Viagem de moto pela Transamazônica

Berini, Fábio e eu, pegamos o vôo de Londrina, PR para Marabá, PA, após duas conexões chegamos em Marabá por volta das 12h30, calor insuportável, seco e muito pó.

De táxi, seguimos para o hotel, onde deixamos a pouca bagagem que havia ainda conosco e em seguida seguimos a pé para uma churrascaria próxima.

Da churrascaria seguimos para o escritório da transportadora, onde logo que chegamos começamos a desembalar as motos e as bagagens. Só conseguimos terminar de ajeitar todas as coisas próximo das 5 horas. Fábio não conseguiu dar partida na moto. Procuramos uma oficina e achamos uma que era também uma bicicletaria... Segundo o mecânico o problema não era com a bateria, e sim algo que estava em curto e roubando corrente, Uma carga na bateria, novos fusíveis e o regulador de voltagem. Solucionaram o problema, mas momentaneamente, sem identificar a causa fundamental.

Retornamos ao hotel e no caminho a moto parecia instável devido ao pneus off, garrote e câmara grossa. Jantamos no restaurante Bambu, local que indico por servir um ótimo peixe.

Fomos dormir cedo, pois o dia seguinte seria marcante: primeiro dia de contato com a BR-230, a TRANSAMAZÔNICA e a POACA.