Moraes de Alemida, PA a Guarantã do Norte, MT - 490 km

Sem noticias dos companheiros de viagem, segui em frente. Sai às 8h, mas o céu estava dando sinais de que viria muita chuva. Forcei um pouco a média, para sair logo daquela região.

Em um desvio para esquerda, no retorno para a pista normal, onde eu estava vindo a 70 km/h dou de cara com um chão compactado, liso, molhado e com um pequeno degrau na pista, instantaneamente o pneu dianteiro perdeu aderência. Foi uma queda forte, mas como eu estava em pé, não fiquei embaixo da moto, que deslizou por mais de 100 metros, e deu um giro de 180 graus. Quando ela parou eu estava de joelhos, assustado. Olhei se não havia nenhum veiculo por perto e fiquei ali parado por uns 3 minutos. Um motorista de um caminhão que estava parado no sentido contrário veio até mim, perguntou se estava tudo bem e me ajudou a colocar a moto em pé. Empurrei ela para a lateral da estrada, tirei algumas fotos, re-arrumei minha bagagem e segui meu caminho. Graças a Deus e o equipamento, sai sem nenhum arranhão. Minha filosofia quando em moto é: se equipar para cair, e pilotar para não cair.

Uma pequena parada embaixo de uma ponte para tomar uma agua, que mais parecia chá de tão quente, e logo eu estava em Guarantã do Norte, MT, 60 km depois da fronteira com o Estado do Pará e onde termina definitivamente a estrada sem pavimentação, ou seja o inicio do asfalto.

Avistei uma grande loja de moto a Guarantã motos, uma loja com estrutura completa. Tirei os pneus de trilha, os garrotes e as câmaras grossa. Os pneus de trilha dei pro mecânico, os garrotes para outro e as câmara grossa, trouxe pra casa. Ainda lavaram a moto, repuseram um raio quebrado da roda traseira e reaperto geral dos raios das 2 rodas. Recomendo a todos que estejam iniciando ou terminado o percurso que usem esta oficina nota 10.

Ainda antes de terminarem o serviço fui até um hotel que fica a três quadras da oficina, Hotel Esplanada, muito bom, ao preço de R$ 60 o quarto individual. Ao chegar no hotel, andando naquele sol escaldante, senti os primeiros sintomas da desidratação extrema, pois estava com uma diarreia forte a sete dias. Para minha sorte na frente do hotel tinha uma farmácia com um bom farmacêutico que me aconselhou alguns remédios. No mesmo dia tomei 4 litros de soro repositor por via oral, mais um remédio para infecção intestinal e um repositor da flora intestinal.

Busquei a moto no fim da tarde, fui tomar um caldo de galinha e voltei pro hotel me sentindo bem tonto.

Revisao R$ 60,00 Caldo de galinha R$ 8,00

Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.