Tenho poucos ídolos. O primeiro sem dúvida foi meu pai. De infância pobre pôde, com muito suor de trabalho honesto, criar e educar seus dois filhos.

O segundo, Ayrton Senna. Sem palavras porque hoje seu exemplo seria uma bofetada de honradez nos nossos (podres) poderes Executivo, Legislativo e agora o Judiciário.

Dos atuais, destaco meu sogro Dr. Olívio, que as pessoas chamam de Torolivio ou como o chamo de maneira carinhosa, simplesmente Toro, que também remete à força de trabalho e personalidade que tem. O admiro pela sua cultura, inteligência, vivacidade, criatividade, história de vida e que me deu a mão de sua filha, a Circe, mulher admirável que me atura por 25 anos (comemoramos bodas de prata agora em Buenos Aires).

O terceiro, Sr. Plínio, meu ex-chefe na Varig de São Paulo, também por sua cultura, inteligência, criatividade e amizade.

Tem meu filho Arthur, que foi levado do meu convívio muito cedo, com 4 anos, e só voltando a vê-lo depois de 20 anos... Por tudo que essa criança, esse jovem passou, sendo levado a acreditar que não tinha pai e hoje conseguiu criar e manter sua própria história de vida com muita atitude e maturidade.

A esses ídolos, dedico minha aventura.

Mas aproveito para agradecer aos amigos, velhos amigos, outros nem tão velhos assim, aos mais recentes e aos que me acompanharam e que nem conheço (ainda), mas que se tornaram amigos de coração porque me seguiram diariamente nos relatos e me deram força a cada momento que a situação exigia.

Em especial meu muito obrigado ao Rômulo que, através de seu site "viagemdemoto.com" foi o fio incansável de ligação em todo o tempo, à Jackie, que mantivemos em contato todo o tempo e levava as notícias pro "ninho" (dos Águias), ao Ruy, meu parceiro por 90% da viagem e que deu força para eu continuar até Ushuaia, ao Brunno Senra, que preparou da minha Fat pra enfrentar esse chão todo, aos amigos-irmãos do Rio Odilon e Fábio, ao PHD Artur pelas dicas dadas antes da minha saída e minha mãe D. Nilzinha, que não dou um beijo nela há quase 6 meses...

Aos que escreveram no site, Eric Wendling, Carlos Prohmann, Malco Camargo, PHD Yamada (cara,...suas mensagens são óoootimas! Claro que EU terei o maior prazer em conhecê-lo!), Camilo, Profeta, Alexander Enoque, Daniel Junior, Ivo (mais Cynthia e Carolzinha), Marcus Rocha (grande piloto de Troller), Rosemberg, Weyden (primo querido), Alan do Salvaterra /Juiz de Fora (quem for por aquelas bandas vale a parada!), Evelyn (prima querida), Borrile, Ademir Goulard, Vilmar Ferreira, Geraldo Reis, Bida (parceirão nos trechos Peru, Equador e Colômbia), Saulo, Ivan Machado (grande Ivan!), Fabio e Mara (preparem esse Troller, viu), Janino e Marcia (claro que me lembro de vcs.!), Jadiel Oliveira, Luiz Fernando (meu grande vizinho), Wagner Coelho, Edmilson, José Curcio, Nivaldo Moreira (onde está o amigo Bira?!!) e toda moçada da academia Pelé, meu MUITO OBRIGADO!!! De coração!

Porém, todavia, contudo... gostaria de dedicar essa minha história de aventura à uma pessoa. Uma pessoa que todos devem conhecer ou já ouviram falar... Só que isso vai ficar para uma outra oportunidade... Aguardem...