Paraty - A viagem

Enfim, no dia 14/03/2011 partimos de Itanhaém – SP (onde zeramos o hodômetro parcial) em direção a Paraty – RJ, mas, com algumas escalas: decidimos visitar o Santuário de Aparecida na região de Guaratinguetá – SP.

Partida de Itanhaém - SP 1ª parada para descanso de 20 min em SP Distância percorrida - aproximadamente 115 km

Depois de uma esticada nas canelas e de ver o Sol nascer em meio à subida da serra entre Cubatão e São Bernardo do Campo, seguimos em direção ao merecido café da manhã em Jacareí, via rodovia Presidente Dutra. Uma dica é seguir pela rodovia Ayrton Senna até a rodovia Carvalho Pinto, e de lá acessar a rodovia Presidente Dutra. Você vai evitar uma quantidade imensa de caminhões, ainda mais se for em uma segunda-feira pela manhã, como foi o nosso caso.

Parada para abastecimento e merecido café da manhã Muitos caminhões nesta rodovia Distância percorrida de Itanhaém até Jacareí - 190 km Abastecimento - 12,980 litros Consumo - 14,5 km / litro

A rodovia Presidente Dutra se encontra em muito boas condições, principalmente no trecho após Jacareí até o Santuário de Aparecida, onde pegamos a primeira missa do dia ao vivo na TV Aparecida. Fizemos nossas orações e seguimos viagem em direção a Taubaté. Isto mesmo, Taubaté.

A idéia era seguir até Guaratinguetá e de lá em diante seguir a rodovia SP-171, a chamada Cunha – Paraty, porém esta estrada, conhecida também como Estrada Real ou Rota do Ouro, estrada histórica usada para trazer o ouro extraído de Ouro Preto – MG no século XVIII para o porto de Paraty – RJ para que fosse enviado para a Europa, estava em péssimas condições e tem um trecho de mais ou menos 13 km de chão batido que fica para uma outra viagem (quem sabe com uma Big Trail para alguma montadora ou revista especializada, uma Super Ténéré não ia doer nada).

De Jacareí até aparecida tivemos o pior consumo - 11,2 km / litro Provavelmente o vento contra forte Reabastecemos e seguimos em direção a Ubatuba pela maravilhosa e sinuosa estrada que liga São Luiz do Paraitinga a Ubatuba Distância percorrida até a entrada da SP-125 - 300 km

Seguimos então até Taubaté onde abastecemos e depois seguimos em direção à Rodovia Osvaldo Cruz (SP-125). Meu amigo, vou te contar, esta estrada tem as melhores vistas panorâmicas que já vi neste Brasil. Além disso, as curvas que fazem ela desembocar em Ubatuba são sensacionais e fazem-nos reduzir a velocidade até quase parar a moto para concluí-las. Espetacular!

Em Ubatuba só paramos para conferir o GPS durante uns cinco minutos e tocamos pela BR-101 sentido Rio de Janeiro. Já estávamos ansiosos pela vista do litoral norte e chegada ao sul do Rio. A BR-101 também estava em ótimo estado, por incrível que se pareça. Não sofremos com o desconforto e nem com a falta de preparo físico. Temia por minha esposa que sofresse muito na garupa, mas não aconteceu. O pior incômodo foi nossa bagagem, que era mochila nas costas bem à moda antiga, coisa que não faremos mais; É muito mais viável enviar tudo via sedex direto para o destino e depois despachar de volta. Já fiz uma vez e vou começar a usar sempre, um bauleto muda completamente a geometria da moto, o que mudaria muito o visual dela.

André Santos – Elisabete Novais.
ALS ADVENTURE
A VIDA SIMPLES E COM MAIS PRAZER.

Deixar seu comentário

Postar comentário sem fazer login

0 / 2000 Restrição de Caracter
Seu texto deve conter 5-2000 caracteres
Seu comentário será enviado para moderação pelo administrador.
  • Nenhum comentário encontrado

Conteúdo relacionado - Viagens pelo Brasil