaska, no Canadá, entre as cidades de Jasper e Banff.
  4. Logo da BMW que caiu do lado direito do tanque da moto
  5. Vários cabos de celular.

ROTEIRO DA VIAGEM

Dia 1 - sábado - 02/03/2019 - Campinas (SP) a Cáceres (MT) (Iron Butt 1600 km)
Dia 2 - domingo - 03/03/2019 - Cáceres a Porto Velho (RO)
Dia 3 - segunda-feira - 04/03/2019 - Porto Velho a Puerto Maldonado (Peru) (travessia do Rio Madeira de Balsa)
Dia 4 - terça-feira - 05/03/2019 - Porto Maldonado a Cusco
Dia 5 - quarta-feira - 06/03/2019 - Vale Sagrado (passando por Ollantaytambo, Abra Málaga, Maras e Moray)
Dia 6 - quinta-feira - 07/03/2019 - Cusco (Peru) a Andahuaylas
Dia 7 - sexta-feira - 08/03/2019 - Andahuaylas a Huacachina (conhecendo e dormindo no oásis)
Dia 8 - sábado - 09/03/2019 - Huacachina a Paracas (Conhecendo a Reserva Natural de Paracas)
Dia 9 - domingo - 10/03/2019 - Paracas a Lima
Dia 10 - segunda-feira - 11/03/2019 - Lima (tour por Lima)
Dia 11 - terça-feira - 12/03/2019 - Lima a Puerto Malabrigo (conhecendo Chicana Point, a onda mais longa do mundo)
Dia 12 - quarta-feira - 13/03/2019 - Puerto Malabrigo a Punta Sal (Punta Sal será um dos principais balneários do Peru futuramente)
Dia 13 - quinta-feira - 14/03/2019 - Punta Sal a Cuenca (Equador) (A cidade de Cuenca é a cidade que deu origem ao Chapéu Panamá, considerada uma das melhores cidades para se viver e o seu centro histórico é considerado o mais bonito das Américas)
Dia 14 - sexta-feira - 15/03/2019 - Cuenca a Baños (conhecendo a Casa de Arvore e o Pailon del Diablo)
Dia 15 - sábado - 16/03/2019 - Baños a Quito
Dia 16 - domingo - 17/03/2019 - Quito (tour por Quito e pelo Monumento Mitad del Mundo)
Dia 17 - segunda-feira - 18/03/2019 - Quito a Popayan (Colômbia) (passando para conhecer a Catedral Las Lajas)
Dia 18 - terça-feira - 19/03/2019 - Popayan a Bogotá
Dia 19 - quarta-feira -20/03/2019 - Bogotá (revisão e lavagem da moto)
Dia 20 - quinta-feira - 21/03/2019 - Bogotá a Campinas (SP) (retorno ao Brasil - via aérea - fim da 1ª parte da viagem - a moto ficou em Bogotá)
Dia 21 - terça-feira - 04/06/2019 - Campinas (SP) a Bogotá (retorno à Colômbia - via aérea - Inicio da 2ª parte da viagem - buscando a moto em Bogotá)
Dia 22 - quarta-feira - 05/06/2019 - Bogotá a Catedral de Sal
Dia 23 - quinta-feira - 06/06/2019 - Bogotá a Villa de Leyva
Dia 24 - sexta-feira - 07/06/2019 - Bogotá a Cidade do Panamá (Panamá) (envio da moto via aérea de Bogotá para a Cidade do Panamá)
Dia 25 - sábado - 08/06/2019 - Cidade do Panamá
Dia 26 - domingo - 09/06/2019 - Cidade do Panamá
Dia 27 - segunda-feira - 10/06/2019 - Cidade do Panamá a Bocas del Toro
Dia 28 - terça-feira - 11/06/2019 - Bocas del Toro a San Jose (Costa Rica)
Dia 29 - quarta-feira - 12/06/2019 - San Jose a Playa Tamarindo
Dia 30 - quinta-feira - 13/06/2019 - Playa Tamarindo a Ilha Ometepe (Nicarágua)
