• Brasil
  • Publicado em:

Paraty e Ilhabela com uma Titan 150

Sou um apaixonado por moto, preferencialmente customs. Hoje tenho uma Yamaha Virago XV 250. Gostaria de contar uma viagem que fiz há dois anos atrás, quando ainda eu tinha uma Honda Titan 150 cc.

A viagem foi excelente, de belos visuais. Em sua maior parte, as estradas estavam muito boas.

O roteiro consistia de sair de Belo Horizonte em direção a Angra dos Reis, passando também por Paraty, Trindade e Ilhabela. Planejei tudo, tempo de pilotagem e descanso, locais de abastecimento, etc. e depois fui para a estrada.

Viagem de moto até Paraty e Ilhabela Mapa

Saí às 06h30 de uma Sexta-feira pela BR 040 até Congonhas, que por sinal continua um LIXO de estrada. Errei a entrada para São Braz do Suaçuí, mas logo à frente consegui um retorno. Entrando em S. B. do Suaçuí, fiz minha primeira parada para descanso e lanche. A MG 383 está bem conservada e o visual até a divisa com o Rio de Janeiro é muito bonito. Há lugares em que vamos pelos "altiplanos" das montanhas mineiras e vemos lá embaixo paisagens e belos lugares.

Após S.B.do Suaçuí, passei por Lagoa Dourada, Cel Xavier Chaves e pelas históricas Tiradentes e São João Del Rey.

Mais uma parada para descanso e abastecimento em Andrelândia. Nesse ponto, o sol já estava bem forte.

Continuei descendo e fiz a parada para almoço em Sta Rita do Jacutinga. Uma gostosa comida mineira e fui sentar um pouquinho ao lado da moto. Um cochilo que seria de 30 minutos acabou tornando-se 70 minutos.

De certo ponto de Sta. Rita do Jacutinga, por uns 2 km, foram de estrada de terra. Se não era, pelo menos fez parecer que era. Fui mais devagar e desviando dos buracos e valas pelo caminho.

Já no Rio, a rodovia tornou-se RJ 153, se não me engano. Boa também até Volta Redonda. Tive alguma dificuldade em certo ponto da cidade, mas perguntando não houve problema.

Continuei até Rio Claro – RJ, onde parei para mais um descanso. Depois, começando a subir a serra, cheguei aos famosos túneis de Lídice, onde o tempo já estava nublado e com um chuvisco. Descendo em direção a Angra dos Reis – RJ, a chuva apertou um pouco, mas eu já estava de capa e segui em frente.

Cheguei a Angra já por volta de 18 horas e pouco, começando a anoitecer. Fui direto para o Green Hostel, que já conhecia de outras vezes. Outra coisa que vale muito é você ter carteira do Hosteling International. Acomodações boas e baratas.

No dia seguinte, o tempo estava feio e chovia. Aproveitei uma "estiada" e parti rumo a Paraty. De longe já avistava que o tempo ia melhorar, o que aconteceu logo. Abriu o céu azul. Dei uma parada rápida, coloquei meus fones de ouvido e fui ouvindo música. Nessa parte a Rio – Santos, conhecida já como Rota do Sol, é muito boa de viajar. Não é a única que dá acesso a várias cidades do litoral, e nem a mais rápida, mas é escolhida pela beleza do seu cenário, com serras e mar compondo a vista. Dá acesso a cidades como Ilhabela, Ubatuba e Guarujá.

Chegando a Paraty, fui para a bela praia de Jabaquara e me hospedei no Hostel Sereia do Mar, outro lugar que recomendo muito. Em Paraty fiquei por 2 dias, inclusive indo para a Praia de Trindade, outro lugar belíssimo.

Após, com uma manhã ensolarada e paisagens deslumbrantes, passei por Ubatuba e Caraguatatuba, onde parei novamente para um descanso e um refrigerante, sentado na praia, olhando o mar (embora de calça jeans).

Com mais vistas deslumbrantes, desci até chegar a São Sebastião, onde tomei a balsa e cheguei a Ilhabela. Demorei um pouco para encontrar o Hostel Central. Altamente recomendado. Bom lugar, com piscina e ótimo atendimento.

Em Ilhabela, fiquei por uns 5 dias. De moto, fiz as praias do norte e parte das praias do sul. Isso porque deixei a moto em uma oficina mecânica para uma revisão geral antes da volta. Não me recordo o nome da oficina. É no centro, em uma rotatória, próxima ao acesso para as balsas.

Na volta para BH, para ganhar tempo, resolvi fazer o trajeto via São Paulo, passando por Caraguatatuba e subindo para Jacareí e de lá para Atibaia, onde pegaria a Fernão Dias. Só que, depois de Atibaia, chovia muito e haviam muitos caminhões, o que já começava a me chatear. Então, resolvi voltar para a MG 383 após Pouso Alegre. Havia perdido muito tempo parado esperando a chuva nesse trajeto, então resolvi parar em Caxambu e dormir por lá.

No dia seguinte, com o tempo melhor, segui pelas maravilhosas montanhas mineiras até São João Del Rey. Fiz o restante do trajeto com as mesmas paradas de quando fiz na ida.

Coloco algumas fotos aí para o pessoal ver, mas não retratam tanto a beleza que foi esta viagem. Mais à frente partilho outras que fiz já com a Virago XV 250.

Abraço a todos!

Deixar seu comentário

Postar comentário sem fazer login

0 / 2000 Restrição de Caracter
Seu texto deve conter 5-2000 caracteres
Seu comentário será enviado para moderação pelo administrador.

Conteúdo relacionado - Viagens pelo Brasil