Entrar

Lost Island Expedition

  • Categoria: Rio de janeiro
Viagem de moto até o Rio de Janeiro

Meu objetivo era conhecer dois destinos muito conhecidos do Estado do Rio de Janeiro com a minha “Grampola”, uma Yamaha Fazer 250cc: Ilha Grande e Paraty. Meu percurso era simples: Belo Horizonte, Santos Dumont, Angra dos Reis (Ilha Grande), Paraty, Trindade e depois retornar para Santos Dumont e finalizar em Belo Horizonte.

Uma viagem é sempre uma aventura, mas uma viagem de moto é sem dúvida uma aventura que nos exige bem mais preparo e disposição. Sobre duas rodas a exposição a riscos é contínua, mas em contrapartida somos contemplados com belas paisagens e uma sensação de liberdade sem igual.

Chegou o grande dia: no dia 08 de janeiro saí de Belo Horizonte por volta de 10 horas rumo a Santos Dumont. Um percurso de 217 km pela BR 040 com a qual já estou acostumado, pois sempre vou para a casa dos meus pais de moto. De 08 a 14 foi o período de ajustes finais para a segunda etapa da viagem, pois realizei a troca do pneu traseiro da moto, instalação de um carregador de bateria USB para o celular e mais alguns ajustes finais que garantiram uma viagem tranquila. Feito isto, a minha “Grampola”, uma Yamaha Fazer 250cc ano 11/12, estava pronta pra enfrentar o asfalto.

Viagem de moto até o Rio de Janeiro - Ilha Grande e Paraty
Tudo preparado e conferido para pegar a estrada

No dia 14, dando prosseguimento ao trajeto, saí de Santos Dumont por volta das 06h15 rumo a Angra dos Reis. Como era um percurso de aproximadamente 330 km eu não me preocupei em sair tão cedo, afinal de contas eu estava de férias e pressa era a última coisa que eu tinha.

Moto na rodovia BR 040 novamente e por volta das 07h20 eu cheguei à divisa de Minas com o Rio, na altura da cidade de Comendador Levy Gasparian.

Viagem de moto até o Rio de Janeiro - divisa dos estados na BR 040
Primeira parada: divisa dos estados na BR 040

Logo à frente eu saí da BR 040 e entrei na BR 393 na cidade de Três Rios. Uma rodovia que até então era desconhecida por mim, mas pude verificar que está muito bem conservada. Daí pra frente passei por algumas cidades como Paraíba do Sul, Vassouras (onde fiz uma pausa para o café e dar uma esticada nas pernas) e Barra do Piraí. Depois da BR 393, hora de pegar a RJ 145 passando por Santanésia e Piraí até Passa Três, onde o trajeto era continuado pela RJ 139 até o trevo que dá acesso a Volta Redonda/Barra Mansa ou Angra dos Reis/Rio Claro pela BR 494 já por volta das 11 horas.

Viagem de moto até o Rio de Janeiro - Volta Redonda / Angra dos Reis
Volta Redonda / Angra dos Reis

Seguindo viagem passei por Rio Claro e logo após pelo distrito de Lídice onde fiz uma breve parada para o almoço. Dali pra frente seria uma das partes mais esperadas da rodovia que é o trecho da belíssima Serra D’água com cerca de 27 km até a BR 101. Do alto da serra dá para avistar a baía de Angra dos Reis, contudo o tempo estava nublado e eu não pude contemplar tal visão. Em contrapartida passei por três túneis escavados na pedra nas décadas de 20 e 30, calçados por paralelepípedos, sendo que no último há duas quedas d’água em sua entrada (sentido Angra dos Reis) o que faz ele se destacar dos demais. Uma atração à parte da Serra D’água que merece ser prestigiada por um bom motociclista a bordo de sua máquina.

Viagem de moto até o Rio de Janeiro - Rio Claro com Angra dos Reis
Entrada do primeiro túnel na divisa de Rio Claro com Angra dos Reis

Viagem de moto até o Rio de Janeiro - Rio Claro com Angra dos Reis
Saída do primeiro túnel

Viagem de moto até o Rio de Janeiro - Rio Claro com Angra dos Reis
Entrada do segundo túnel passando por reformas

Viagem de moto até o Rio de Janeiro - Rio Claro com Angra dos Reis
Entrada do terceiro túnel com uma bela cascata

Chegando a Angra fui logo procurar um estacionamento que me passasse confiança, afinal de contas minha Grampola ficaria ali por 5 dias... Depois de algumas voltas pela cidade procurando, achei um na Rua Prof. Lima, na altura do nº 115, ao custo de R$20,00 a diária, e foi lá mesmo que deixei, pois a moto ficaria bem protegida. Indico a todos que um dia por acaso precisem. Dali pra frente seria de barca para Ilha Grande onde não é permitida a entrada de veículos particulares

Depois de 5 dias em Ilha Grande aproveitando as belas praias, caminhadas por trilhas na mata, passeios de lancha, aprendendo um pouco sobre a história e cultura do local e o que de melhor a natureza pode nos oferecer, hora de voltar para Angra dos Reis e dar continuidade na viagem.

No dia 19 de janeiro acordei cedo e às às 10 horas embarquei para Angra dos Reis. Busquei a moto no estacionamento, dei aquela conferida em tudo, amarrei toda a bagagem, jaqueta, colete, luvas, capacete e “pé na estrada”. Um belo trecho de 96 km da Rodovia BR 101 passando pela Usina Nuclear de Angra 1 até Paraty onde fiquei por mais 6 dias.

Viagem de moto até o Rio de Janeiro - Angra dos Reis a Paraty
BR 101 – Angra dos Reis a Paraty

Vale ressaltar que Paraty é uma cidade de belezas e valores históricos inimagináveis. Suas ruas de pedras irregulares, casarões e igrejas juntas ao mar dão à cidade um toque especial. E eu como bom mineiro e amante da história do período colonial, fiquei vislumbrado com tamanha riqueza. Recomendo a todos conhecerem a belíssima Paraty.

Viagem de moto até o Rio de Janeiro - Igreja de Santa Rita - Paraty
Igreja de Santa Rita

Viagem de moto até o Rio de Janeiro - Paraty
Igreja de Nossa Senhora dos Remédios e o canal que corta a cidade

Viagem de moto até o Rio de Janeiro - Paraty
Antigo casarão no centro histórico

No penúltimo dia da estadia fui conhecer o tão famoso vilarejo de Trindade. Peguei a moto no estacionamento do hostel por volta de 11 horas e depois de uns 45 minutos pela BR 101 sentido Ubatuba cheguei ao trevo que dá acesso ao vilarejo de Trindade.

Viagem de moto até o Rio de Janeiro - Trindade
Quase no trevo que dá acesso a Trindade

Passei o dia pelas belas praias de Trindade e pude ver de perto o porquê de muitos amigos me indicarem o vilarejo como destino, pois de fato é um belo lugar que merece ser visitado várias vezes, pois inúmeras são suas atrações entre praias, cachoeiras e trilhas. Impossível conhecer tudo em apenas um dia.

Viagem de moto até o Rio de Janeiro - Trindade
Chegando a Trindade

Viagem de moto até o Rio de Janeiro - Trindade
Rio que desagua na Praia do Cachadaço em Trindade

De volta a Paraty, descansei para no dia seguinte enfrentar os 447 km que me levariam de volta até a cidade de Santos Dumont. Chegou a hora “mais triste” da Lost Island Expedition, hora de ir embora. Digo triste porque viajar é sempre bom e eu queria ter mais tempo para esticar a viagem por outros cantos do estado de São Paulo, como Ubatuba, por exemplo, mas fica para uma próxima trip.

Tudo conforme planejado, só faltava chegar a Santos Dumont para cumprir a primeira etapa do retorno e aproveitar para matar a saudade da família. Saí de Paraty às 10h30 e peguei a RJ 165, a famosa estrada Paraty-Cunha que transpõe o Parque Estadual da Serra da Bocaina, situado na Serra do Mar. Uma bela serra que merece ser apreciada. A estrada que a atravessa tem aproximadamente 23km de extensão até a divisa dos estados do Rio de Janeiro com São Paulo.

Viagem de moto até o Rio de Janeiro - Serra do Mar
Depois de subir parte da Serra do Mar

Daqui em diante a viagem foi tranquila e eu não parei em muitos lugares para fotografar. Saí da RJ 165 e entrei na SP 171 passando por Cunha e logo após cheguei à BR 116 (Rodovia Presidente Dutra), na cidade de Guaratinguetá. Daqui pra frente passei por Cruzeiro, já na SP 052 e na divisa de São Paulo com Minas Gerais

Viagem de moto até o Rio de Janeiro - Serra da Mantiqueira
Entrando nas Minas Gerais pela Serra da Mantiqueira

Viagem de moto até o Rio de Janeiro
Parada para “abastecimento”

Entrei na MG 158 passando por Pinheirinhos, Passa Quatro - onde parei para almoçar em um restaurante às margens da rodovia - logo após Pé do Morro e Itanhandu na Serra da Mantiqueira. BR 354 em Pouso Alto e Caxambu, BR 383 na altura de Baependi, BR 267 por Bom Jardim de Minas, Lima Duarte, Orvalho, Valadares, Penido e finalmente chegando à BR 040 em Juiz de Fora. Daí pra frente o caminho é bem conhecido e por volta das 18 horas, após passar por Ewbank da Câmara, cheguei a Santos Dumont.

O corpo pedia descanso, mas a mente exalava paz, relaxamento e uma sensação inexplicável de leveza... Tudo que umas férias tem que proporcionar para que possamos voltar “à ativa” com as baterias recarregadas!

Depois de dois dias de descanso na casa de meus pais era hora de voltar para Belo Horizonte e retomar a vida real. Foram mais 217 km pela BR 040 onde finalizei a Lost Island Expedition no dia 26 de janeiro com 1.213 km percorridos em 19 dias de viagem.

Foi a primeira viagem de moto que fiz sozinho. Claro, que no início bateu aquela dúvida quanto à necessidade de uma companhia, afinal de contas eu estava indo para lugares totalmente desconhecidos por estradas ainda não percorridas. Mas no final deu tudo certo e eu só tenho uma coisa a dizer: valeu a pena e eu faria (farei) tudo de novo!

Comentários (17)

  1. CARLOS H C LACERDA

Felipe, parabéns pela viagem e pelo roteiro de sucesso. Sou de bhte tb e ja vinha pensando nesse roteiro a tempos mesmo sem moto. Mas tempo passa e vou fazer essa trip de moto começando semana que vêm. Só mudei um pouquinho o roteiro pra fazer a viagem render. Procurando relatos o seu caiu...

Felipe, parabéns pela viagem e pelo roteiro de sucesso. Sou de bhte tb e ja vinha pensando nesse roteiro a tempos mesmo sem moto. Mas tempo passa e vou fazer essa trip de moto começando semana que vêm. Só mudei um pouquinho o roteiro pra fazer a viagem render. Procurando relatos o seu caiu igual uma luva pra mim, obrigado por compartilhar sua experiência inspiradora.
Se não for te incomodar queria seu contato pra te pedir umas dicas pra trip semana que vem sem lotar os comentários aqui hehehe.

Grande abraço.

Ler Mais
  1. Elço

Fala Ribas (motociclista viajante), gostei muito do relato desta viagem. Paraty é uma cidade linda que conheço de carro. Agora que comprei minha moto, estou planejando voltar de moto, porém, pretendo fazer um roteiro passando pelas cidades históricas de MG (caminho Imperial) até Paraty. Fiquei...

Fala Ribas (motociclista viajante), gostei muito do relato desta viagem. Paraty é uma cidade linda que conheço de carro. Agora que comprei minha moto, estou planejando voltar de moto, porém, pretendo fazer um roteiro passando pelas cidades históricas de MG (caminho Imperial) até Paraty. Fiquei muito animado com seu passeio. abraço

Ler Mais
  1. Felippe Ribas    Elço

Bom dia, Elço!

Elço, antes de planejar e fazer esta pequena viagem eu também me inspirei e peguei boas dicas com os relatos do pessoal aqui da página, então quis compartilhar minha viagem para também inspirar outras pessoas, e que bom que está dando certo!
Realmente Paraty é uma bela cidade....

Bom dia, Elço!

Elço, antes de planejar e fazer esta pequena viagem eu também me inspirei e peguei boas dicas com os relatos do pessoal aqui da página, então quis compartilhar minha viagem para também inspirar outras pessoas, e que bom que está dando certo!
Realmente Paraty é uma bela cidade. Pra quem gosta do litoral e de cidades históricas, diria eu que é o lugar perfeito!
Eu pretendo um dia fazer o Caminho Velho da Estrada Real também, pois pelo que já pesquisei é um belo roteiro pra se fazer de moto. Quando for, tire bastante fotos e depois relate sua viagem para nós também.
Sucesso e felicidades com sua moto e boas estradas!
Abração!

Ler Mais
  1. Williambraga

Parabéns companheiro belo passeio e bela narrativa. Estou saindo logo logo num passeio desses.

  1. Felippe Ribas    Williambraga

Boa tarde, William Braga!

Obrigado, amigo! Vá com segurança e curta cada momento da sua viagem. Depois, se der, relate-a para nós!
Forte abraço e bons ventos!

  1. José

ola., companheiro., vc. é de atitude corajosa e aventureiro., eu gostei de seu relatório, narrando o seu passeio de ferias., eu também gosto de andar pelas estradas , sou motoqueiro há vários anos, comprei uma "Shadow 600", com a qual vou iniciar pequenas viagens. Que é meu sonho, andar por...

ola., companheiro., vc. é de atitude corajosa e aventureiro., eu gostei de seu relatório, narrando o seu passeio de ferias., eu também gosto de andar pelas estradas , sou motoqueiro há vários anos, comprei uma "Shadow 600", com a qual vou iniciar pequenas viagens. Que é meu sonho, andar por essas estradas sem destino."Valeu" vá enfrente, nas asas da liberdade. abs. sou de Curitiba-Pr.

Ler Mais
  1. Felippe Ribas    José

Boa tarde, amigo José!
Eu queria muito ir e, mesmo sem a companhia dos meus amigos do nosso motoclube, eu me arrisquei. Foi a primeira viagem que fiz sozinho, e, ainda que não tenha sido uma viagem muito longa, foi uma boa experiência. Viajar sozinho é conhecer e compreender seus próprios...

Boa tarde, amigo José!
Eu queria muito ir e, mesmo sem a companhia dos meus amigos do nosso motoclube, eu me arrisquei. Foi a primeira viagem que fiz sozinho, e, ainda que não tenha sido uma viagem muito longa, foi uma boa experiência. Viajar sozinho é conhecer e compreender seus próprios limites, recomendo a todos!
Tem muito relato bacana aqui na página, recomendo como uma ótima fonte de inspiração para suas mototrips!
Grande abraço!

Ler Mais
  1. André Vale de Salles Andrade

Legal. Realmente essa serra que desce de Lídice, com o visual de Angra, é show de bola! Fiz a minha mototrip em setembro (dá uma conferida: http://viagemdemoto.com/viagens-pelo-brasil/3406-brasilia-paraty-estrada-real) e voltei no tempo vendo o seu relato. Muito legal. Parabéns!

  1. Felippe Ribas    André Vale de Salles Andrade

Fala comigo, André!!!

Cara, eu me inspirei em vários relatos do pessoal aqui da página também, e nada mais justo que relatar minha breve experiência para inspirar outros motociclistas também. Vou lá verificar sua trip, afinal é sempre bom ler relatos de viagens.
Abraço, amigo!

  1. Andarilho

Muito boa sua viagem Felippe; gostei mesmo... inspiração para mim que nunca estive nessa região; valeu!
Meu blog de viagens: http://andarilhoexpedicoes.blogspot.com.br/

  1. Felippe Ribas    Andarilho

Bom dia, Andarilho!

A viagem não foi tão longa, mas como ainda sou aspirante no ramo, conclui ela com êxito e a experiência foi sem igual. Quanto a região, eu recomendo e muito... Boa estrada e visual sem igual. Vou conferir seu blog!
Grande moto abraço e boas trips!

  1. Adriano Oliveira

Ola meu amigo Felippe, parabéns pela trip e pelas fotos... fiz a viagem que vc fez ao contrário com minha esposa em nossa Fazer 250 blue flex 14/15, tbém publiquei aqui no site o título é litoral norte de são paulo, vc me deixou com vontade de fazer essa viagem descendo pela estrada que passa...

Ola meu amigo Felippe, parabéns pela trip e pelas fotos... fiz a viagem que vc fez ao contrário com minha esposa em nossa Fazer 250 blue flex 14/15, tbém publiquei aqui no site o título é litoral norte de são paulo, vc me deixou com vontade de fazer essa viagem descendo pela estrada que passa por Lidice e voltando pela Rio/Santos... obrigado pelas dicas e pelo depoimento detalhado... um grande moto abraço.

Ler Mais
  1. Felippe Ribas    Adriano Oliveira

Bom dia, meu amigo Adriano!
Desculpe pela demora. Imagino que a viagem ao contrário também deve ser bem legal, depois vou verificar a postagem da sua viagem. Sobre a serra em Lídice, eu recomendo passar por ela de preferência em um dia ensolarado, pois certamente o visual será outro.
Forte...

Bom dia, meu amigo Adriano!
Desculpe pela demora. Imagino que a viagem ao contrário também deve ser bem legal, depois vou verificar a postagem da sua viagem. Sobre a serra em Lídice, eu recomendo passar por ela de preferência em um dia ensolarado, pois certamente o visual será outro.
Forte abraço e boas trips, amigo!!!

Ler Mais
  1. André Ramon

Shooowwww de trip!!!
Parabéns pela viagem, relato e fotos...
Eu tbm curto d++++ uma motoviagem e, na maioria das vezes, tbm vou com Deus e mais ninguém... Geralmente minha esposa vai de avião e nos encontramos pra curtir o lugar onde estamos...
Cara, essa região que vc foi está na minha "alça de...

Shooowwww de trip!!!
Parabéns pela viagem, relato e fotos...
Eu tbm curto d++++ uma motoviagem e, na maioria das vezes, tbm vou com Deus e mais ninguém... Geralmente minha esposa vai de avião e nos encontramos pra curtir o lugar onde estamos...
Cara, essa região que vc foi está na minha "alça de mira" já faz um tempo... Vários amigos me falam de Paraty, Angra e adjacências e agora, com seu relato, estou ainda mais instigado a conhecer de perto essas maravilhas de lugares...
Mais uma vez: Shooooowwwww!!!!
Valeu d++++ camarada por dividir conosco sua trip, suas visões e emoções!!!
Grande "motoabraço", muita saúde, sucesso e bastante kms de alegrias e histórias boas pra contar...

Ler Mais
  1. Felippe Ribas    André Ramon

Valeu André Ramon!!!
Viajar acompanhado é ótimo, mas sozinho, ou melhor, na companhia apenas de Deus, não é das piores também. Foi a primeira vez que fui sozinho e não me arrependi.
Cara, esse trajeto realmente foi bem legal e eu recomendo ele para todos que pensam em rodar por aquelas bandas. A...

Valeu André Ramon!!!
Viajar acompanhado é ótimo, mas sozinho, ou melhor, na companhia apenas de Deus, não é das piores também. Foi a primeira vez que fui sozinho e não me arrependi.
Cara, esse trajeto realmente foi bem legal e eu recomendo ele para todos que pensam em rodar por aquelas bandas. A única coisa que não ajudou muito foi o clima, pois em janeiro eu peguei alguns dias de chuva e a maioria do tempo o tempo estava nublado, mas ainda sim fiquei encantado com todas as paisagens pelas quais pude passar. Recomendo demais, amigo! Você não irá se arrepender!
Qualquer coisa estou no facebook: Felippe Ribas, se precisar de mais dicas ou informações, estou ai para ajudar.
Motoabraço pra você, tudo de melhor e ótimas trips!!!

Ler Mais
Seja o primeiro a comentar este artigo.
Carregar Mais

Deixar seu comentário

Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização