Tudo começou (para variar!!!) em uma mesa de boteco. Definimos simplesmente que íamos! Foi mais de um ano de preparativos e planejamento e o mais difícil foi conciliar o trabalho e a melhor época do ano. Então, escolhemos o mês de outubro, pois, é um mês em que a temperatura é ideal para viajar, com poucas chuvas na região dos pampas e na cordilheira. Outro desafio seria preparar as motos. Resolvi trocar minha Harley-Davidson Dyna por uma Road King.

Em setembro de 2013, disparamos o cronômetro! Organizamos toda a documentação das motos, os seguros e toda a papelada necessária, traçamos o roteiro básico e fizemos os últimos ajustes nas motos.

Os aventureiros: Eu, Alfredo Castro 37 anos, meu pai Alfredo Mário Arantes de Castro 69 anos, e a namorada dele Miriam Niess de 45 anos. Uma Honda Shadow 750 com 6 bagageiros e minha Road King.

No dia 04/Out/2013 partimos de manhã de Belo Horizonte rumo a Sorocaba. Logo nos primeiros quilômetros, pegamos um temporal daqueles! Em Sorocaba tivemos que desfazer as malas para secar as roupas, que molharam bastante!

Viagem de moto até o Chile

A partir do segundo dia, a diversão realmente começou! Saímos de Sorocaba pelo interior do continente rumo a Irati-PR. Passamos por uma das regiões mais belas que já estive até chegarmos a Castro-PR, para almoçar e seguirmos viagem.

Em Castro tivemos o primeiro perrengue, uma bateria descarregou porque o som ficou ligado durante o almoço.

Em Irati, dormimos num castelo, (isto mesmo, veja o filme: www.youtube.com/watch?v=N5x32G1-W9Y) com toda a hospitalidade do interior do Paraná e um jantar de embutidos e queijos variados e, claro, uma cerveja gelada!

No dia seguinte, tocamos para o Rio Grande do Sul onde visitamos a região das Missões e preparamos para a entrada na Argentina, em São Borja-RS. Um macete que gostaria de passar a todos é cruzar a fronteira em São Borja e não em Uruguaiana. São Borja possui uma ponte na qual a fronteira é vazia e rápida. Não gastamos nem trinta minutos para cruzá-la e comprar moeda Argentina.

Do lado argentino a estrada é excelente, muito melhor que a brasileira e sem movimento! Deve-se ter atenção com a distância entre os postos de combustível, tivemos pane seca na Shadow depois de rodar 160 km e encontrar um posto e ainda sem gasolina! À noite, nosso primeiro Bife de Chorizo, em Santa Fé. Em seguida, fomos para Rio Cuarto e Mendoza, no pé da Cordilheira dos Andes. Cruzando os pampas na região de Rio Cuarto, tivemos muita dificuldade com ventos laterais na estrada. A zona de vácuo gerada na ultrapassagem dos caminhões exigiu muita atenção e energia.

Parar em Mendoza foi fundamental. Já estávamos rodando há sete dias, fazendo uma média de 560 km/dia. Atravessar os Andes sem este descanso seria muito arriscado. Aproveitamos o dia em Mendoza para lavar roupas, esticar o corpo e, é claro, visitar vinícolas!!!! Foi fantástico o passeio personalizado organizado pela Wine Camp. Pudemos beber e comer muito e dormir cedo para a escalada dos Andes no dia seguinte.

Viagem de moto até o Chile

Atravessar os Andes é inesquecível! Conseguimos gravar grande parte do percurso para compartilhar com vocês no vídeo acima. O ambiente é incrível e a estrada muito boa. Deve-se tomar cuidado com a subida, pois, a altitude que se atinge em pouco tempo pode gerar vertigem e enjoo.

Cruzar a fronteira da Argentina com o Chile foi uma novela. Gastamos quase 6 horas na fila e depois, um interminável vai e volta entre os guichês de imigração, alfândega e vigilância sanitária. Em seguida, passamos pelos Caracoles, um zigue zague na montanha, descendo uns 2000 metros em menos de 30 km de estrada!

