Entrar

9º dia - Puerto San Julián - El Calafate

Viagem de moto pela Argentina - Patagônia

Saímos de Puerto San Julián pela ruta 3 com o objetivo de ficar em El Calafate por duas noites e conhecer o Glaciar Perito Moreno.

No posto de serviço da cidade de Cmte. Luiz Piedra Buena, encontrei o mineiro de Juiz de Fora Rogério, que estava também viajando solo. Trocamos cartões, e-mail e telefone. Viajamos juntos até Rio Gallegos, de onde ele seguiu para Ushuaia e eu fui para El Calafate.

Tivemos que entrar em Rio Gallegos para abastecer a moto, porque já havíamos percorrido 225 km desde que abastecemos pela última vez e da rotatória até o próximo posto, em Esperanza, eram 150 km, totalizando 375 km, no limite da autonomia da moto e nós não poderiamos correr esse risco.

Como sempre, o vento forte estava presente, porém já estava acostumado com ele e suas peripécias, mas fomos surpreendidos ao seguir pelas Rutas 5 e 40, sentido Esperanza, quando nós deparamos com um tipo de vento que ainda não conhecíamos, tão forte que havia placa de sinalização. Percebemos que a intensidade aumenta a partir das 10 horas e do meio dia até às 16 horas a sua intensidade dobra. Vi um motociclista numa Honda Falcon 400 que parou com medo e não conseguiu sair do lugar, por ter que conduzir a moto muito inclinada e não ter "perna e braço" para seguir em frente. Considero esse trecho o de maior intensidade de vento de toda a viagem. Vale um alerta para quem for passar por aqui nesse horário. Inclusive o vento feriu a garupa, mesmo estando ela equipada de forma adequada, com capacete justo e balaclava.

Chegamos a El Calafate por volta das 17h10 e foi emocionante, uma conquista. Mas foi preciso procurar Hotel, devido ao que havia reservado pelo site Booking não ter "cochera", e ser longe do centro (tudo bem diferente do que estava registrado no site). Alem disso não havia confirmação da reserva na recepção do hotel, mesmo havendo confirmação por e-mail. Foi a nossa sorte. Achamos o Hotel Patagon, com estacionamento fechado, acomodações excelentes e pertinho do centro, sendo possivel passear a pé e por um preço justo. Além disso, por regra geral, a moto fica guardada durante as estadias.

Um detalhe observado foi que ao pagar a conta do jantar o nosso cartão de crédito (e de todos os clientes) davam erros, questionei e informaram que era problema do posicionamento do satélite que está na linha do equador e a cidade fica muito ao sul, o que dificulta a transmissão de dados. Essa dificuldade de utilização do cartão de credito foi observado em toda a cidade, no entanto é possivel pagar com Real e Dolar, além da moeda local.

A cidade de El Calafate é muito aconchegante, limpa, hospitaleira e tranquila. Com uma população variável devido ao turismo e ser o local preferido pelos que trafegam na Ruta 40 Sul.

Um pouco de cultura:

O nome El Calafate vem do arbusto Berberis microphylla, que nasce na região. É uma pequena cidade em franco desenvolvimento turístico, oferecendo boa estrutura hoteleira, um aeroporto moderno e ótima opções de turismo.

Localizada na província de Santa Cruz na Argentina, próximo à fronteira com o Chile. Dista cerca de 320 quilômetros da capital provincial, Río Gallegos. É a cidade mais próxima do Parque Nacional Los Glaciares, a cerca de 80 quilômetros, onde localiza-se a maior geleira em extensão horizontal do mundo: o Glaciar Perito Moreno. Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Geleira_Perito_Moreno.

Trajeto: Cmte. Luiz Piedra Buena, Rio Gallegos, Esperanza e El Calafate.
Distância percorrida no dia: 692 km
Postos de Abastecimento: Cmte Luiz Piedra Buena, Rio Gallegos, La Esperanza, El Calafate
Rodovias: Rutas 3, 5, 40 e 11 em excelente estado.
Hotel: Hotel Patagon - Muito bom, com "cocheira" privada, não coberta

Comentários (3)

  1. Edmilson Freitas

Mas é isso Severino, parabéns a você e sua esposa pela viagem. É uma coisa que marca a gente e sempre queremos mais. Acredito que como eu, muitos quando estão voltando para casa já se veem pensando na próxima. Por falar em próxima, desejo a vocês muitas emoções que com certeza virão.
Atenciosamente,
Edmilson

  1. Edmilson Freitas

Prezado colega, é muito valioso esse seu comentário a respeito do vento terrível naquela região entre Esperanza e El Calafate. Ano passado eu e minha esposa passamos momentos de pavor nesse trecho, com o vento arrastando minha moto para o acostamento como se ela fosse de isopor. O desespero batia quando a moto ia chegando na beirada do asfalto, daí fazia um esforço descomunal para voltar para o meio da pista, um sufoco. O mais interessante é que na volta não encontramos vento nenhum, estava uma calmaria perturbadora. Pensei... será que a coisa funciona como no Tsunami, onde o mar recua e depois vem com força cruel!!!

  1. Severino Felix    Edmilson Freitas

Caro Edmilson, sobre o vento, observei que até às 10h ele está brando, aumentando de intensidade quando se aproxima das 13h e volta a diminuir a partir das 17h. No Glaciar Perito Moreno encontrei vários viajantes de "Motorhome" que confirmaram a teoria, de forma que Eles evitam viajar no horário de pico, preferindo viaja a tardinha para noite. Como o "motorhome" é no formato de caixa (e vazia) o vento joga-o para fora da pista e em alguns casos e época do ano pode até virar. De moto haja braço... e não deve parar e se parar não sai, devemos continuar a viajem. Quanto ao colete, o vento arrancou as faixas da parte de tras, tive que costura-las, quando paramos no posto de serviço em Esperanza.

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização