Viagem de moto até Bonito

Neste dia eu tinha que chegar a Bonito. Como no dia anterior, o calor já era forte no início da manhã. Arrumei a bagagem, fiz o lanche no hotel, peguei a moto e iniciei a viagem percorrendo as ruas e avenidas de Campo grande até chegar à estrada.

Seguindo as dicas de um amigo que conhece bem a região, peguei a BR-060, que passa por Sidrolândia.

A paisagem era muito parecida com a que vinha encontrando na viagem, com lavouras de cana de açúcar, a maior parte já colhida e pastagens com gado. O diferente era uma fumaça que cobria todo o horizonte. Estava me aproximando das queimadas do pantanal que a imprensa vinha noticiando nos últimos dias. Fiquei preocupado com a possibilidade de passar por alguma queimada às margens da rodovia que pudesse colocar minha segurança em risco e também por respirar aquele ar tóxico. Mas durante todo o percurso, não vi queimadas, só a fumaça cobrindo o horizonte e deixando a paisagem triste.

Por volta do meio dia cheguei a uma rotatória onde havia uma placa indicando a cidade de Bonito e fiz a tradicional foto. As placas não mentem. rsrsrs

Viagem de moto até Bonito

Tinha feito a reserva de um quarto em um camping pelo AirBNB e fui para o local. Não tinha recebido confirmação da reserva, mas fui para o local assim mesmo. Chegando lá a dona disse que não tinha disponibilidade e que não tinha respondido porque estava sem computador. Não era a primeira vez que tinha problemas com reservas no AirBNB, só que das outras vezes os locadores tinham cancelado as reservas antes de eu iniciar a viagem. Tenho usado esse site só em último caso, pois não há garantia de que a reserva seja cancelada, como garantem os sites de hospedagem como o Booking, Hoteis, etc..

Procurei no mapa e encontrei muitas pousadas próximas. Fui até a primeira e não tinham disponibilidade. Na segunda havia um quarto disponível até o sábado. Fechei com a dona do estabelecimento, que mais tarde me disse que poderia ficar durante o feriado prolongado, desde que pagasse 3 vezes mais caro pela diária do fim de semana. Disse que pensaria a respeito. Pedi sugestões de passeios para a tarde e para o dia seguinte e ela me colocou em contato com uma operadora de turismo, que reservou três passeios, sendo o primeiro no Parque das Cachoeiras.

Os passeios pela região são na maioria pagos, não são baratos e grande parte fica no entorno da cidade ou em cidades vizinhas. Os preços dos passeios são tabelados e as reservas são feitas exclusivamente pelos operadores de turismo. Não se pode visitar nenhum atrativo sem reserva.

Com o horário apertado e sem almoçar, guardei a bagagem, troquei de roupa, peguei a moto e segui para a primeira atração, o Parque das Cachoeiras. Não é difícil encontrar o local. A partir da pousada são 13 km pela MS-178 até a entrada da fazenda. Depois são mais 7 km por uma estrada de terra cascalhada que atravessa pastos e mata nativa até a sede do Parque. Essa estrada de terra não é difícil, mas exige atenção para quem está de moto, porque o cascalho é solto em algumas curvas.

Todo o passeio é feito com guia e, por causa da pandemia, estavam sendo permitidos no máximo 6 visitantes por grupo. Eu faria o passeio com uma família que ainda não tinha chegado na hora marcada, por isso começamos e eles nos alcançaram mais tarde. A caminhada é feita por passarelas de madeira que atravessam a mata e levam a sete cachoeiras ao longo do rio Mimoso. São feitas paradas para banhos nas águas frescas, esverdeadas e cristalinas, para apreciar e tirar fotos das cachoeiras, que são muito bonitas. Uma alternativa ao Parque das Cachoeiras é a Estância Mimoso que compartilha o mesmo circuito de cachoeiras pela outra margem do rio.

Como o passeio começou tarde, nas últimas paradas o pessoal com quem eu dividia a caminhada ficou preocupado com a chegada da noite e já não parou para nadar nas últimas cachoeiras. Quando chegamos à sede a noite já iniciava.

Retornando para a cidade, o farol da moto me permitiu ver de relance uma família de raposas atravessando rapidamente a estrada de cascalho.

De volta à pousada, depois do banho, fui até um bar próximo, frequentado pelos moradores locais, onde tomei uma cerveja e comi iscas de peixe por um bom justo.

Mapa Viagem de moto até Bonito

Percorri cerca de 250 km neste dia.

Continuar lendo história de viagem de moto

Comentários (1)

This comment was minimized by the moderator on the site

Bacana demais! Parabéns!

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia

Mais viagens pelo Brasil

Viagem de moto até o Cânion do Guartelá

Planejamos visitar o Cânion do Guartelá, em Tibagi no Paraná, o sexto maior cânion do mundo e o...

Do Piauí ao Paraná de moto

Durante 27 dias, três motociclistas do moto clube Asas do Delta, da cidade de Parnaíba, no estado...

Viagem de moto até Bonito

Os motociclistas José Malta e Sérgio Schreiner de Esteio, RS, realizaram entre os dias 18 de junho e 01...