O Chile é fantástico!!! As estradas são boas e a rede viária é bem densa. Sentimos falta de um GPS. Circular em Santiago e pegar as estradas corretas foi na base de muito erro e sorte.

O bate e volta até Viña del Mar é obrigatório... São aproximadamente 150 km de distância em estradas paradisíacas, em meio à montanhas e vinícolas. Muitos motoqueiros cruzaram com a gente fazendo o mesmo percurso.

Depois de dois dias de pouso em Santiago, embarcamos nossa companheira, que voltou para BH de avião para trabalhar e nós seguimos para Buenos Aires, cruzando novamente os Andes para Mendoza e depois um tiro de dois dias para chegarmos a Montevidéu, através do Buquebus, que pegamos em Buenos Aires. Viagem muito gostosa, em um navio de alta velocidade, com as motos embarcadas. Dormimos em Montevidéu, onde fomos obrigados a tomar um belo vinho regional!

No dia seguinte, pelo conselho de uns amigos, seguimos, de Montevidéu, atravessando o Uruguai próximo à costa do Atlântico, entrando no Brasil, pelo Chuí. O interior do Uruguai também é um lugar muito belo, a paisagem é linda e a estrada excelente. Outra dica que deixo aos companheiros é passar pelo Chuí, nem fomos parados pela receita ou guarda de fronteira brasileira. Dormimos em Pelotas, depois seguimos para Porto Alegre, em seguida Floripa e Registro. Para contornar a cidade de São Paulo e evitar o trânsito, passamos pela região da serra, subindo até Sorocaba e depois pegamos a Fernão Dias rumo ao Sul de Minas.

Viagem de moto até o Chile

Quando entramos no estado de Minas Gerais o coração disparou! Estávamos com hotel reservado em Pouso Alegre, mas nossa situação era a seguinte: 8.350 km rodados, rodamos 400 km naquele dia, o clima estava perfeito, sem chuva e fresco, oito dias rodando sem parar, ainda eram 12h30min quando estávamos passando pelo trevo de Pouso Alegre e faltando 430 km para chegarmos em casa. Conclusão: tocamos direto, rodando mais de 800Km no último dia, para chegarmos sãos a salvos em casa, com nossas famílias e travesseiros.

Só quem já fez uma viagem longa, de moto, para saber como é bom tomar um banho em casa e deitar na própria cama, depois de jantar com a família!

Comentários (4)

  1. Dinho Sprenger

Caros Alfredos: ler seu relato e assistir o vídeo me trazem grandes recordações, parabéns pela viagem e principalmente pela cumplicidade de Pai e Filho, extrapola do texto e fotos e torna este relato especial. Grande Rômulo, relatos como este são especiais, esta dupla conhece muito de Motocicleta, viver bem e um bom vinho tinto. Forte Abraço Dinho.

  1. edmar

nossa maravilha esta viagem,estava precisando desta dica pois no final deste ano vou fazer esta viagem saindo de goiania mande algumas dicas para mim por imail obrigado

  1. Guilherme Orlando

Parabéns Alfedros e Miriam, sou de BH também e ainda vou realizar o sonho de ir até o Atacama de moto (uma Shadow) se possível poste o roteiro que fizeram, um abç.

  1. Alfredo Castro    Guilherme Orlando

Bom dia Guilherme, Meu pai foi em uma Shadow. Ele está programando uma viagem para o Atacama em 2014. Caso queira te coloco em contato com ele. O roteiro que fizemos em detalhe está no video www.youtube.com/watch?v=N5x32G1-W9Y. As cidades que passamos foram: BH, Sorocaba, Irati, Passo Fundo, São Borja, Santa Fé, Rio Cuarto, Mendoza, Santiago, Vina Del Mar, Santiago, Mendoza, Rufino, Buenos Aires, Montevideo, Pelotas, Porto Alegre, Florianopolis, Registro, BH.

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.