Entrar

15º dia: Viña del Mar - Mendoza

  • Categoria: PHDs do gelo

Atacama 96

Após três agradáveis dias em Viña del Mar e Valparaiso, ficamos sabendo pela Roxane, que ligou para os Carabineros, que hoje o Paso Los Libertadores abriria.

Ela nos preparou um café da manhã com todo carinho e ficava conversando conosco toda alegre enquanto arrumávamos as bagagens. Tirou fotos com todos, das motos, do Max com bandeiras da Argentina (a terra natal dela - Cordoba). Nos despedimos e partimos.

Saímos às 8 horas da manhã para podermos curtir o visual desta estrada. Além do mais, teríamos que passar pelas aduanas do Chile e Argentina e, como estávamos escolados, devido à demora no Paso Jama, resolvemos chegar com tempo de folga para os trâmites.

Ao começarmos a viagem em direção ao paso, nos deparamos com uma quantidade enorme de caminhões, muito provavelmente represados pelos dias de fechamento da estrada. Mas moto é moto, passamos facil! Até os Carabineros nos apoiaram nas ultrapassagens (hehe).

Visual realmente de tirar o fôlego. As montanhas e as margens da estrada estavam cheias de gelo das nevascas dos dias anteriores. Por sorte, não estava tão frio assim, apesar da neve. Pegamos temperatura mínima de 2 graus positivos desta vez! Verão perto dos 9 graus negativos do Paso Jama. Percorremos todo o trajeto, passando pelas famosas curvas dos Caracoles, o Tunel Cristo Redentor e chegando à Aduana.

https://vimeo.com/98705044

Passando na Aduana, fizemos um trâmite tranquilo e saímos rapidinho. Parecia ótimo. Entretanto, 17 km à frente, fomos parados por um controle da Gendarmeria (policia Argentina) que nos informou que faltavam "carimbos". Tivemos que voltar e acertar. Vale aqui a dica. Não são dadas muitas orientações. Certifique-se de que tenha feito tudo perguntando.

Descemos a cordilheira no sentido Mendoza. A neve foi aos poucos acabando e dando lugar a imensas montanhas e muita rocha. O visual continuava incrível ao passarmos pelos diversos tuneis na descida, cravados na própria pedra da montanha. Ao nosso lado, um pequeno rio, fruto do degelo, ia nos acompanhando. Mais adiante nos deparamos com um imenso lago.

Demos uma parada em um restaurante, Los Patos, a uns 100 km de Mendoza e comemos a nossa melhor carne até então. Show! Inclusive aceitaram nossos ultimos pesos chilenos neste restaurante argentino. Fim do nosso estoque de grana chilena!

Chegamos a Mendoza depois de percorrer 450 km e fomos direto para a rua principal da cidade, Rua San Martin. Pegamos um hotel bom ali perto, fizemos câmbio rapidinho, pois o dia seguinte era domingo e fomos jantar acompanhados de um Malbec de Mendoza.

Decidimos neste jantar que não iriamos a Buenos Aires e Punta del Leste. A viagem já estava grande, tínhamos visto muita coisa e fazer o roteiro Buenos Aires e Uruguai na volta e cansados, nos faria não aproveitar o que estes locais tinham a oferecer. Afinal de contas, sempre haverá uma próxima viagem! Desta forma, combinamos de ir a Rosario, segunda maior cidade argentina, distante 900 km de Mendoza. Inclusive chegariamos no dia da estreia da Argentina na copa na cidade onde nasceu seu jogador mais ilustre, Messi.

Algumas fotos na sequência.

Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização