Entrar

Viagem de moto até o Deserto do Atacama

Viagem de moto até o Deserto do Atacama

Viajar em uma motocicleta sempre me fascinou. Algumas coisas na vida a gente simplesmente se apaixona e não sabe exatamente o porquê. Desde que tirei minha licença, em 2004, talvez até um pouco antes, quando ainda com menos de 18 anos, pedia recorrentemente a meu primo Alex as primeiras aulas informais.

A motocicleta, em um primeiro momento e para preocupação de meus pais e muitos familiares, veio com a desculpa de que era o modo de transporte mais econômico e que eu poderia bancar na época para deslocamento para o trabalho e namoro, e às vezes, me arriscava em pequenas viagens nos finais de semana. A verdade mesmo era que sempre me encantei com como essas máquinas tão pequenas podem nos levar tão longe. E foi em uma destas pequenas viagens, nos arredores de Belo Horizonte, em uma estrada no meio de dois pastos, que descobri tamanha paixão.

Normalmente, trabalho toda a semana e tenho o sábado e domingo para descanso, quando as coisas vão bem. E são esses dias que tenho para passear de moto. Quem mora em Belo Horizonte sabe como é agraciado por estradas secundárias cobertas de montanhas que deixam qualquer um de boca aberta. A região de Casa Branca (Serra do Rola-Moça) e serra da Moeda costumam ser as primeiras rotas em que se pode admirar uma natureza esplêndida! E quem passa por ali sabe que, em uma ou duas viagens, não é possível absorver tanta beleza. E por isso, durante muitos anos, já me peguei redescobrindo a mesma rota com um olhar diferente.

Quando comecei a perambular nos finais de semana, tinha uma moto de 125cc e um dia resolvi ir mais longe: fui a Ouro Preto! 100 km de Belo Horizonte e ganhei o mundo! Fui aumentado as cilindradas e também os quilômetros. Passei a ir nos encontros de Tiradentes, e de pouco em pouco me atrevia mais e mais.

Mais tarde, um pouco mais velho, começou um desejo de sair do país em uma motocicleta. O sonho "Atacama" estava nascendo e de pouco em pouco fui me preparando para alcançá-lo.

Tive muitos motivadores dos quais quero destacar o Rômulo Provetti (seus livros foram meu primeiro contato com alguém que já havia viajado e se aventurado), e os amigos que fiz no Dragões das Gerais MC, entre eles o Rui Babosa (que fez uma viagem longa ao Alaska em uma Harley) e o casal Hermes Dutra e Leda Vilela, nossos padrinhos de motoclube, que com muita experiência e bagagem nos apoiaram na empreitada.

Planejamento da viagem

Viagem de Moto Deserto do Atacama 00 02

Santana havia planejado uma viagem para Uruguai com um casal de amigos e estávamos no tradicional pastel Paineiras (Itatiaiuçu - MG) em um passeio curto e agradável com as motos em um domingo para um bom papo. Após ele apresentar o planejamento e eu querendo entrar na conversa, perguntei algo sobre duração, quando iriam partir e papo vai, papo vem soltei:
- "Este roteiro é bem legal! Vou querer ir um dia. Mas meu sonho mesmo é ir até o Atacama."

Uma semana depois, numa quinta feira, Santana estava no bar Ali-ba-bar (nosso ponto de encontro para tomar uma gelada e encontrar os amigos) e me ligou no celular:
- "Prata! É seu sonho mesmo conhecer o Atacama?"
- "Oi Coronel Santana! Claro!"
- "Então vou planejar uma outra viagem com você! Vou ligar também para Fernando Porto."

Pronto! Fiquei super feliz e a partir de então começamos os preparativos. Santana havia ligado para mais um grande amigo, Fernando Porto, que também se animou com a ideia! Algumas semanas depois fizemos nosso primeiro encontro de planejamento na casa do Santana.

Infelizmente, mais tarde, por motivos particulares e de trabalho, Fernando Porto nos deu a notícia que não poderia nos acompanhar. Perdíamos um grande companheiro para a viagem. Iria fazer falta!

Planilhas utilizadas no Planejamento da viagem

Planejamento viagem de moto Atacama

Planejamento viagem de moto Atacama

Clique sobre as imagens das planilhas com o botão direito do mouse e salve em seu computador para melhor visualização.

Comentários (11)

  1. Gabriel Villas Boas dos Santos

Boa tarde amigo .

Parabéns pela grande ajuda. Poderia me enviar por e-mail? gabriel_vbs@hotmail.com
Muito obrigado

  1. Gustavo Prata    Gabriel Villas Boas dos Santos

Oi Gabriel, bom dia, mando sim!

  1. Marcos Leiva

Bom dia, achei muito legal a viagem. Gostaria de mais detalhes do trajeto, se mudaria algo, hospedagens?

Grato

Leiva

  1. Gustavo Prata    Marcos Leiva

Oi Marcos, eu mudaria somente 2 coidas.
Não pernoitaria em S. S. de Jujui. Andaria mais 100km para pernoitar em Purmamarca. É uma vila pequena e muito aconchegante. Jujui é o contrário. Cidade muito grande e cheia.
E nesse dia, saindo de Purmamarca, sairia o mais cedo que pudesse. A travessia na cordilheira tem muita coisa linda. E quanto mais cedo dair, mais vai aproveitar.

  1. Marcos Leiva    Gustavo Prata

Obrigado Gustavo.
Agradeço às informações.
E o celular funcionaram bem?
Você tem o contato dos hotéis onde ficaram?

  1. Gustavo Prata    Marcos Leiva

Oi Marcos,

Funcionaram nada! =)
Estou brincando, na verdade optamos por desligar tudo e aproveitar a viagem. Acessávamos a internet para falar com amigos pelos hotéis mesmo. Mas não eram todos que tinham, ou quando "tinha" que funcionavam. Então meu conselho é: Dê uma olhada com sua operadora, como seria os custos por onde vai passar, ou outra possibilidade é comprar nos quioscos que tem por lá e comprar um pré-pago. sempre acha.
Os contatos dos hotéis eu fui pegando pelo booking mesmo. Me passa seu e-mail que te mando essa tabela com os contatos e links.

  1. MARCOS DE AZEVEDO LEIVA    Gustavo Prata

Meu e mail, mdaleiva@gmail.com.

  1. Emerson

Vlw Prata. Muito obrigado

  1. Emerson

Prata, pra mim não aparece a opção de visualizar as planilhas, pode me envia-la? (emer.melo@gmail.com)

  1. gustavo prata    Emerson

claro !! te envio sim!!

  1. Gustavo Prata




Obrigado pessoal! Ficou ótimo!!

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização