Viagem pelo mundo com uma scooter

O motociclista catarinense Márcio Silveira desligou-se do trabalho, entregou a casa para a imobiliária, pagou as últimas contas e no dia 14 de maio último iniciou um tipo de vida que é o sonho de muitos aventureiros: desligou-se de tudo que o prendia a um lugar e saiu para uma viagem de moto sem destino e sem data para acabar. Na viagem ele pilota uma Citycom 300, a Scooter da Dafra.

Até mesmo o telefone celular ele desativou. Na bagagem, apenas o notebook, que lhe permitirá comunicar-se com os amigos e atualizar o diário da viagem que ele vem registrando em seu blog Mundo de Moto.

Márcio já fez várias viagens de moto pela Argentina, Uruguai, Chile, Peru, Bolívia, Paraguai, e quase todos os estados brasileiros. “Todos eles com roteiros programados, com datas de ida e volta. Essa empreitada é diferente, mais despojada, vou com pouco dinheiro, sem celular, GPS, sem nada. Sinceramente não sei o que vai acontecer. Além de tudo isso, vou com uma moto scooter, atípica para esse tipo de viagem”, revela. Há cerca de um ano comprou a Citycom, com a qual realizou viagens por Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul e Porto Alegre.

Sem fonte de renda durante a viagem, Márcio calcula necessitar uns R$ 3 mil por mês e conta com a ajuda dos amigos e quem mais se dispor a contribuir para realizar seu sonho, inclusive patrocinadores que ele busca. Na bagagem, além de peças e ferramentas, está levando barraca, saco de dormir e dois pneus.

Atualmente ele está enfrentando muito frio no Chile, onde pretende percorrer a Carretera Austral, na fronteira entre Chile e a Argentina. Depois pretende seguir em direção norte e fala que tem tudo certo para chegar na América Central e que depois vai tocando até onde aguentar. “Não tem data de chegada, quanto mais distante e demorado for, melhor. Pode levar um mês, dois meses um ano”, estima.

Deixar seu comentário

Postar comentário sem fazer login

0 / 2000 Restrição de Caracter
Seu texto deve conter 5-2000 caracteres
Seu comentário será enviado para moderação pelo administrador.