Logo

Serra do Rio do Rastro e Rastro da Serpente

Viagem de moto Serra do Rio do Rastro

Nossa viagem começou em Betim (MG), no sábado, dia 16/04/16 e durou nove dias, durante os quais rodamos um total de 3.212 km. O período do ano foi escolhido para ficar entre o fim das chuvas no Sudeste e o início do frio nas Serras Catarinenses.

Os dias que antecederam a nossa partida foram marcados por várias reuniões maravilhosas, cada dia na residência de um casal. A curtição da viagem começava e a ansiedade só aumentava.

A viagem foi feita em três Harley-Davidson: Márcio Batata numa Electra e Robert Bodão e Milton Machado nas Heritages.

No primeiro dia saímos de Betim seguindo pela Rodovia Fernão Dias e depois pela Dom Pedro I até Itatiba (SP), onde fizemos nosso descanso no Hotel Pit Stop, depois de percorrermos 540 km. Boa opção pela localização e pela sua decoração, no estilo vintage, voltado para o automobilismo.

Viagem de moto Serra do Rio do Rastro

No dia seguinte descemos para Curitiba, passando pela estrada conhecida por Rastro da Serpente (SP-250/BR-476). Fizemos uma parada estratégica no Porthal Rastro da Serpente, em Capão Bonito, um bar temático para motociclistas muito bem montado, onde fomos bem recebidos e encontramos com outros motociclistas que também estavam curtindo aquele desafio.

Viagem de moto Serra do Rio do Rastro

Antes de partirmos e desafiarmos as 1.200 curvas em 280 quilômetros tivemos um pneu furado, mas como tínhamos ferramentas, compressor, reparador e câmara reserva, não tivemos dificuldades para resolver o problema e seguir viagem.

Muito bacana o trecho até Curitiba, mas nos primeiros 90 km até Apiaí (SP), o pavimento estava com muitos remendos e obras e foi preciso andar devagar. De Apiaí a Curitiba, com asfalto bom, foi só curtir as curvas. Foram 600 km nesse dia.

Viagem de moto Serra do Rio do Rastro

Percorremos os 300 km bastante movimentados da BR-101 até Florianópolis, onde encontramos nossas esposas Adriana, Bernardet e Keila, que foram de avião. Fizemos um tour pela cidade e conhecemos, além de Jurerê Internacional e outras belas praias, a diversidade da culinária da região, o distrito de Santo Antônio da Lisboa, região de cultura Açoriana, a Lagoa da Conceição e o Mercado Central, com destaque para o Box 32, onde comemos deliciosas ostras e outros frutos do mar. Conhecemos também a história do Manezinho da ilha, contada pelos nativos de Florianópolis.

Viagem de moto Serra do Rio do Rastro

Viagem de moto Serra do Rio do Rastro

O ponto alto da viagem foram os 281 km seguintes que incluíram a subida para São Joaquim pela Serra do Rio do Rio do Rastro, considerada pelo Jornal Britânico The Guardian como a quinta entre dez estradas de tirar o fôlego e um dos lugares mais espetaculares para se conhecer ao redor do mundo. Com muitas matas e cachoeiras, é um dos cartões-postais do estado. Localiza-se entre os municípios de Lauro Müller e Bom Jardim e fica a 1.421 m de altitude. O percurso da rodovia SC-390 é caracterizado por subidas íngremes e curvas fechadas, com vários grupos de motociclistas fazendo o percurso. Paramos nos mirantes para apreciar as paisagens e tirar fotos.

Viagem de moto Serra do Rio do Rastro

Viagem de moto Serra do Rio do Rastro

Viagem de moto Serra do Rio do Rastro

Viagem de moto Serra do Rio do Rastro

Em São Joaquim tomamos o tradicional café colonial, fomos à Festa Nacional da Maçã e tomamos os excelentes vinhos daquela região. Destaque para a educação e receptividade de todos com quem conversamos.

No dia seguinte retornamos para Florianópolis pelas belas paisagens da SC-416 e BR-282 (230 km). No mirante da chegada de Urubici, encontramos com outros grupos de motociclistas que subiam para São Joaquim e apreciamos o pinhão cozido, iguaria da região.

Em Urubici o Márcio Batata teve a oportunidade de relembrar o seu início de carreira como engenheiro e rever, inclusive, a simpática casa onde morou naquela cidade. Já em Florianópolis comemos a famosa sequência de camarão dos restaurantes da Lagoa.

Viagem de moto Serra do Rio do Rastro

Voltamos para Curitiba na sexta-feira do feriadão de 21 de Abril pela BR-101. A estrada estava com pouco movimento. Depois que chegamos fomos fazer um passeio e almoçar no tradicional Bairro de Santa Felicidade. Fomos também no Hard Rock Café Curitiba, um lugar muito bonito, que proporciona uma experiência única e vibrante aos fãs do Rock'n'Roll. Instalada no nobre Bairro do Batel, no coração da cidade e com capacidade para receber aproximadamente 360 pessoas.

Na manhã do Sábado, nossas esposas retornaram de avião e nós percorremos de moto até Betim, pela BR-116 e BR-381 com pernoite em Pouso Alegre, os 960 km finais desta maravilhosa viagem.

Copyright˙© Viagem de Moto
Reprodução permitida, desde que informado o autor e inserido link para a página de origem.