Viagem de moto pela Amazônia

Programei errado meu despertador e ele despertou às quatro da manhã. Levantei e fui arrumar a bagagem na moto. Saímos cedo e fomos a um posto para abastecer, onde batemos um papo com uns integrantes da PM amazonense (nosso amigo Divino Jr. que ia gostar, ele é vidrado em militares).

Para completar, o Adriano foi fazer uma graça na hora de sair do posto e foi para o chão lá mesmo. Os policiais tiveram que ajudá-lo a levantar a moto. Naquele dia iríamos começar o segundo objetivo da viagem, a rodovia BR-319, também conhecida como Rodovia Fantasma.

Essa rodovia é uma incógnita, me parece que teve alguns trechos asfaltados. Só que o asfalto nos lugares onde ainda existia estava em péssimas condições, com crateras que cabiam a moto dentro. Que o diga o Amerizon, que caiu dentro de um desses. Um cara em um carro parou para ajudar ele a levantar a moto.

Em outros trechos viam-se pedaços do que um dia foi asfalto, mas a grande parte estava na terra bruta mesmo e em péssimo estado de conservação.

Minha confiança já estava restabelecida e eu já pilotava forte novamente. Pelo menos as poacas eram raras ali. Em alguns trechos haviam máquinas trabalhando na reconstrução da via. Em outros a pista já estava pronta. Apesar de ser em terra, estava tão bom que conseguíamos andar bem rápido.

Viagem de moto Amazonia - BR 319

Após cerca de 50 quilômetros, chegamos a um pequeno vilarejo chamado Realidade, onde tinha o último posto de gasolina antes dos 500 km da Rodovia Fantasma. Abastecemos o galão reserva, tomamos um café da manhã e adentramos a mata.

Entre estrada ruim, estrada boa e estrada péssima, chegamos à balsa do rio Iguapó-Açu por volta de três e meia da tarde. Inicialmente nosso objetivo do dia. Mas como ainda era muito cedo, resolvemos prosseguir. Esperamos a balsa por uns 20 minutos, atravessamos e rio e seguimos rumo a Manaus.

Usamos a gasolina reserva e íamos monitorando o consumo. Minha preocupação maior era a XRE, que apesar de mais econômica que a Teneré, tinha um tanque 4 litros menor.
Pouco antes de chegar a Manaus e já no limite da XRE, chegamos à cidade de Careiro, onde encontramos um posto de gasolina. Foram 500 km sem um posto de combustível. Chegamos no limite.

Viagem de moto Amazonia - floresta

A noite chegou e nos pegou na estrada. Na medida em que escurecia, diminuíamos a velocidade. Com isso, parecia que não íamos chegar nunca. Some-se a isso o cansaço extremo. Fizemos um trecho absurdo em um dia. Normalmente este trecho é feito em dois dias.

O cansaço era tanto que eu fiquei com medo de cochilar enquanto pilotava. Meu farol estava desregulado devido ao peso da bagagem, eu não conseguia enxergar direito e os motoristas que vinham no sentido contrário reclamavam do farol e com isso não abaixavam o deles. Foi duro chegar até a balsa, mas graças a Deus chegamos a tempo de pegar a última travessia. Essa sim uma balsa gigantesca.

Os caminhões e carros tinham que entrar de marcha ré para poderem sair de frente. Teve um caminhão que estava com a ré estragada e teve que entrar no embalo de ré. O sujeito dirigia muito, mas foi um momento tenso. Nisso nos distraímos e minha moto tombou, derrubou a moto do Amerizon que caiu sobre o capô de um carro. Por sorte não estragou. Acho que não. Estava muito escuro para ver. O proprietário do carro não ficou nem um pouco feliz, mas não reclamou muito. Mas reclamar com três motoqueiros sujos e mal-encarados como nós, acho que teria que ter muita coragem.

Finalmente chegamos ao nosso destino, Manaus. Cidade grande, às margens do Rio Negro. Depois de andar muito à moda antiga (informações boca a boca) chegamos a um hotelzinho próximo ao porto. Nos hospedamos e fomos dormir. Não quis saber de sair este dia. Estava exausto. Realmente no limite.

Neste dia rodamos quase 700 km, sendo a maior parte em estradas de terra. Limite extremo, pelo menos para mim.

Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia

Mais viagens pelo Brasil

Rua do Porto - Piracicaba

Era sábado, dia de pôr a branquela na estrada. Perguntei à garupatroa o que ela gostaria de fazer...

Viagem de moto até Urubici (SC)

Domingo, 31 de janeiro, ainda não havia realizado nenhum passeio em 2011 até esta data. Festas de...

De moto pelo Circuito do Ouro

Há algum tempo já havia planejado este passeio. Não é uma "viagem de moto" extensa, mas é algo...