Dormi muito bem, acho que quase nove horas de sono. Mas ainda me sentia um pouco cansado. Os dez dias de viagem e principalmente os dois dias anteriores estavam fazendo efeito sobre meu corpo. Resolvi que iria ficar mais um dia em Santiago para descansar um pouco mais e visitar as redondezas. O café da manhã foi simples, mas quebrou o galho: torradas, café, chá (não sei de que, mas era amargo), leite, cereais, um bolo integral e iogurte.

Saí logo depois e fui conhecer a região em que estava hospedado. Não ia fazer passeios longos porque queria descansar. O hotel fica quase na esquina das ruas Londres e Paris, uma região famosa de Santiago, onde tem muitos prédios históricos. Fica na região central de Santiago, onde tem muito comércio, o Paseo Ahumada, bancos, restaurantes, lanchonetes, e é bem próximo da estação Universidade de Santiago do metrô, ou seja, dá pra ir onde quiser a pé ou de metrô. Parece que o sistema de transporte aqui é bem eficiente, mas não pesquisei muito. Rodei por diversas ruas das redondezas e tirei muitas fotos. Gostei de atravessar a Boulevard, que é uma avenida larga, passando pela estação do metrô, ou seja, descia e subia por escada rolante e não precisava esperar sinal abrir.

Almocei num restaurante italiano um prato com três pastas diferentes. Bom. Achei as pessoas com quem tive contato hoje muito frias, exceto as do hotel que estou que são bem atenciosas. Não sei se por causa da experiência negativa de ontem, estou achando os chilenos bem antipáticos. Olha só, eu que sempre fiz piada com argentinos, estou com saudades da Argentina.

No final do dia comi um sanduíche e voltei pro hotel, para deitar cedo e ir pra estrada amanhã.

Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Motos Adventure - expedição de moto pelo mundo

Livro sobre viagem de moto até o Atacama