No último dia de percurso pela Carretera Austral, o caminho passou a margear um belíssimo lago de águas azuis. Tratava-se do lago General Carrera, na XI Região do Chile, cujas belezas vão além daquilo que os olhos conseguem enxergar a partir da beira da estrada.

Durante um breve passeio de barco por suas águas, um lugar impressionante acabaria se revelando, um lugar que resolvi chamar de "a montanha de mármore".

Eis que o lago vem surgindo. E vai aos poucos revelando sua grandiosidade. É o mais profundo da América do Sul, com até 590 metros de profundidade.

Suas águas são compartilhadas entre Argentina e Chile. No Chile é conhecido como Lago General Carrera, enquanto que na Argentina recebe o nome de Lago Buenos Aires.

Cercado pela cordilheira dos Andes, é um lago de origem glacial, o que explica seu azul intenso.

Até a construção da Carretera Austral, o lado chileno do lago permaneceu isolado, sendo somente acessado a partir da Argentina. A estrada permitiu, portanto, a “conexão” do lago com o resto do país, expandindo o turismo na região, exatamente como ocorreu com os demais vilarejos mostrados nas partes anteriores.

O clima nas redondezas é frio e ventoso. Ventos fortes muitas vezes tornam a navegação perigosa, mesmo para grandes embarcações.

Lá adiante, a montanha parece flutuar por sobre as águas. Pequenas cavernas começam a surgir.

Ao longo de muitos séculos, a água foi polindo a rocha, criando cavernas e grutas com paredes que vão desde o mais puro branco até o cinza, passando por tons rosados, azuis e amarelos.

O local se assemelha a um pequeno labirinto, onde o barco precisa se apertar para entrar. Em algumas partes, as rochas apresentam um acabamento mais rústico, com menos polimento. E outros locais, o acabamento é classe A.

Catedrais e capelas: as maiores formações são conhecidas como Catedrales de Mármol. As menores, Capillas de Mármol. Uma diocese completa.

O retorno foi divertido: o vento forte levantava ondas que faziam a lancha saltar. A única preocupação era a de proteger a câmera conta um banho indesejado. Mas ela sobreviveu. Contente pela captura destas imagens, retorno até a moto e sigo meu caminho. A montanha de mármore fica para trás.

Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.