Viagem de moto pela Patagônia

A partida foi logo de manhã “cedo”: 10 horas. Os horários na Argentina, especialmente no verão, são muito mais “elásticos”. O povo sai às ruas mais tarde e as lojas e restaurantes também tem horários esticados. É comum ver pessoas almoçando em alguns locais às 16 ou 17 horas. Neste período a luminosidade do sol também vai até às 21 horas. Então para quê a pressa?

Saí rumo norte em direção a Villa Traful pela conhecida Ruta 40. Os primeiros quilômetros foram em asfalto por entre lagos e montanhas incríveis. Parava a todo momento para fotografar as águas cristalinas com montanhas nevadas ao fundo. Mas logo em seguida veio a primeira experiência de pilotagem no ripio, na estrada que passa em frente ao Lago Traful. O trajeto percorre praticamente toda a extensão do lago, indo até a divisa do estado de Neuquén com Rio Negro. A região é ocupada por grandes propriedades e por eventuais casas de veraneio por dentre florestas exuberantes.

A segunda parte do percurso do dia me levaria de volta à Ruta 40, sempre pelo rípio. Mas desta vez o caminho passou por uma região de montanhas de arenito quase sem vegetação, subindo por uma estrada até chegar à montanha conhecida como Paso de Córdoba, dentro de um parque nacional. A região parece um deserto lunar, com uma beleza incrível!

Viagem de moto patagonia 005 Lago CorrentosoViagem de moto patagonia 006 Lago Traful

Neste ponto eu já comecei a entender porque o ripio é tão bom de pilotar, mas ao mesmo tempo pode ser muito traiçoeiro. As estradas de rípio na Argentina são muito boas. Como chove pouco nessa época do ano, não há muitos buracos na estrada. As máquinas de terraplenagem das prefeituras passam por lá e tudo fica muito lisinho; quase perfeito. Então o piloto de moto sente aquela confiança e aquela vontade de acelerar. Afinal, não tem buracos, não é? Tudo vai bem até o momento em que o piso firme se transforma em cascalho solto e aí a motocicleta começa a derrapar. Uma derrapagem no rípio a uma velocidade de 60 km/h pode ser controlada. Mas acima disso é um perigo só. Eu diria que se o motociclista estiver a mais de 80 km/h é praticamente impossível segurar uma derrapagem e o tombo é certo! Eu penso que o grande desafio de pilotar nesse terreno é controlar a vontade de “enrolar o cabo” (acelerar forte). E foi o que fiz, pois a última coisa que eu queria era levar um tombo no “meio do nada” da Patagônia...

Viagem de moto patagonia 007 Rio TrafulViagem de moto patagonia 008 Ruta com ripio

Como eu estava fazendo um “passeio de verdade”, sem levar GPS nem rastreador por satélite e o sinal de celular era inexistente na maioria do tempo, combinei com o pessoal da MRP que eu faria contato todos os dias ao final da tarde após fazer o check in no hotel ou pousada. Caso eu não fizesse isso conforme combinado, eles saberiam que eu tive algum problema naquele trecho programado e mandariam a equipe de apoio à minha procura. E graças a Deus isso não aconteceu.

Viagem de moto patagonia 009 Paso de Cordoba

O final do dia foi na cidade de San Martin de Los Andes; uma belíssima e charmosa estação de veraneio e de esportes de inverno. O hotel era ótimo e localizado bem no centro da cidade, o que possibilitou fazer uma boa caminhada para conhecer o local e apreciar um belo assado de tiras (costelas) ao estilo argentino, regado a um bom vinho tinto.

Viagem de moto patagonia 010 Assado de Tiras

Continuar lendo história de viagem de moto

Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia

Mais viagens pela Argentina

Projeto Ushuaia - de Harley até o fim do mundo

TENHO 59 ANOS, sou mineiro, mas moro em Brasília há bastante tempo. Quando era mais jovem fui...

Buenos Aires

O Casal Luiz Bianchi e Bernadete Condello de Oliveira tem uma Harley-Davidson Ultra Glide Classic...

Viagem de moto até Ushuaia, Argentina

Os amigos Antônio, de Florianópolis, SC, e Carlos, de Curitiba, PR, fizeram uma viagem utilizando...