América do Sul de NX350 Sahara

Inspirado em livros de viagens de moto pela América do Sul, o motociclista mineiro Wladimir Rocha resolveu fazer uma viagem com uma Honda XN 350 Sahara com 25 anos de uso. Durante 25 dias ele percorreu 10.500 km de estradas do Brasil, Peru, Bolívia, Argentina e Paraguai com sua moto.

10º dia de viagem - Machu Picchu

Como bom mineiro, não podia perder o trem, que às 06h10, pontualmente, partiu. Peguei o expedition da PeruRail. Muito confortável, cadeiras em disposição de 4 com mesa ao centro, janelas amplas e janelas panorâmicas no teto, serviço de bordo com um lanchinho e decoração das paredes do vagão com motivos incas.

11º dia de viagem - Ollaytamtambo - Puno

Parti de Ollaytamtambo ainda com as imagens da Cidade Sagrada dos Incas na cabeça. Nunca mais vou esquecer Machu Pichu, onde passei umas seis horas. Um lugar mágico, místico e com uma energia que mexe com você. Foi fantástico.

12º dia de viagem - Lago Titicaca - Puno - La Paz

"Kamizarake, ualaki" (algo como: bom dia, estou bem, na língua dos Uros).

Acordei cedo para um bom café, uma olhada na Capitão América, a troca da lâmpada de farolete e conferência do óleo. Tudo ok. Às 9 horas a agência veio ao hotel me buscar para o tour até as ilhas de Uros, que fica no lago Titicaca. O passeio foi em uma van com holandeses, canadenses, colombianos e peruanos. Seguimos até o porto, onde tomamos um barco pequeno com capacidade para 20 pessoas.

13º dia de viagem - La Paz

Foi um dia de descanso e passeios pela cidade de La Paz, após mais de 5 mil km (5.618 km) rodados de moto. Precisava de um dia de descanso, afinal de contas, são minhas férias.

14º dia de viagem - La Paz - Potosí

Conforme planejado, acordei bem cedo, fiz checkout, montei a bagagem na moto e só então vi que tinha um carro me fechando na cochera (garagem) do hotel. Pedi para manobrar e fui tomar café. Voltei do café e o carro ainda estava lá. Era de um senhor Argentino, hospedado no hotel e que ainda estava dormindo. Com isso, só consegui partir de La Paz às 7h30. A temperatura estava em 8ºC.

15º dia de viagem - Potosí - Uyuni

Quando acordei a temperatura em Potosí estava em 2 graus. Mesmo com aquecedor no quarto isso é frio pra caramba (risos). Tomei um bom café, fiz checkout e montei a bagagem na moto. Decidi fazer um ajuste na posição do pedal de câmbio da moto, e isso levou aproximadamente uma hora, por causa da dificuldade em retirar o pedal para reposiciona-lo.

16º dia de viagem - Salar de Uyuni

Acordei tranquilo, sem despertador, para um dia que seria de muita aventura e de realização de um sonho: andar de moto pelo maior deserto de sal do mundo, o Salar de Uyuni, que fica a 3.600m de altitude na Bolívia.

17º dia de viagem - Uyuni - Tupiza

Antes de partir de Uyuni, resolvi lavar a moto para retirar o sal do deserto. Aproveitei para fazer câmbio de bolivianos e comprar umas barras de cereais para a estrada. Dei um volta pela cidade fora do circuito turístico, fui ao mercado municipal e andei por ruas secundárias. Mesmo com todo o movimento do turismo, ainda existe muita pobreza na cidade.

18º dia de viagem - Tupiza - San Salvador de Jujuy

A idéia era partir bem cedo da cidade de Tupiza rumo a San Salvador de Jujui (se pronuncia rurui). Estava preocupado com os trâmites de imigração e aduana, principalmente a saída da Bolívia e posteriormente de entrada na Argentina, na cidade de La Quiaca. Quando saí do centro de Tupiza e cheguei à carretera, ela estava fechada pela polícia local, pois estava para começar uma prova ciclística de velocidade, que duraria aproximadamente uma hora e não havia nenhum outro caminho alternativo para sair da cidade. O jeito foi esperar.

19º dia de viagem - San Salvador de Jujuy - Monte Quemado

Acordei no pior hotel de Jujuy e dei um jeito de sair logo dali. Não havia desayuno e, como era domingo, não encontrei muita coisa aberta na cidade. Por sorte, achei próximo uma espécie de sacolão, onde comprei umas frutas que deram um ótimo café da manhã.

Conteúdo relacionado - América do Sul