Viagem de moto Transamazônica

Rosário Oeste, MT a Rio Verde de Mato Grosso, MS - 700 km

Acordei cedo e esperei o café ficar pronto, segui pela Estrada da Guia, uma estrada pavimentada, onde é proibido o trânsito de carretas, e por conta desta exclusão, há pouco trânsito, muito bom.

Aqui um detalhe me chamava a atenção deste a quando comecei a criação do roteiro: sempre crio o roteiro no software mapsource da Garmin, onde é possível instalar vários mapas de vários países. Sempre uso para o Brasil o TRC, projeto Tracksource.org.br do qual faço parte como colaborador, enviando estradas, informações, erros de rota e pontos de interesse. Depois de fazer a rota ponto a ponto de cada dia da viagem, transfiro os dados para o Google Earth para ver o tamanho da cidade, se haverá hotéis, postos de combustível, etc...pois nem sempre estes dados estão no projeto TRC. Olhando no GE, vi que chegando em Cuiabá havia uma estrada como se fosse um desvio da cidade direto para a estrada que vai para Chapada dos Guimarães, rumo do dia. Entrei em contato com o desenvolvedor estadual do projeto que mora na cidade de Cuiabá, e ele confirmou a exitencia da estrada mas, devido a ausência de trevos o programa não usava a rota como uma alternativa mais rápida de desvio de Cuiabá. Marquei o ponto no meu GPS, que desde o primeiro dia se negou a funcionar nas estradas de terra, desligando constantemente. Neste trecho fiquei atento e, quando cheguei no ponto, vi uma estrada de terra ao lado de uma indústria ou grande escritório. Fiz a volta, atravessei o asfalto e segui por uma subida de terra por uns 700 metros. No final havia um asfalto novinho e sem uso, continuei por mais ou menos 4,5 km e saí na pista dupla que segue para Chapada dos Guimarães. Desviei 12 km, mas economizei um bom tempo que gastaria passando pelos semáfaros de Cuiabá.

Segui subindo em direção à Chapada dos Guimarães. Uso esta estrada para desviar da Serra de São Vicente e saio 70 km antes de Rondonópolis.

Passando por Campo Grande, Capital do Mato Grosso do Sul, parei para abastecer, avistei uma barbearia, e decidi que já estava na hora de cortar o cabelo e fazer a barba, afinal, por onde eu passava, dava um ar não muito agradável.

Rodei o dia todo até chegar no final da tarde em Rio Verde do Mato Grosso, que fica no estado do Mato Grosso do Sul. Me instalei no Hotel Quedas Palace ao preço de R$ 50,00. No hotel conheci um pessoal de várias partes do Brasil que faz perfuração a procura de fosfato. Fomos jantar juntos e ganhei a janta. Pessoal muito bacana.