Viagem de moto pelos Estados Unidos

No sábado, 5 de maio, deixei Hinton para oeste pela OK-152, outro passeio muito bonito, com quase nenhum tráfego. Continuei nessa estrada para Pampa, Texas, criada em 1880 inicialmente como uma estação telegráfica da Ferrovia Southern Kansas. Tive um almoço maravilhoso no Café Dixie. A comida era excelente, o povo amigável e as garçonetes eram mulheres atraentes - o que mais podia um velho motociclista, pedir?

Depois do almoço, fui pela U.S. 60 em direção oeste - em linha reta, plana e chata - para Amarillo. O destaque deste trecho da estrada era uma pequena estação de trem em Panhandle, Texas. Eu queria ir além de Amarillo, mas soube que precisaria pilotar muito ainda até Tucumcari, NM, para encontrar um motel decente.

Então, encontrei um motel de cadeia muito agradável, a oeste de Amarillo na I-40. O concessionário Harley local estava a três km de distância, então eu fui lá e comprei uma camisa.

Na manhã de domingo, 06 de maio, com tempo ensolarado e quente, eu deixei Amarillo. Como não existiam estradas a oeste para Tucumcari, tomei a I-40. O limite de velocidade era de 120 km/hora e havia pouco tráfego. Não precisa dizer que eu fiz este trajeto em um bom tempo.

Tucumcari sempre soou como alguma mística para mim, provavelmente devido ao nome (sem dúvida, nativo americano). Mas foi uma decepção (eu achei que servia apenas como um local para pernoitar entre Amarillo e Alburquerque), até que encontrei o centro da cidade velha e deserta (pelo menos no domingo).

A rua principal da cidade é a histórica Rota 66, que foi construída em 1930 e vai de Chicago, Illinois, até Los Angeles, Califórnia. Os cerca de 3 – 5 km da estrada que atravessa Tucumcari estão rodeados pelos funky motels - cerca de 30 deles! Eles se parecem com algo saído dos anos 1950, que eu acho que eles são.

Fui para o norte no que parecia ser a principal rua norte-sul da cidade. Que grande achado! Descobri diversas antigas estruturas de um andar no lado norte da cidade, com murais absolutamente lindos de cenas do deserto ocidental. Havia um incrível mural "Welcome to Tucumcari", e alguns outros que continuavam de um edifício para o próximo na rua ou em torno de áreas de estacionamento.

Viagem de moto até Las Vegas

Viagem de moto até Las Vegas

Viagem de moto até Las Vegas

Deixei Tucumcari pela NM 104, que vai a noroeste para Las Vegas, estrada que foi um dos trechos desolados mais bonitos de toda a viagem. O limite de velocidade neste trecho bastante reto da estrada de duas pistas é de 110 km/hora. Infelizmente, a superfície ruim da estrada fazia com que essa velocidade fosse um pouco desconfortável em uma moto. Eu acho que não passei mais que 15 carros a cada 160 quilômetros. A estrada corria em cima de um platô a cerca de 900 metros de altitude. Era o verdadeiro deserto.

Depois de 80 km comecei a me perguntar se meu celular funcionaria lá se eu precisasse dele – não funcionava, mas eu também não precisava dele!

Eu me senti como no filme " High plains drifter " montando "pelo deserto num cavalo sem nome" e me perguntando que filmes de faroeste foram filmados neste lugar agourento. Parei para tirar fotos e ainda cheguei a Las Vegas (Novo México) em menos de duas horas. Mais espetacular foi uma subida de 900 metros da escarpa do Rio Canadá para 1800 metros.

Parei para almoçar no Charlie’s Spic & Span Bakery & Café, em Las Vegas. Foi muito bem recomendado por um atendente de posto de gasolina local, mas achei o bife duro. Era, no entanto, obviamente popular para os moradores.

De Las Vegas, tomei a I-25 para sudoeste de Santa Fé, NM, onde fiquei em um motel ao lado da concessionária Harley. Cheguei à conclusão que, com uma baixa temperatura prevista de 4º C naquela noite e um máximo de 13º C no dia seguinte, eu precisava de alguma roupa térmica.

