Viagem de moto Serras do Sul do Brasil

Levantei relativamente tarde no segundo dia da viagem de moto, mesmo sabendo que o dia seria inteiro de turismo e motocagem. Sai do hotel às 9h da manhã e fui no ICMBIO pegar a autorização para subir ao Morro da Igreja.

Após ser atendido, fui até a gruta Nossa Senhora de Lourdes, local onde agradeci pela viagem 110% que tive até ali, sem nenhum imprevisto ou susto. A vibe desse local é descomunal.

A neblina ainda estava pegando forte e aí tive um pouco de receio de ir até o Morro da Igreja e não ter a visão da Pedra Furada, mas como já tinha escutado que, se na cidade a neblina estivesse forte, encima o céu estaria limpo. E não deu outra, peguei um céu de brigadeiro, que rendeu ótimas fotos da Pedra Furada, do Cindacta e de tudo que meus olhos podiam ver.

Desci a belíssima estrada e no meio do caminho parei para conhecer a famosa Cascata Véu de Noiva, outro cartão postal de Urubici. Velho, dava vontade de sentar na agua e ficar por horas ali de tão lindo que o local é.

Após algumas fotos e vídeos, subi na moto em direção à Serra do Corvo Branco. Todo o caminho até a Serra é muito belo para quem gosta de paisagem, pois para a maioria vai ser apenas uma estrada de terra em má condições.

Chegando ao topo da Serra parei para algumas fotos. Lá me senti um patinho feio, eu de CB 300 e ao lado Tiger, BMW, Africa Twin..., motos que sonho ter. Enfim, com um pouco de receio, resolvi descer a Serra e ir em sentido Grão Pará, a descida é feita com atenção redobrada, porem com muitas paradas para fotos.

Viagem de moto serras sul Brasil

Enquanto descia, um grupo de BMW estava na minha frente e em dado momento um deles se descuidou e acabou tomando um capote. Todos ajudamos levantar aquele trator que é a GS 1200 e ainda brincamos que não adianta controle de tração e estabilidade se não tem braço.

Nos despedimos após isso, pois, eles ficaram com medo de continuar e acabaram por subir de volta. Eu continuei a descida até pegar o asfalto na altura de Grão Pará. Nesse trecho parece que estamos naquelas estradas do interior da Europa, com curvas e montanhas permeando o cenário, impossível não parar para fotos. Motoquei até a cidade de Lauro Müller, onde almocei um baita de um PF na Route 66

Após dar uma de sucuri e esperar a comida descer, fui para Bom Jardim da Serra onde teria o meu primeiro encontro com a Serra do Rio do Rastro.

Viagem de moto serras sul Brasil

No começo da subida o corpo começou a arrepiar, não só pelo fato de estar ali, mas pelo fato de eu estar realizando um sonho que eu já vinha planejando muito antes de ter a moto. Subi degustando cada curva, cada refúgio para fotos, cada cascata que corria na lateral, de uma forma que me surpreendo ainda hoje.

Após chegar ao “cume” aproveitei e fui conhecer o Cânion da Ronda e o parque eólico. Na volta para Urubici ainda cheguei à Cascata da Barrinha, outro lugar massa demais.

Voltei no fim da tarde para o hotel e fui novamente jantar no Posto Serra Azul. Nesses dois dias comi igual um boi. O pessoal deve ter gostado haha!

Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia

Mais viagens pelo Brasil

Transamazônica 100cc

A viagem pela Rodovia Transamazônica terá início no dia 27 de maio na cidade de Cabedelo (PB). O...

Viagem de moto até Urubici (SC)

Domingo, 31 de janeiro, ainda não havia realizado nenhum passeio em 2011 até esta data. Festas de...

De BH a Lapinha da Serra com uma Titan 150

Aproveitei uma folga e resolvi conhecer com minha moto o distrito de Lapinha da Serra, na região...