Esse dia seria chato, mas saí cedo da cidade, já abastecido. Notei que subindo pela Ruta 3 a Ténéré perdeu potência e eu imaginei que poderia ser por causa do vento. Em Aca Garayalde já estava na reserva com apenas 160 km rodados (problema grave). Imaginei que fosse nafta batizada e que agora iria melhorar.

Que nada, foi a mesma coisa até o próximo posto. Abasteci em Trelew na reserva, mas a duvida ainda pairava: o que fazer para resolver? Nos quilômetros adiante eu tentei imaginar soluções e lembrar o que eu li e de como funcionava a injeção eletrônica da moto.

Lembrei de uma solução drástica, pois a moto se comportava como se estivesse afogada, consumindo muito e com baixa potência. Eis a solução (não recomendo a quem não quer assumir o risco), desligar a moto em movimento e fazer com que o combustível excedente seja eliminado pelo vácuo do motor virando engrenado na 5ª marcha, assim “desafogando” ou desobstruindo caso estivesse algo ali no corpo de injeção. Como iria desligar a injeção o motor não receberia combustível, logo tudo que estivesse ali sairia. Arriscado a dar um erro fatal no Windows? Era isso ou procurar um mecânico no meio do nada. Fiz o processo a 100 km/h. Desliguei a ignição e fui até a moto quase parar, liguei e ela voltou no “tranco” e fui calculando a média, já de início, vi que a potência melhorou. Logo após isso a moto começou a fazer 29 km/litro. Problema resolvido? Parece que sim. Nos quilômetros seguintes, a autonomia se manteve e pude me acalmar com o problema.

Chegando a Bahia Blanca estava chovendo em uma noite bem feia e a cidade não me agradou. Achei um hotel, mas foram meio receosos comigo por eu estar de moto. Me hospedei é o que importa.

Percorridos 1100 Km

Comentários (2)

This comment was minimized by the moderator on the site

Parabéns pela grande viagem!!!

This comment was minimized by the moderator on the site

Caro Fernando,

Seu relato é importantíssimo para encorajar os demais motociclistas que pretendem um dia se aventurar por onde andaste.
Além disso, demonstraste que não é necessário uma enorme moto para poder se aventurar pelo mundão...
Boa sorte, GRANDE MOTOCICLISTA!
Grande abraço!

Agnaldo

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Motos Adventure - expedição de moto pelo mundo

Livro sobre viagem de moto até o Atacama