Colors: Cyan Color

De Guarulhos a Morretes

Partindo de Guarulhos (SP) na manhã do dia 22 de setembro, segui até Sorocaba (SP), onde encontrei o Marcos, que topou encarar a aventura comigo. Optamos por seguir através do Rastro da Serpente em toda a sua extensão, que seria um trajeto mais tranquilo que a Régis Bittencourt.

Aqui começa uma nova história. Eu fazia parte de um grupo com 4 motociclistas, que durante 4 dias viajaram juntos e se tornaram uma família. Em um determinado momento nós nos separamos e tomamos rumos diferentes: um foi para Florianópolis, dois para Curitiba e posteriormente para São Paulo e eu segui para Dionísio Cerqueira em Santa Catarina, na divisa com a Argentina, para percorrer as estradas daquele país.

Conversando com os amigos do moto grupo MigRiders, comentei sobre o meu desejo de conhecer a famosa Rastro da serpente, uma estrada que começa no estado de São Paulo e termina no Paraná. Como os amigos também se interessaram pelo lugar, combinamos que iríamos fazer essa viagem de moto durante um fim semana: sair em um sábado pela manhã, dormir no Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira - PETAR e voltar no domingo para casa.

Ando de moto desde os 6 anos e desde sempre fui apaixonado por motos, paixão motivada ainda mais porque minha família tem uma empresa no ramo de peças para motos. Quando fiz 19 anos acabei comprando minha Honda Shadow 600. Após 1 ano eu a vendi e recentemente comprei uma Harley-Davidson Dyna Super Glide Custom 2011, moto que sempre foi meu sonho de consumo.

Para aproveitar o feriado de Tiradentes, eu e mais cinco amigos decidimos pegar estrada rumo à Serra do rio do Rastro, passando também pelo Rastro da Serpente e o litoral de Santa Catarina.

Saímos de Jacareí, interior de São paulo, no dia 21 de Abril em seis motos: Eu com minha Shadow 750, Heleno com sua midnight preta, Willian com a midnight azul, Plinio com uma NC700, Wendel e João em duas XRE 300.

Antes de relatar minha primeira viagem de moto, gostaria de contar um pouco da minha história. Sempre tive vontade de ter uma moto, mas devido ao excesso de atividades, ou influenciado pelo pessimismo das outras pessoas, acabei não conseguindo satisfazer essa vontade. Cheguei aos 39 anos e ainda não tinha carteira.

Nasci no Paraná e fui morar em São Paulo quando tinha 2 anos de idade e há 3 moro em Vinhedo. Desde que me conheço por gente eu ia para a casa de minha avó em Bandeirantes (PR). Como infelizmente ela sofreu um derrame e estava morando com meu tio, resolvemos que colocaríamos a casa do Paraná à venda, pois ficaria vazia e abandonada. Eu era o único da família que poderia tirar uns dias de folga para a tarefa da venda da casa. Além disso, de moto sai muito mais barato viajar. Mas na verdade eu estava adorando a tarefa. Tantas vezes fui para o Paraná e agora iria de moto, isso estava sendo o máximo para mim.

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.