Dia 31 - sexta-feira - 14/06/2019 - Ilha Ometepe a Leon
Dia 32 - sábado - 15/06/2019 - Leon a San Lorenzo (Honduras)
Dia 33 - domingo - 16/06/2019 - San Lorenzo a Santa Ana (El Salvador)
Dia 34 - segunda-feira - 17/06/2019 - Santa Ana a Antígua (Guatemala)
Dia 35 - terça-feira - 18/06/2019 - Antígua a El Rancho
Dia 36 - quarta-feira - 19/06/2019 - El Rancho a Isla de Flores
Dia 37 - quinta-feira - 20/06/2019 - Isla de Flores a Belize (Belize)
Dia 38 - sexta-feira - 21/06/2019 - Belize a Tulum (México)
Dia 39 - sábado - 22/06/2019 - Tulum a Playa del Carmen
Dia 40 - domingo - 23/06/2019 - Playa del Carmen a Cozumel
Dia 41 - segunda-feira - 24/06/2019 - Playa del Carmen a Cancun
Dia 42 - terça-feira - 25/06/2019 - Cancun a Isla Mujeres
Dia 43 - quarta-feira - 26/06/2019 - Cancun
PARADA DE 6 DIAS - 27/06/2019 - quinta-feira - Cancun a Campinas (SP) (voo de retorno ao Brasil para o aniversário dos meus filhos Enrico e Lucca)
01/07/2019 - segunda-feira - Campinas (SP) a Cancun (voo de retorno ao México para continuação da viagem)
Dia 44 - quarta-feira - 03/07/2019 - Cancun a Palenque
Dia 45 - quinta-feira - 04/07/2019 - Palenque a San Cristobal de las Casas
Dia 46 - sexta-feira - 05/07/2019 - San Cristóbal de Las Casas a La Crucecita
Dia 47 - sábado - 06/07/2019 - La Crucecita a Oaxaca
Dia 48 - domingo - 07/07/2019 - Oaxaca
Dia 49 - segunda-feira - 08/07/2019 - Oaxaca à Cidade do México
Dia 50 - terça-feira - 09/07/2019 - Cidade do México
Dia 51 - quarta-feira - 10/07/2019 - Cidade do México a Mazatlan
Dia 52 - quinta-feira - 11/07/2019 - Mazatlan a La Paz
Dia 53 - sexta-feira - 12/07/2019 - La Paz a San Lucas de Los Cabos
Dia 54 - sábado - 13/07/2019 - San Lucas de Los Cabos
Dia 55 - domingo - 14/07/2019 - San Lucas de Los Cabos a Loreto
Dia 56 - segunda-feira - 15/07/2019 - Loreto a Guerrero Negro
Dia 57 - terça-feira - 16/07/2019 - Guerrero Negro a San Quintin
Dia 58 - quarta-feira - 17/07/2019 - San Quintin a Ensenada
Dia 59 - quinta-feira - 18/07/2019 - Ensenada a Tijuana
Dia 60 - sexta-feira - 19/07/2019 - Tijuana a San Diego (EUA)
Dia 61 - sábado - 20/07/2019 - San Diego a Los Angeles
Dia 62 - domingo - 21/07/2019 - Los Angeles a Las Vegas
Dia 63 - segunda-feira - 22/07/2019 - Las Vegas a Grand Canyon a Las Vegas
Dia 64 - terça-feira - 23/07/2019 - Las Vegas a Death Valley a Visalia
Dia 65 - quarta-feira - 24/07/2019 - Visalia a Sequoias National Park a Fresno
Dia 66 - quinta-feira - 25/07/2019 - Fresno a Yosemite National Park a San Francisco
Dia 67 - sexta-feira - 26/07/2019 - San Francisco a Eureka
Dia 68 - sábado - 27/07/2019 - Eureka a Crater Lake a Seattle
Dia 69 - domingo - 28/07/2019 - Seattle a Prince George (Canadá)
Dia 70 - segunda-feira - 29/07/2019 - Prince George a Fort Nelson
Dia 71 - terça-feira - 30/07/2019 - Fort Nelson a Whitéorse