Santa Fé é um centro animado e encantador, artístico e cultural. Eu recomendo passar alguns dias lá. Esta não foi a minha primeira visita, e eu tive que seguir em frente.

Na segunda-feira, 7 de maio, com um pneu traseiro muito desgastado, levei a moto para a concessionária Harley próxima para colocar um novo - só durou entre 8.000 a 11.000 km o pneu traseiro devido ao grande peso e torque. Enquanto eles faziam um excelente trabalho de manutenção na moto, andei um quilômetro ou mais até um shopping e comprei uma cueca térmica de qualidade – garoto, era uma adição bem-vinda para o meu armário!

Deixei Santa Fé ao meio-dia com a temperatura na faixa de 10º C, indo para sudoeste pela I-25 para Bernalillo, NM, onde peguei a U.S. 550 a noroeste para Farmington, NM. Parei em Cuba, NM (veja um pôr do sol neste paraíso do viajante) para um tremendo burrito no El Bruno Restaurant. El Bruno possui visitantes de toda a América por uma boa razão - é uma experiência gastronômica especial.

Depois do almoço, eu continuei a noroeste pela U.S. 550 para Farmington. Este foi um passeio ainda mais emocionante, mais uma vez na altitude com vistas incríveis do deserto ao redor. Atravessei a divisa continental aos 2.250 metros de altitude enquanto andava nesta linda estrada. Farmington fica no Rio San Juan e é a maior cidade da região de Four Corners (mais sobre isso em breve). Eu parei no concessionário Harley local e comprei um top antes de hospedar em um motel que tinha uma simpática equipe.

Terça-feira, 8 de maio, foi um dia de passeios. Deixei Farmington por volta de nove horas em direção oeste pela U.S. 64 para Teec Pos Nos, Arizona! De lá, apenas alguns quilômetros a leste do Four Corners Monument , onde Colorado, Utah, Arizona e Novo México se encontram em um único ponto - o único ponto desse tipo nos Estados Unidos. Aqui é possível colocar o pé e / ou uma mão em cada um dos quatro estados, ao mesmo tempo.

Havia um homem no monumento, enquanto esperávamos para tirar fotos. Chegámos a um acordo para um fotografar o outro sobre os quatro cantos com câmeras trocadas. Quando terminamos, ele me disse: "Bem, nós podemos riscar esta pendência das nossas listas!" Acho que isso resume tudo.

O Four Corners Monument é bem impressionante. Além de uma laje de concreto de tamanho considerável, possui uma bandeira dos EUA e as bandeiras dos quatro estados. Ele está localizado em uma reserva navajo e é operado pelo povo Navajo. É cercada por barracas para venda de bugigangas.

Deixei o monumento e segui para oeste para Kayenta, Arizona, onde eu desfrutei um maravilhoso almoço no Blue Coffee Pot Café. Um bom restaurante na cidade que se apresenta como porta de entrada para a oitava maravilha do mundo - Monument Valley. De Kayenta eu pilotei ao norte para o vale.

Esse passeio deu uma amostra das estruturas naturais incríveis que viriam. O vale em si é de tirar o fôlego. Este fenômeno natural fabuloso está localizado em outra reserva Navajo. Existe uma estrada de terra de 44 km através de Monument Valley. Há excursões de ônibus (duas horas) que podem ser adquiridas por 55 dólares, ou você pode dirigir no seu próprio ritmo - de carro seria bom, mas eu não faria isso em uma moto, é um caminho muito empoeirado.

Depois de deixar este lugar maravilhoso, me dirigi para o sul de volta para Kayenta e a sudoeste para Tuba City, Arizona, onde passei a noite.

Bill Rezak
www.gainesvilletimes.com

Bill Rezak se aposentou em 2003 após 10 anos como diretor da Alfred State College, em Alfred, Nova Iorque. Antes disso, ele foi reitor da Escola Superior de Tecnologia em Southern Polytechnic State University, em Marietta. Ele e sua esposa Paula mudaram-se para Gainesville e Paula foi diagnosticada com câncer de pulmão em maio de 2004. Ela faleceu no final de 2006, mas não sem antes aproveitar bem seu tempo em sua motocicleta.


Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia