De Porto Velho ao Fim do Mundo

De Porto Velho ao Fim do Mundo

Estamos, eu e minha esposa Elielza, a uma semana do início da viagem a Ushuaia. É um grande sonho que pretendemos realizar, com precaução e prudência, afinal, serão 20.000 Km de rodovias, estradas, ruas e avenidas de inúmeras cidades desse "pequeno" continente.

1º dia - Porto Velho/RO - Vilhena/RO

IMG 0338Dando prosseguimento ao texto escrito semana passada, agora vou relatar o diário dessa viagem. Pretendo mostrar de forma resumida o que puder e estiver ao meu alcance, pois o espaço generoso que o ViagemdeMoto.com nos proporciona é precioso. E claro, não fazer o leitor se entediar com longos textos.

Em cada dia da viagem será apresentado um pequeno relatório, independente de que tenha havido ocorrência ou não. Para ilustrar o mesmo, além de servir de informações para futuros viajantes, pretendo fazer uma planilhinha de custos, como gastos com combustível, hospedagem, alimentação, manutenção da moto e despesas diversas como pedágios, água, uma cervejinha (que ninguém é de ferro - somente em pernoites com dois dias ou mais, ou seja, quando não precisar viajar no dia seguinte)

2º dia - Vilhena/RO - Cuiabá/MT

Hoje saímos de Vilhena, última cidade de Rondônia no sentido Sul e rumamos para Cuiabá, já com a certeza de que iríamos enfrentar longas filas de caminhões na BR 364/174. Temendo essa dificuldade, tomei a decisão de mudar um pouco a rota planejada.

Nas proximidades da cidade de Comodoro, já no Mato Grosso, desviei um pouco, saindo do traçado planejado e seguindo por uma estadual (MT-255) até Campo Novo dos Parecis. Embora tenha rodado mais quilometragem, pelo menos não pegamos alto tráfego nesses 220 km de rodovias mato-grossenses.

3º dia - Cuiabá/MT - Campo Grande/MS

Saímos de Cuiabá cumprindo o horário planejado, 6 horas (horário britânico) e rumamos para a Chapada dos Guimarães, passando por Campo verde e Primavera do Leste. Isso fez aumentar o percurso em 150 km, porém foi compensador, pois evitamos o desgastante trecho de 200 km até Rondonópolis. Para quem não conhece, na época da colheita da safra de soja, esse pedaço se torna o maior fluxo de carretas numa rodovia brasileira, ou seja, um inferno na forma de caminhões.

4º dia - Campo Grande/MS - Cascavel/PR

IMG 0342Pessoal, continuamos avançando rumo ao Sul, agora com o objetivo da pernoitar em Cascavel/PR, mas sempre sob forte calor. Quando cai uma chuva, ela é sempre bem-vinda, afinal, quem está na estrada (agora rodovia) é pra se molhar.

Como minha reserva num hotel de Cascavel foi cancelada sem motivo aparente (coisa de terceiro mundo), tive que procurar outro na entrada, e claro, de acordo com meu orçamento, já que numa viagem longa, o custo tem que ser reduzido justamente nas cidades que servirão apenas como pernoite. Fazendo isso, pode-se exigir mais conforto nas cidades planejadas para passeios, como se sabe, são sempre de 2 dias ou mais.

6º dia - Boa Vista da Aparecida/PR - Santa Maria/RS

Bem, hoje é domingo e continuamos cumprindo fielmente meu horário britânico, afinal, tem agendado na Concessionária Azzurra a revisão da Mid, que será feita nesta segunda.

Aqui vamos passar dois dias, com isso vou poder fazer mais uma corridinha de 10km, quem sabe até um passeio nas redondezas (alguém dá uma dica?). Já passamos várias vezes por aqui, mas sempre pernoitando, por isso não conhecemos nada dessa região rio grandense.

7º dia - Santa Maria/RS - Montevidéu/Uruguai

Saímos de Santa Maria cedo, pois queremos passar pela fronteira em Chuí durante o dia. Nossa intenção é pernoitar no Uruguai, apesar de não termos nenhuma cidade planejada para isso. Em travessia de fronteiras nunca se sabe quanto tempo demora, daí a decisão de não marcar uma cidade para dormir.

Depois de passar por várias cidades Uruguaias, todas pequenas, resolvemos que iríamos pousar em Montevidéu, cidade grande, bons Hotéis, reveillon digno de cidade desse porte. Ledo engano, chegamos por volta das 9h30min e a cidade estava apagada, digo morta, ou quase. Tudo estava fechado, bares, restaurantes, lanchonetes.

8º dia - Montevidéu - Buenos Aires

Ano novo, vida nova, cidade nova, tudo novo, até a energia perdida nesses últimos oito dias, suprida com um brinde de champanhe Argentina no Ferryboat da Buquebus.

Pois é galera, cedo como sempre, tratamos de alcançar Colônia del Sacramiento, sempre acompanhados pelo amigo catarinense João Markus e sua Ténéré. Agora vai ficar mais tranquila a nossa viagem, pois uma boa companhia por essas bandas é sempre bem-vinda.

Chegamos em Colônia bem na hora da partida do ferryboat, quase não houve tempo para embarcar, a pressão era enorme. O navio já havia levantado âncora quando colocamos as motos no compartimento de carga (Ferryboat, navio de passageiros e transporte de veículos, que faz a travessia da Foz do Rio de la Plata, ligando a cidade Uruguaia a Buenos Aires).

9º dia - Buenos Aires - Bahia Blanca

Erramos o fuso horário, na Argentina o horário é uma hora a menos que no Uruguai, então fomos pegar as motos no estacionamento muito cedo, às 5 da manhã e, com muita ansiedade, afinal estaríamos rumando para a Patagônia, região muito famosa por suas belezas naturais e que é a porta de entrada para Fim do Mundo.

Mas as coisas não saíram como imaginávamos, na hora que estacionamos as motos em frente ao hotel, notamos um forte cheiro de gasolina. Uma revisão minuciosa e descobrimos que um dos carburadores da Super Ténéré estava vazando gasolina, sem no entanto acharmos por onde. Claro, tivemos que esperar a concessionária Yamaha abrir para tentar descobrir a causa. Pessoal, tem um detalhe muito interessante: tudo isso sob um forte temporal que durou a manhã toda.

10º dia - Bahia Blana - Puerto Madryn

IMG 0401A viagem para Puerto Madryn foi na mais absoluta tranquilidade. O frio que temíamos não veio e o dia foi muito agradável. Nesse momento que vos escrevo, tem muito sol, inclusive com alguns banhistas se divertido nas águas azuis e geladas dessa costa.

O dia seria perfeito se não tivesse acontecido um imprevisto: fui sacar pesos no caixa eletrônico e tive a desagradável surpresa de saber que havia restrição para fazer saques, tanto num banco como no outro. Engraçado é que venho pagando quase tudo ao longo da jornada com cartão de credito. Contactei com a porcaria do Banco Itaú e até agora não me responderam. Com a merda do Banco do Brasil nem sequer consegui contato, o telefone toca, toca e toca, mas ninguém atende (telefone 24 horas a disposição do cliente que está no exterior).

Conteúdo relacionado - América do Sul