Sai cedo de São Domingos rumo a São Desiderio, mas errei o caminho e depois de 30 km voltei ao roteiro correto. No trecho onde percorri o caminho errado passei por um andarilho e resolvi voltar e ajuda-lo. A bicicleta dele furou a câmara de ar e eu lhe emprestei as ferramentas e uma corda para amarrar as suas coisas. Não ajudei mais porque ele não quis, senão teria levado ele e a roda estragada até a borracharia. Depois de um tempo sozinho é difícil você aceitar ajuda, você se vira sozinho e acaba desconfiando de todos. Depois de 25 minutos segui meu caminho.

Se você fizer o mesmo caminho que eu segui do décimo até o décimo terceiro dia, é melhor seguir de Correntina direto para São Desiderio. Reforço a necessidade de tomar cuidado com as Agrovilas, que são do MST, mas ocupadas pelo PCC. Se você parar para pedir informação, corre um serio risco de ser roubado.

Em Morrinhos (ou Morrão, não lembro ao certo o nome), perto de São Desiderio, tem um rio de águas cristalinas, onde você pode fazer pouso, mas fique desconfiado, pois já está perto de Barreiras, na Bahia.

Registro um fato que aconteceu comigo quase chegando a São Desiderio: faltando pouco mais de 25 km eu resolvi parar e descansar por alguns minutos. Não passaram 5 minutos de descanso e fui abordado por um motociclista, que me perguntou se precisava de ajuda e para onde estava indo. Isso é normal acontecer durante uma viagem de moto. Você não pediu ajuda, uma pessoa para, faz duas ou três perguntas e como você não precisa de ajuda ele segue seu caminho. Mas quando a pessoa começa a perguntar demais, ai pode ser um problema. Eu acabei fechando a cara para ele, porque responder mais de três perguntas, principalmente quando não precisava de ajuda, tem que desconfiar.

E para piorar, na mesma estrada, poucos minutos ou quilômetros depois, percebi uma Bros vermelha andando devagar. Sabe quando tem uma intuição, um pensamento? Porque aquela moto não corre mais que a minha, já que estou a 70 km/h? Enfim, você fica desconfiado.

Mas segui meu caminho. Cheguei a Morrinhos onde parei para tomar um refrigerante antes de procurar o Lago Azul/Verde. Então o mesmo motociclista chegou ao bar. Eu o cumprimentei e conversamos. Eu disse para ele: “Cara não chega como você chegou. Eu estava apenas conversando, não estava pedindo ajuda, mas o principal, você começou a fazer muitas perguntas, por isso que fiquei desconfiado, pois quem te aborda daquele jeito ou é polícia ou ladrão”.

Ele compreendeu, aceitou minhas desculpas e me deu dicas sobre os atrativos da região e como conhecê-los.

Para conhecer o parque Lagoa Azul você tem que pedir autorização na prefeitura, mas ela não funciona de sexta até domingo. Outra opção é pagar para uma agência de turismo.

O parque fica a caminho de Correntina, mas entra-se à direita em um trecho da estrada. Vale a visita. Além da Lagoa Azul puxando para um verde, você tem uma Gruta, chamada de Catão.

Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.