Dia 72 - quarta-feira - 31/07/2019 - Whitéorse a Fairbanks (troca dos pneus e passagem pela placa "Welcome to Alaska")
Dia 73 - quinta-feira - 01/08/2019 - Fairbanks (muita chuva - revisão da motoca)
Dia 74 - sexta-feira - 02/08/2019 - Fairbanks (muita chuva)
Dia 75 - sábado - 03/08/2019 - Fairbanks (muita chuva)
Dia 76 - domingo - 04/08/2019 - Fairbanks a Coldfoot (boa comida e camping em Cooldfoot)
Dia 77 - segunda-feira - 05/08/2019 - Coldfoot a Prudhoe Bay (general store para a famosa foto em Deadhorse, correio e hotel)
Dia 78 - terça-feira - 06/08/2019 - Prudhoe Bay a Fairbanks
Dia 79 - quarta-feira - 07/08/2019 - Fairbanks a Anchorage (passando pelo Denali National Park e Magic Bus)
Dia 80 - quinta-feira - 08/08/2019 - Anchorage (acampado na Harley-Davidson e procurando formas de envio da moto de volta para casa)
Dia 81 - sexta-feira - 09/08/2019 - Anchorage (acampado na Harley Davidson e procurando formas de envio da moto de volta para casa)
Dia 82 - sábado - 10/08/2019 - Anchorage a Whitehorse (passando pela Top Of The World Highway e Dawson City)
Dia 83 - domingo - 11/08/2019 - Whitehorse a Bell II (muitos ursos pelo caminho)
Dia 84 - segunda-feira - 12/08/2019 - Bell II a Pruden Lake Park (muitos ursos pelo caminho)
Dia 85 - terça-feira - 13/08/2019 - Pruden Lake Park a Jasper
Dia 86 - quarta-feira - 14/08/2019 - Jasper a Banff (passando pela IceFields Highway)
Dia 87 - quinta-feira - 15/08/2019 - Banff a West Yellowstone
Dia 88 - sexta-feira - 16/08/2019 - West Yellowstone a Red Lodge (passando por Yellowstone National Park e dormindo no Camping Lion's Club - BMW GS Rally)
Dia 89 - sábado - 17/08/2019 - Red Lodge a Sturgis (cidade onde é realizado o maior encontro de motos do mundo)
Dia 90 - domingo - 18/08/2019 - Sturgis a Kansas City
Dia 91 - segunda-feira - 19/08/2019 - Kansas City a Memphis
Dia 92 - terça-feira - 20/08/2019 - Memphis a Nashville (passando por Graceland e Jack Daniel's)
Dia 93 - quarta-feira - 21/08/2019 - Nashville a Atlanta (passando pela 129 - Tail Of The Dragon)
Dia 94 - quinta-feira - 22/08/2019 - Atlanta a Miami
Dia 95 - sexta-feira - 23/08/2019 - Miami a Campinas (SP) (entrega da moto na empresa que enviara a moto de barco para Asunción (Paraguai) e voo de retorno para o Brasil)
Dia 96 – sexta-feira - 01/09/2019 – Campinas/SP - Salto del Guairá (Paraguai) – Maringá/PR – Dia de buscar a moto da divisa do Brasil com o Paraguai e voltar para casa (neste dia peguei um voo de Campinas até Cascavel/PR e segui de carro até Salto Guaíra fronteira com o Paraguai – deu tempo de pegar a moto e voltar até Maringá)
Dia 97 - sábado - 02/09/2019 – Maringá/PR a Campinas (SP) – trecho curto para finalizar esta viagem que até aqui foi a mais incrível e desafiadora da minha vida! aguai) e voo de retorno para o Brasil)