PHDs do gelo

Atacama 59

Após dois dias sem rodar, colocamos novamente as Harleys na estrada. Saímos às 7h30min manhã de San Pedro de Atacama com bastante frio. Fomos com nossas motos em direção a Calama, importante cidade do norte do Chile, onde existe a maior mina de cobre do mundo. Na paisagem, apenas a vasta beleza das montanhas do deserto.

Atacama 46

Saímos às 5 horas da manhã para um tour até os Geiseres del Tatio, uma das principais atrações da região de San Pedro de Atacama. A viagem até o local durou 1h40min. Chegamos ao Parque e nosso guia, Senhor Panda, nos guiou pelo local explicando a história do lugar. Estava 7 graus abaixo de zero. Segundo o Sr. Panda, a temperatura está muito boa para a época, porque deveria estar por volta de 15 abaixo de zero.

Atacama 30

Este foi o primeiro dia da viagem sem rodarmos com nossas motos. Estávamos muito cansados da travessia da Cordilheira. Pela manhã, fizemos câmbio para o peso chileno. Aceitavam tanto dólares quanto reais na troca, sem muita diferença. Nos chamou a atenção não haver quaisquer seguranças nas casas de câmbio que, aliás, também comercializavam artesanato local. Muitas coisas em cobre e roupas típicas.

Atacama 18

Dia realmente de paisagens alucinantes na Cordilheira dos Andes e de um pouco de sofrimento para chegar ao Deserto do Atacama, mas acabou bem e estamos super animados com a nossa viagem de moto até o momento.

Saímos de Purmamarca um pouco mais tarde, por volta das 10 horas da manhã. Agora éramos três grupos de motociclistas nos cruzando no caminho. A dupla que ia para o Canadá e três argentinos de Resistência que estavam fazendo o mesmo trajeto que o nosso.

Atacama 15

Talvez um dos dias mais interessantes até agora em nossa viagem de moto em direção ao Deserto do Atacama. Grandes mudanças de paisagem, vegetação e clima acorreram em um mesmo dia.

Tomamos um excelente café da manhã no Hotel Gualok, excelente hotel a um preço incrivelmente baixo. Montamos nas motos e saímos às 8h30min do hotel.

Atacama 12

Após uma Parillada Argentina regada a vinhos em Posadas, dormimos pouco para podermos discutir no café da manhã qual será o nosso destino amanhã. Queríamos chegar o mais perto possível de Salta, mas percebemos que somente conseguiríamos chegar a Presidente Roque Saenz Peña, a apenas 500 km de Posadas. Isto porque os quase 600 km entre Posadas e Salta não apresentam infra-estrutura para dormir (pelo menos de nosso conhecimento e das pessoas que consultamos).

Atacama 09

Eu acordei um pouco mais cedo e, como bom apaixonado por Harley, fui dar uma geral na moto. A temperatura estava em 6 graus em Foz. Tomamos um excelente café da manhã no hotel, que é muito bom. A impressão que deu foi que ele deve ter reinado na cidade a uns 40 anos atrás. Antigo, mas mantém a majestade com um bom preço.

Atacama 04

Acordamos cedo  e tomamos um bom café da manhã às 6h30min no hotel. Não estava chovendo, mas havia muita neblina e as ruas estavam todas molhadas. Maringá e uma cidade muito boa e bonita. Ruas e calçadas largas e excelente estrutura urbana.

Atacama 02

Saída de Pouso Alegre conforme previsto às 6h30min da casa do Alberto, em uma manhã fria. De certa forma começamos já testando o frio da viagem. Na região de Cambuí pegamos 5 graus e eu e o Alberto sentimos muito frio nas mãos.

Atacama 01

Serão pelo menos 9.000 Kms percorridos entre Brasil, Argentina, Chile e Uruguai. Considerando que o percurso cruza duas vezes a cordilheira dos Andes em pleno inverno, batizamos o grupo de PHDs do Gelo. Haverá frio e por isso monitoramos constantemente a situação dos pasos fronteiricos.

Página 2 de 2

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.