Estradas dos meus sonhos

Sou Alexandre Guimarães, o Xandão.

Mais um pouco do meu sonho de conhecer o meu país de moto realizado. Na minha primeira viagem longa, em 2010, eu saí de Betim / MG e fui até os Lençóis Maranhenses. No ano seguinte eu conheci o Jalapão e a Chapada dos Veadeiros. Em 2012 eu fui até Manaus, percorrendo a Transamazônica (BR-230) e a Rodovia Fantasma (BR-319). Em 2013 chegou a hora de conhecer um pouco do sul do Brasil!

Aproveitei o Salão 2 Rodas para conhecer as novidades do mundo motociclístico. Coloquei minha Yamaha Super Ténéré 250cc, a Vick, na estrada. Conheci o Marcelo Leite no stand da Touratech Brasil. O cara deu a volta ao mundo de motoca, uma inspiração a mais para seguir viagem e, quem sabe, um dia conhecer a África de moto. Lógico, após rodar o meu Brasil primeiro !!!

Estrada da Graciosa, Serra do Rio Do Rastro, Rastro da Serpente, Serra do Corvo Branco, Estrada para o Marumbi, Vale Europeu, Estrada da RibeiraSai na sexta-feira à tarde, tendo como destino Camanducaia, onde pernoitei. Segui no outro dia cedo para Caieiras em São Paulo, para visitar o meu companheiro da viagem do ano anterior pela Transamazônica, José Eugênio. No sábado, fomos visitar o Salão 2 Rodas, que loucura aquele lugar, cheio de mulheres lindas, shows, motos maravilhosas e encontrei vários amigos do VMAS, grupo de viagem de moto (viagens de moto America do sul).

No domingo cedo, segui para Curitiba. Fiquei na casa do meu amigo Márcio Camargo e aproveitei para trocar o meu pneu traseiro da Vick por um Mittas 07, na Motoriders, onde fui super bem atendido. Me deram várias dicas para o meu próximo destino. Segui para Morretes passando pela Estrada da Graciosa (PR 410). Que estrada maravilhosa, uma das mais bonitas que já passei. Na BR 101, você avista o portal da estrada e vai descendo sentido litoral, com varias curvas, orquídeas em todo o trajeto, mirantes e paradas para banho, barraquinhas com um delicioso caldo de cana e uma coxinha de aipim maravilhosa !! Cheguei à tarde em Morretes, mas já não dava tempo de subir uma trilha do Marumbi, na serra do mar !

Viagem de moto Serras de Santa Catarina

No dia seguinte acordei cedo, fiz uma mochila improvisada com a mala que levava na moto, coloquei alguns elásticos como alça, fiz o lanche de trilha e fui para a portaria do Parque Estadual Pico do Marumbi, por uma estrada margeando um belo riacho, com pedras soltas e alguns trechos técnicos e escorregadios, mas um visual incrível! Cheguei na portaria do parque, por volta das 10 horas da manhã, já tarde para subir para o pico mais alto, o Olimpo. Fui orientado a visitar o pico ABROLHOS, 2h30min de caminhada pesada. Resolvi encarar o trecho sozinho, pois era um terça-feira e não tinha nenhum montanhista no parque. Segui sozinho, passando por uma trilha bem demarcada, mas muito difícil, sobe o tempo todo. Para quem gosta de trekkings e caminhadas, achei muito mais difícil a subida do Marumbi do que pico da bandeira, agulhas negras e serra dos órgãos. Enfim, passei por vários trechos onde tinha que escalaminhar, passar por escadas de metal encravadas na rocha vertical, onde uma queda seria fatal, alguns trechos com correntes e cordas, tamanha a dificuldade. Consegui chegar quase ao topo, pois no final o tempo já estava fechado e fiquei preocupado por estar sozinho. Como não sou herói e gosto de respeitar os limites e os sinais da natureza, dei meia volta e retornei para a portaria do parque, satisfeito, mas com um gostinho de quero mais. Um dia voltarei para fazer outros picos e aproveitar mais o Marumbi !

Viagem de moto Serras de Santa Catarina

No 4º dia de viagem, segui para Joinville, passando perto de Paranaguá. Peguei uma balsa para Garuva, já em santa Catarina, onde fui visitar meu amigo da viagem de Transamazônica e Rodovia Fantasma, o Luis Carlos. Cheguei à noite e fui super bem recebido. Uma das grandes vantagens de se viajar de moto são as amizades feitas na estrada, que ficam para a vida toda e ser recebido na casa de um amigo, após milhares de quilômetros e perrengues na estrada, não tem preço !! Enfim, Luis me levou para conhecer a estrada da Dona Francisca, tomar café em um cidade do vale europeu e comer pastel delicioso na volta. Uma pena o tempo estar fechado. Como costumávamos brincar, aqui sem chuva é bonito demais (risos) ! Visitei também a casa do motociclista Rigon Hoch e sua esposa Marisa Ho simpática ao extremo, e peguei meu DVD Tri Partido !! ( Uma expedição pelos recantos da Bolívia e Peru ) .

Depois, segui viagem para Balneário Camboriú, passando antes na casa de praia na Barra do Sul do meu amigo Luis. Chegando em balneário, passamos pela avenida Beira Mar, tradicional point da cidade, mas ficamos hospedamos na casa de outro amigo da viagem da Transamazônica, o Claudio Teixeira ! Aproveitamos para visitar Blumenau e, por sorte do destino (risos) , era época da Oktorberfest. Que festa maravilhosa, mulheres lindas, pessoas com roupa típica alemã, varias lojas de souvenir e muitas barraquinhas de cerveja artesanal, chope e comidas típica. Eu me acabei. Ainda bem que contratamos um motorista para levar e buscar. Gostei demais da organização da festa, limpeza, música típica, os pavilhões com várias atrações ! um show de organização !

Voltei para Praia do Estaleiro, tomei café com meu amigo Toninho, na pousada Dona Ema, ótima opção para férias e finais de semana, pousada super bem localizada, com quartos novos e toda estrutura para receber os turistas, motociclistas e suas família .

Viagem de moto Serras de Santa Catarina

Segui sentindo Florianópolis, pois o próximo destino seria visitar a famosa Serra do Rio do Rastro, mas no caminho, avistei algumas motos de grande porte, as famosas big trail. Fiz o próximo retorno e fui perguntando para as pessoas onde as motos haviam seguido, por fim descobri o local, Curso de Pilotagem Big Trail Floripa, dos meus Amigos e motociclistas experientes Vantuir Bopre e Edson Mesadri. Fiquei muito feliz por participar um pouquinho do curso e ver as motos maravilhosas equipadas e a excelente estrutura do curso, com pista de treino, caixa de areia, salão com projetor, refeitório e um equipe nota 1000 . Um dia voltarei com minha big trail para fazer o curso !!

Segui viagem com destino a Criciúma, para visitar um amigo virtual, que me convidou para dormir na sua casa e que seguiria comigo para Serra do Rio do Rastro no outro dia. Fui novamente super bem recebido na casa do Marco Damázio. Fico impressionado como a moto abre portas e faz você conhecer pessoas maravilhosas que compartilham do mesmo sonho e ideal, rodar muitos quilômetros com sua moto pelas estrada mundo afora! Viajar fazendo parte da natureza!

Viagem de moto Serras de Santa Catarina

Seguimos para Orleans para tomar café na casa do vovozinha do Marco. Troquei o óleo da moto, porque já estava com mais de 2000 quilômetros até o momento e seguimos viagem para a tão esperada e famosa, Serra do Rio do Rastro, um trecho de 12 km com 250 curvas, vários mirantes, uma grande obra de engenharia que impõe respeito e medo pela estrada! Chegamos no mirante principal e os famosos quatis, sempre com fome, atacaram as pipocas que jogavam para eles. É proibido jogar alimentos, mas é irresistível brincar com os quatis. São meio que uma praga, se dar bobeira morde seu dedo (risos), mas é muito divertido!!

Depois, seguimos para o Restaurante Tropeiro, uma churrascaria no meio das Serras Catarinenses, onde comemos um delicioso churrasco e onde experimentei a famosa carne de ovelha, muito saborosa! Neste momento, começou uma chuva com muito vento. Ficamos presos no restaurante durantes 2 horas. Por fim, resolvemos sair.

Viagem de moto Serras de Santa Catarina

Meu amigo retornou para sua casa e eu segui viagem para Urubici. Que vilarejo mágico, o visual da parte de cima da cidade é linda, a cidade no fundo do vale, com um rio cortando, emocionante! Aproveitei e fui conhecer o Morro da Igreja e a Pedra Furada. Por sorte, consegui ver a pedra. Apesar do frio, neste local foi registrada a temperatura mais baixo no Brasil, 17,8 graus negativos! Naquele momento, eu, minha, moto, a pedra e Deus. Somente a gente ali, naquele lugar mágico, foi emocionante a sensação de dever cumprido. Na descida, ainda vi um coelho selvagem correndo a com medo da moto, percorrendo a margem da rodovia, saltando. Mais um momento mágico para guardar na memória.

Viagem de moto Serras de Santa Catarina

Para finalizar o dia, visitei a Serra do Corvo Branco, uma estrada que lembra a estrada da morte na Bolívia, outro momento memorável !!!

Voltei para Urubici, onde fiquei hospedado no Pousado das Flores do Marco Zilli, também motociclista, fotografo e chef de cozinha. Jantei um risoto e uma picanha maravilhosos e comecei meu retorno para Minas Gerais no dia seguinte.

Viagem de moto Serras de Santa Catarina

Passei pelo Vale Europeu na volta para Estaleiro, mais um trecho maravilhoso, passando por fazendas e plantações de pinha. Chegando a Navegantes, encontrei com um amigo e membro do meu moto clube, Micróbios do Asfalto. Dormimos na Praia do Estaleiro novamente. Segui viagem sentido Curitiba. Decidi passar pela Estrada da Ribeira, uma grata surpresa. Passei no famoso trecho do Rastro da Serpente, finalizando mais uma viagem de moto pelo Brasil, cheio de surpresas e realizando mais um sonho, conhecer a Serra do Rio do Rastro, Estrada da Graciosa, Serra do Corvo Branco, Rastro da Serpente e Vale Europeu !! quer mais ??? No ano que vem, Monte Roraima ou Pantanal !! E o projeto Brasil de moto continua!

Alexandre Guimarães ( Xandão na Estrada )

Deixar seu comentário

Postar comentário sem fazer login

0 / 2000 Restrição de Caracter
Seu texto deve conter 5-2000 caracteres
Seu comentário será enviado para moderação pelo administrador.

Conteúdo relacionado - Viagens pelo Brasil