Entrar

Estrada Real - Encantos de Minas

  • Categoria: Estrada Real
Viagem de moto pela Estrada Real - Brasil

Durante seis dias, três motociclistas mineiros percorreram de moto os caminhos e trilhas da Estrada Real entre Diamantina, MG e Paraty, RJ, totalizando 994 km, sendo 80% deles em estradas de terra. Acompanhe o diário detalhado dessa bela viagem de moto pela história do Brasil.

Os Viajantes

Viagem de moto pela Estrada Real - Adeildo Adeildo Rodrigues Costa
Contador
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Cidade: Governador Valadares – MG.
Moto: Honda / Tornado XR 250 ano: 2007
Viagem de moto pela Estrada Real - Brasil - Tornado
Viagem de moto pela Estrada Real - Daniel Daniel Gerhard Batista
Contador
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Cidade: Manhuaçu – MG.
Moto: Honda / Tornado XR 250 ano: 2007 
Viagem de moto pela Estrada Real - Brasil - Tornado
Viagem de moto pela Estrada Real - Milton Milton Mendes Botelho
Contador
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Cidade: Governador Valadares – MG.
Moto: Honda / NX Falcon 400 ano: 2006 
Viagem de moto pela Estrada Real - Brasil - Falcon

Programação

Saída de Governador Valadares para Diamantina - MG: dia 17 de abril. Motos no trolete. período de poucas chuvas e ainda não está frio.
Saída de Diamantina – MG: dia 18 de abril.
Chegada prevista em Paraty – RJ: dia 23 de abril.
Distância a ser percorrida: 994 km – 80% em estrada de terra.
Retorno a Governador Valadares – MG: dia 25 de abril.
Equipamentos levados: Celular, máquina fotográfica, mapas, diário e caneta, óleo de lubrificar corrente, canivete suíço, corda de nylon, camisas oficiais com nome da expedição, produto de encher pneu, remédios, capa de chuva, roupas adequadas e mochilas para garupas.

Viagem de moto pela Estrada Real - Brasil

A Viagem

O termo Estrada Real se refere aos caminhos trilhados pelos colonizadores desde a descoberta do ouro em Minas Gerais, até o período de sua exaustão. Estas vias eram as únicas de acesso à região das reservas auríferas e diamantíferas da capitania das Minas Gerais autorizadas pela Coroa Portuguesa. Os caminhos reais adquiriram, já a partir da sua abertura, natureza oficial. A circulação de pessoas, mercadorias, ouro e diamantes era, obrigatoriamente, feita por esses caminhos, constituindo crime de lesa-majestade a abertura de novos trajetos.

Foram trilhados dois caminhos: o velho (Diamantina - MG a Paraty – RJ) e o novo (Diamantina – MG a cidade do Rio de Janeiro) onde as embarcações da Coroa Portuguesa estavam atracados, esperando a carga. Também alguns piratas, inclusive alguns deles estão perdidos até hoje no Rio de Janeiro.

O nome Estrada Real passou a se referir, assim, àquelas vias que, pela sua antiguidade, importância e natureza oficial, eram propriedade da Coroa metropolitana. Durante todo o século XVIII, e também em parte do XIX, quando a era mineradora já se fora e os caminhos se tornaram livres e empobrecidos, as estradas reais foram os troncos viários principais do centro-sul do território colonial.

Quando começamos a planejar essa viagem de moto pela Estrada Real, decidimos pelo caminho velho iniciando em Diamantina com destino a Paraty, aproximadamente 1000 km. Imaginamos que um passeio nessa estrada é um retorno na história, é voltar no tempo dos tropeiros que chegavam em seus cavalos e os nativos que faziam festa com a chegada da tropeirada.

Quando falávamos de nossa aventura, éramos surpreendidos por alguns, dizendo, "vocês são loucos, andar de moto é muito perigoso, andar por estradas que vocês não conhecem" e as recomendações continuavam. Mas, nossas esposas e filhos incentivaram. Nos preparamos e partimos. Cada quilômetro foi uma emoção diferente, rico de tesouros históricos, culturais e de belezas naturais impressionantes, que passaremos a relatar.

Fonte de pesquisa: Texto de Márcio Santos - Pesquisador de rotas históricas, autor de Estradas Reais: introdução ao estudo dos caminhos do ouro e do diamante no Brasil (Belo Horizonte: Editora Estrada Real, 2001)

Para saber como foi o dia a dia da viagem em cada uma das etapas, utilize os links de navegação abaixo:

Comentários (2)

  1. André Ramon

Parabéns pela iniciativa e pela aventura...
Temos sempre que dar asas a nossos sonhos e curtir muito quando conseguimos realizá-los...
A Estrada Real é um destino que ainda quero trilhar...
Novamente, parabéns pela realização da trip e muito obrigado por compartilhá-la conosco...
Sucesso, tudo de bom e que Deus possa continuar abençoando suas vidas, dando muita saúde, prosperidade, paz, harmonia e disposição para que sempre vocês possam estar sonhando e realizando objetivos...
Forte abraço!!!

  1. Adeildo Rodrigues da Costa    André Ramon

Prezado Ramon.
Trilhar a Estrada Real realmente foi a realização de um sonho que Deus me proporcionou.
Andar por aquelas montanhas e poder contemplar a beleza da natureza, faz com que a nossa mente entra em ebulição e ganha um sopro de frescor que nos impulsiona a viver e sonhar cada vez mais.
Recomendo que você coloca em prática esse projeto de trilhar esse caminho, tenho certeza que lhe fará muito bem.
Forte abraço.
Adeildo

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização