Logo

Primeira viagem de moto - Foz do Iguaçu

Viagem de moto pelo sul do Brasil

Antes de relatar minha primeira viagem de moto, gostaria de contar um pouco da minha história. Sempre tive vontade de ter uma moto, mas devido ao excesso de atividades, ou influenciado pelo pessimismo das outras pessoas, acabei não conseguindo satisfazer essa vontade. Cheguei aos 39 anos e ainda não tinha carteira.

Até que em novembro de 2015, fui dar uma passeada no Shopping China, em Pedro Juan Caballero, no fim de semana do Motorcycle (encontro de motos aqui de Ponta Porã). Voltei decidido a tirar minha carteira e comprar a motoca.

No mês seguinte comprei uma Honda CB300 para aprender a andar e tirar a carteira. Posso falar que foi uma escolha acertada: moto relativamente leve e potência suficiente para quem não tem experiência. Enfim, ótima primeira moto. Apesar de tantas vantagens, faltava algo: comprei a moto com a finalidade de ir para a estrada e a CB 300 parecia que ia explodir quando andava a 120 km/h. O ponteiro do conta giros ficava muito perto do vermelho.

Viagem de moto para Foz do Iguaçu

No fim de agosto decidi que estava na hora de subir mais um degrau e decidi pegar uma Honda CBR 500R. Moto com motor suave, econômica, com alguma proteção aerodinâmica e faz ultrapassagens tranquilas. Enfim, passei para o 2º degrau.

Tendo contado um pouco da minha história, vamos para a viagem.

Era preciso fazer um planejamento detalhado da viagem, principalmente por causa do medo de ficar sem combustível pelo caminho. Quem conhece o Mato Grosso do Sul sabe que às vezes ficamos mais de 60 km sem posto algum na estrada.

Planejamento da estrada feito, era hora de acertar o que fazer em Foz do Iguaçu e aqui deixo uma dica para quem não conhece aquela bela cidade:

  • Cataratas do Iguaçu e Itaipu são indispensáveis para ver o quão perfeita é a natureza e a capacidade de construção do ser humano. Não tem preço;
  • Parque das aves para quem tem crianças é fantástico, tem um tucano que se amarra em foto;
  • Tem também o Museu de Cera (Dream Land) e os passeios internos no Parque Nacional do Iguaçu (Macuco Safári e passeio de helicóptero) que ficam a critério do gosto e do bolso de quem quiser.

Viagem de moto para Foz do Iguaçu

Viagem de moto para Foz do Iguaçu

Viagem de moto para Foz do Iguaçu

Esses são os passeios para o dia. À noite vale a pena cruzar a fronteira com a Argentina e ir jantar lá. Eu fui no A Piacere, um lugar espetacular. Tem também o Colors e Aqva que parecem ser do mesmo patamar.

Saí de Ponta Porã cedo, cerca de 7h da manhã, e segui em direção a Dourados, pois a MS 295, que passa por Amambaí tem um trecho horroroso, cheio de buracos e falta de asfalto.

Procurei abastecer a cada 200 km, em Caarapó (MS) e Guaíra (PR) e parando a cada hora aproximadamente para esticar as pernas e tomar uma água.

Planejei passar por Guaíra por volta do meio dia para almoçar e aí fica mais uma dica: restaurante Minas Brasil. Comida caseira, preço e atendimento ótimos. Fica entre o hotel dos Papagaios e a rótula de entrada da cidade.

Viagem de moto para Foz do Iguaçu

Seguindo viagem, parada quase obrigatória no pórtico de entrada da cidade de Marechal Cândido Rondon.

Viagem de moto para Foz do Iguaçu

Passando pela fronteira Oeste do estado do Paraná, passa-se por cidades muito bonitas, como Santa Helena, que tem um Balneário publico maravilhoso. Acabei parando mais vezes que o planejado para fotos.

Viagem de moto para Foz do Iguaçu

No Paraná pode rodar tranquilo, pois tem cidade a cada 15 km praticamente, então fica mais tranquilo quanto ao abastecimento e o asfalto também está muito bom, recheado de curvas. Para quem gosta é show.

Vi vários relatos e vídeos e pude sentir na pele o quanto chato é parar em pedágios: tira luva, abre bolso, tira dinheiro, recebe e confere troco, coloca luva e segue viagem.

Após aproximadamente 650 km rodados cheguei a Foz do Iguaçu. Interessante para quem não conhece, repassar o trajeto pelo Street View do Google Maps antes de ir para a estrada.

Fiquei dois dias em Foz e usei um dia para ir e outro para voltar. Foi um passeio maravilhoso, que espero seja o primeiro de muitos.

Não tive problemas, pois a moto é nova. Passei por vários motociclistas pelo caminho, sempre educados. Fui sozinho de moto e minha esposa seguiu de carro junto com minha filha. Entre ida e volta rodei aproximadamente 1300 km.

Fim de semana agora de 11 a 13 de novembro, tem mais uma edição do Motorcycle e estão todos convidados a conhecer nossa fronteira oeste.

Copyright˙© Viagem de Moto
Reprodução permitida, desde que informado o autor e inserido link para a página de origem.