Entrar

De Vitória a Fortaleza pelo litoral

Viagem de moto pelo Nordeste do Brasil

Em meados de abril/maio de 2013, tivemos a informação que o padrinho da minha noiva assumiria o Circulo Militar de Fortaleza (CE). Militar de carreira, ele vive naquele sofrimento de morar dois anos em cada lugar. Quando recebi a notícia da então noiva e hoje esposa, falei meio que em tom de brincadeira. “May, porque a gente não vai à passagem de comando de moto?”. Apesar dela já ter feito algumas viagens dentro do sudeste com o pai e depois comigo (dei sorte, filha de motociclista já estava acostumada a ser garupa quando a conheci), nunca tinha feito uma viagem com tanta duração.

A minha maior viajem de moto tinha sido de Vitória (ES) a São José do Rio Preto (SP) cerca de 2400 km (ida e volta) e a maior dela em torno de 500 km. Sendo assim, fazer esse trecho do nordeste em pleno janeiro, totalizando quase 6300 km seria um desafio.

Quando realmente decidimos que não iriamos perder a chance de ir até Fortaleza de moto, resolvemos passar pelo litoral, tanto na ida quando na volta. Eu só conhecia até Itacaré na Bahia (e recife, mas de avião não vale) e ela só tinha ido até arraial d’ajuda também na Bahia. A primeira coisa que fiz foi comprar um kit de mala lateral da GIVI, aquelas de 35 litros, pois não aguentava mais arrarar e desamarrar alforje de lona (o saco mesmo era encapar a moto com medo de arranhar... dono chato, fazer o que?) tinha recém trocado a moto, saindo de uma FZ6 com quase 100 mil km passando pra minha primeira carenada, uma GSX 650F. Por causa do conforto, resolvi experimentar e me adaptei muito bem, apesar dos meus 1,90 m a bolha realmente ajuda nas viagens.

Compradas as malas, veio a fase do medo de ficar perdido. Serão 26 dias na estrada sozinho com a noiva. Teste bom pra casamento é esse... como a minha não reclamou, acabei casando. Comprei um GPS Duas Rodas, com head fone, à prova d’água, próprio pra moto. Volto a falar dele mais à frente.

Como iríamos sozinhos e em janeiro pro nordeste, parando em lugares turísticos, resolvemos reservar todos os hóteis, com exceção de Fortaleza onde teríamos apoio. Se por um lado temos o risco de surgir algum imprevisto e não conseguir chegar a tempo e perdermos alguma diária, tivemos a vantagem de conseguir bons hotéis, com preços melhores do que os praticados na hora. Confesso que ainda não tenho opinião formada a respeito do que é melhor, reservar ou resolver na hora. Pretendo ir ao Uruguai e Argentina em breve e farei no modo easy rider, sem reservas e no próximo relato digo o que prefiro.

GSX pronta, kit de malas instalados, arrumamos as tralhas nos bauletos laterais, na mala tanque e plugamos o GPS.

Dica 1: não coloque sacola plástica na parte de baixo do bauleto que fica ao lado do escape, a noiva derreteu uma e colou em algumas blusas entre Vitória e Itacaré (BA).

Fiz o roteiro sempre tentando deixar espaço entre os dias de estrada, para descanso e para conhecer os atrativos locais. Afinal, andar de moto é bom, mas não pode perder a chance de conhecer o que tem além da estrada.

Marcadores Nordeste Brasil Suzuki

Comentários (0)

Não existem comentários postados aqui ainda.

Deixar seu comentário

Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização