Quem for descer a Serra do Rio do Rastro (SC-438), recomendo uma parada no mirante do topo da serra, que tem uma vista espetacular, tomar um chocolate quente na lanchonete (se estiver frio tem até lareira), bater um papo com a dona (filha do primeiro desbravador que fazia entrega de correspondências nos anos 40/50) e ouvir as maravilhosas historias da serra.

O Ivan, dono da pousada Rio do Rastro Resort em frente (basta atravessar com cuidado a rodovia é outro "must see" ou "must stay" porque a pousada é um charme só) fala poeticamente que a serra é como uma mulher bela, sensível e ao mesmo tempo temperamental (novidade, hem?). Quando está romântica ela se despe do seu vestido branco etéreo e se mostra sem pudor (a serração vai embora). Quando está de mau humor ela se retrai, se cobre com esse manto branco e, recatada, ninguém mais a vê.

À noite é um outro espetáculo: por ter iluminação pública, é como um colar de contas luminosas serpenteando sem fim... Valem as duas experiências! Quando fui pela primeira vez fazia 2 graus negativos em São Joaquim! Era mais de meia noite e só alguns malucos foram conhecer a serra (Ruy Barbosa, Sergio "Brasanitas", Wilmar e Vivi de Blumenau e eu).

Descendo, curta cada curva, pare para fotos nos locais apropriados (é tudo organizado e conta com lixeiras em cada ponto). Se houver caminhão em curva em sentido contrário, pare e espere porque eles são obrigados a usar as duas pistas.

Já no nível do mar chega-se em Lauro Müller.

Para a Serra do Corvo Branco (SC-439), um espetáculo à parte (uma das paisagens mais lindas que já vi!), andar 13 km na direção de Orleans, São Ludgero (+ 13 km) e Braço do Norte (+ 7,5 km). Entrar à esquerda em direção a Grão Pará (+ 15 km). Daí em diante são mais 30 km de estrada de terra com alguns trechos úmidos e muitos buracos o que dificulta muito para motos customs como nossas Harleys. Chegando ao pé da serra, apesar de o asfalto estar bem desagregado, é um alívio. É melhor que a terra e as paisagens são de tirar o fôlego. São um grande espetáculo e a serra sobe numa sequência de curvas 180 graus, quase na vertical, faceando paredões de rocha pura.

Tive que fazer subindo porque descendo, partindo de Urubici, o trecho de terra que antecede a descida estava muito molhado por conta da umidade que vem sempre da serra. Não fosse a experiência de off-road e traill que tenho, teria caído umas três vezes. Ou seja, não recomendo!

Chegando ao topo, uns poucos quilômetros depois, entre à esquerda na estrada do Morro da Igreja (na esquina tem uma vendinha com coisas da terra, muito bacana) e desfrute da super vista da Pedra Furada. IMPERDÍVEL.

Ah! Curta Urubici porque é um lugarejo super charmoso com excelentes restaurantes e pousadinhas!

Queria agradecer aos meus amigos Marilene Caixetinha, Ricardo Veado e Yáscara e Ivan e Neusa pela paciência em me esperar três horas entre subida e descida da serra, mas como disse pra turma, queria fazê-la por se tratar de foro intimo.

Agradeço também ao amigo Leonel e esposa, harleyros de Mato Grosso, pela preocupação "in loco" com minha aventura.

Comentários (8)

This comment was minimized by the moderator on the site

Parabéns pela viagem, agora fico com uma dúvida. Tenho uma fatboy e até hoje só fiz o trecho Curitiba-Florianópolis. Quero viajar entre o natal e ano novo, será que esse trecho é complicado visto que não tenho muita experiencia? Parabens pelo blog. Abs.

This comment was minimized by the moderator on the site

Caro amigo, se você pretente fazer o roteiro das serras, vai sentir um pouco de dificuldade. Se você vir pela BR 116, chegando em LagesSC- até ai tudo bem, de Lages você deverá seguir pela BR 282 até proximo a Bom Retiro, pegando para Urubici, passando pela serra do Panelão, bastante curvas, mas asfalto rasualvemente bom,. Em Urubici você deve visitar a Igreja Matriz que é muito linda, depois retorna até o bairro "Esquina", onde você vai pegar uma Rodovia Recem Inaugurada, muito boa, vai passar pela Cascata Véu de Noiva e Morro da Igreja, a subida é de concreto, mas no alto as imagens são espetaculares. (Pedra Furada). Descendo vocè vai pra Serra do Corvo Branco, novamente pela rodovia nove, até 5 Km do Corte principal, nestes cinco Kms, é bastante pedrinhas (Cascalho) solta. Descendo a Serra você vai pegar uma estrada de Chão (Tipo areião) até Grã Para, seguindo por (Asfalto) Orleaens, e Lauro Muller, onde da inicio a subida da Serra do Rio do Rastro, subindo o trajeto será Bom Jardim da Serra e São Joaquim. Aí você podera seguir novamente por Urubici, escelente rodovia, e pegar a BR 282 seguindo por Florianópolis, ou retornar por Lages. Espero ser esta a informação que precisava. abração.

This comment was minimized by the moderator on the site

Fernando, Acabei de passar por este trecho. Sai de Brusque em direção a Urubici. Enfrentei estrada de terra por botuverá (maldito GPS. Me fez andar 60km em + de 2 horas, porém com paisagens deslumbrantes!). Serra do Corvo estava visualmente coberta pela seriação, assim como a serra do Rio do Rastro. Uma pena. Mas fica o desejo de retornar pra curtir essa paisagem Linda. Depois de 15 rodando sozinho de sportster, tá na hora de voltar pra casa, rumo a presidente prudente. Forte abraço!

This comment was minimized by the moderator on the site

Caro Fernando Fatboy Obrigado pela oportunidade de relembrar o passeio noturno, que fizemos, pela Serra do Rio do Rastro-SC, com muito muito frio e garoa. Foi de fato uma aventura. Obrigado também pelo relato do passeio na Serra do Corvo Branco-SC. Quero, um dia, passar por lá. Um grande abraço Ruy Barbosa/BH

This comment was minimized by the moderator on the site

Parabens pela escolha do local, é muito lindo, já fiz este trajeto umas tres vezes, e sempre tem emoções. abração.

This comment was minimized by the moderator on the site

Valeu Aluísio!

This comment was minimized by the moderator on the site

Só uma dica pra quem for para essas Serras no inverno. Vá bem equipado pois o frio que faz nessas regiões de Lauro Muller, Orleans, Braço do Norte, Grão Pará, Bom Jardim da Serra, Urubici e São Joaquim, é extremamente congelante. A menor temperatura registrada no Brasil, ocorreu no belíssimo morro da igreja a uns 15 atrás e foi de 17° negativos. Então, proteção e muita atenção. Parabéns Fernando, o texto e as fotos ficaram excelentes.

This comment was minimized by the moderator on the site

Valeu Marco! Bem lembrado! Aliás por falar em frio, como disse um ex-governador de MG, a temperatura ideal é zero grau... ZERO GRAU? Como assim Sr. Governador??? É porque não tá frio nem quente... Abração!

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.