- Where are you guys going to?
- We are going to Alaska…
- Alaska??!! You’re crazy?!?!...

Essa era a frase que mais ouvíamos durante a viagem. Depois iríamos perceber o real significado do espanto...

Bom, tudo começou num sábado na loja Harley em Belo Horizonte onde estava sendo inaugurado o “Espaço Cap. Senra”. O Ruy, que fiquei conhecendo numa viagem do Encontro PHD de Blumenau me chamou para uma aventura que nunca tinha me passado pela cabeça. Ele havia chamado algumas pessoas, mas era sempre aquela história: “agora não dá para eu ir”, “tenho que pedir aval da esposa”, etc. Ele olhou para mim e fez o convite para ir até o Alasca. Eu estava querendo fazer algo mais da minha vida e não sabia o que. Pensei por “muito” tempo, uns 10, 11 segundos, e topei.

Viagem de moto até o Alasca

Aí veio a pior parte que eram os preparativos, os cuidados e providências antes de sair para a estrada, como vistos, passaporte, vacinas, cartões de crédito, cartão Pré-Pago, dólar, bagagem, ferramentas, etc. Acho que na semana que antecedia a partida não dormi nada. (Nota: quem quer planejar uma longa viagem é obrigatória a leitura dos livros do Rômulo Provetti).

27 de abril de 2013, sábado, nos encontramos na Loja H-D de BH para o tradicional café da manhã e despedir da turma. Foi emocionante o discurso dos “Road Captains” Kurt e Rômulo mais o “trem” de umas 30 motos e dois jipes dos meus amigos de trilha nos acompanhando por uns 60 km. Paramos e os abraços emocionados de boa viagem nos aqueceram a alma e nos acompanharam o resto da viagem.

Ao engatar a primeira marcha, soltar a embreagem foi como romper as amarras do cotidiano e soltar os cordões umbilicais do nosso dia-a-dia. Seguimos nosso caminho e uns 5 km após, um caminhãozinho velho parado no acostamento à direita desprende duas rodas separadas. Sim, não era roda traseira dupla, mas duas ao mesmo tempo. Uma passou pela minha frente, cruzou todo o largo canteiro central, a pista em sentido contrário e parou no outro acostamento. A outra roda passou entre minha moto e a do Ruy e fez o mesmo trajeto. Em seguida, um pneu velho largado no meio da pista. Reflexo rápido e desvio para o que seria o primeiro acidente e menos de 10 minutos de viagem. Pensei preocupado no que poderíamos esperar pela frente se aquilo era uma “pequena” amostra...

Viagem de moto até o Alasca

Mas fomos em frente. Subimos em direção a Goiás e paramos em Itumbiara, uns 700km de distancia passando por Pará de Minas. Um amigo “muy amigo” duvidando da minha empreitada falou que eu iria só até Pará de Minas (90 km) e não para Alaska. Só que conseguimos chegar “Pra lá de Minas” e, no meu caso, continuei sozinho até Ushuaia na Patagônia, perfazendo 60.000 Km (equivalem a uma volta e meia ao redor da terra) em quase 6 meses...

Bom, o resto está no livro onde você vai vivenciar aventuras, emoções e muita superação! E saber por que o título do livro é “11 Segundos até o Alasca”.

Boa leitura!

Livro 11 segundos ate o alasca viagem de moto

Para adquirir um exemplar do livro 11 segundos até o Alasca, envie um e-mail para o autor: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ou pelo WhatsApp: (31) 99848-1947.

Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Motos Adventure - expedição de moto pelo mundo

Livro sobre viagem de moto até o Atacama