• Brasil
  • Publicado em

Chapada dos Veadeiros

Em fevereiro de 2013 eu fiz um passeio de aproximadamente 3.200 km durante oito dias até a Chapada dos Veadeiros, em Goiás, na minha Harley-Davidson Heritage Softail Classic.

Fiz o seguinte roteiro, mostrado no mapa abaixo: Belo Horizonte - Brasilia - Itiquira – Alto Paraíso do Goiás (portal da chapada) – Pirenópolis – Goiás velho e Belo Horizonte.

Atrações:

  1. O salto do Itiquira. É uma queda d'água pouco conhecida e que impressiona, situada em um parque muito bem conservado pela prefeitura local.
  2. Pirenópolis é uma cidadezinha antiga, com casinhas bem conservadas e lojas típicas.
  3. Goiás velho (antiga capital de Goiás) preserva seus casarões e suas ruas. Lembra Ouro Preto e Diamantina, mas com poucos turistas. Para mim, carece de maior atenção por parte das autoridades, para atrair mais turistas.

Problemas: Não houve, exceto pelo inconveniente de que o passeio aconteceu sempre debaixo de muita chuva, até quase chegando a Brasília, quando a "estrela" voltou a aparecer.

É bem verdade que minha "azul" (heritage) quase me deixou na mão já próximo a Brasília. A bateria pifou e tive de empurrar a grandona para fazer pegar e chegar à concessionária de Brasília.

Seguem fotos que mostram um pouco do passeio e dos lugares que conheci. 

A Chapada dos Veadeiros

Localizada a 2 horas e meia ao norte de Brasília, a Chapada dos Veadeiros abriga rios cristalinos, cachoeiras de mais de 100 metros, trilhas e paredões de pedra rompendo pelo Cerrado de três localidades: Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante e a vila de São Jorge, onde está a entrada para o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, declarado Patrimônio Mundial pela Unesco em 2001.

Para chegar às atrações, visitantes precisam estar dispostos a caminhar: as trilhas têm trechos íngremes e pedregosos (em algumas delas é necessária a presença de guia). Como recompensa pelo esforço, quase todos os percursos terminam em poços limpos, na base de quedas-d'água ou no meio de formações rochosas.

Em Alto do Paraíso, ecoturistas enchem a cidade sobretudo em julho, em busca das trilhas que levam a incontáveis cachoeiras. Mas o lugar também atrai outro perfil de visitante: os interessados em assuntos místicos. A presença de minas de cristais nas redondezas e o fato de que a região está na mesma latitude de Machu Picchu (as duas são atravessadas pelo Paralelo 14) ajudam a convencer muita gente de que Alto Paraíso tem uma energia especial.

Distrito de Alto Paraíso, São Jorge é uma pequena vila de casas coloridas e ruas de terra. O ponto positivo do local é a facilidade de acesso ao Parque Nacional: a entrada fica em São Jorge. Quem fica em Cavalcante, cidade que contém mais da metade da Chapada dos Veadeiros, se diverte com atrações escondidas em propriedades particulares das cercanias.

De Alto Paraíso de Goiás a Cavalcante são 82 quilômetros pelas asfaltadas GO-118 e GO-241 - mas para conhecer as cachoeiras e mirantes do entorno, ainda roda-se bastante por estradas de terra. De Alto Paraíso pra São Jorge são 22 quilômetros asfaltados e 14 quilômetros de terra pela GO-239.

Deixar seu comentário

Postar comentário sem fazer login

0 / 2000 Restrição de Caracter
Seu texto deve conter 5-2000 caracteres
  • Nenhum comentário encontrado

Conteúdo relacionado - Viagens pelo Brasil