Viagem de moto pelo Brasil

Chegou o dia. Nos reunimos às 5 horas da manhã no Posto Esso Senna e saímos às 6 horas e 5 minutos. Pedrão estava com a gente e nos acompanhou até São Paulo, onde faria revisão da sua Hayabusa.

No primeiro contato com o Moacyr levei um grande susto, quando ele me disse muito claramente: Vamos manter a média de 200.
Eu falei: O que? 200?
Ele respondeu: 200 ou 230..
Eu perguntei: Não é muito não?
Ele me disse: Vai depender das médias das motos...

Ele estava falando em 200 ou 230 km para abastecermos as motos e não em velocidade... ainda bem, pois numa viagem deste porte e um comentário desses na saída... é de assustar...

Saímos e a BR 101 logo surgiu à nossa frente. O tempo estava ótimo, sem chuva e um sol pra lá de quente. A tocada estava legal e as motos adesivadas com algumas imagens e decalques alusivos à viagem chamavam a atenção por onde passávamos.

Atravessamos Campos e Moacyr tomou um caminho diferente do costumeiro.

Passamos pelo Rio de janeiro sem maiores problemas. Moacyr puxava o grupo com um mapa em seu tanque. Chegamos a São Paulo e erramos a entrada para a Régis Bittencourt. Sofremos um pouco dentro da cidade, por estarmos com as malas laterais nas motos, dificultando passar pelos corredores.

Finalmente, depois de 34 minutos, passamos por São Paulo e seguimos para onde seria nossa primeira parada, que era Embu.

Chegamos ao lugar onde era a pousada de 10 reais por pessoa, mas que surpresa, estava acabando de ser demolida e desativada junto com o Posto Brasil, que era em frente. Diante deste fato, seguimos viagem até Itapecerica da Serra, onde achamos um Hotel maravilhoso no leito da rodovia e muito barato.

Deixamos as motos na garagem no fundo do hotel e nos hospedamos. No sorteio do quarto triplo ficamos eu, Oliveira e Moacyr. No outro quarto ficaram Kadin e Odileno.

Tomamos banho e descemos para jantar. Um atendimento especial nos esperava no restaurante, com uma comida e um churrasco super bem feito e passado.

Moacyr presenteou o Grupo com uma camisa da Yamashow para cada um. Jantamos, conversamos e descemos para os aposentos para descansarmos para o outro dia.

Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia

Mais viagens pela Argentina

Projeto Ushuaia - de Harley até o fim do mundo

TENHO 59 ANOS, sou mineiro, mas moro em Brasília há bastante tempo. Quando era mais jovem fui...

Três caipiras em Bariloche

Tudo pronto após meses de preparação, roteiro definido, motos acertadas (2 Falcons e 1 Yamaha...

Viagem solo de Recife a Buenos Aires em uma Fazer 250cc

Sai de casa em Paulista, cidade da Região Metropolitana de Recife (PE), com a minha magrela, uma...