Rota Nordeste

O motociclista mineiro Sérgio Adriano relata a viagem de 7.000 km em 17 dias com sua Yamaha Fazer 250 cc pelas estradas de sete estados brasileiros com o objetivo de visitar o Nordeste, suas praias e atrações maravilhosas.

Rota Nordeste

Enfim, férias... Depois de dois anos trabalhando, chegaram as tão merecidas férias.

Agora, descansar, ficar em casa, dormir, ver TV e ficar na net o dia todo...

Como assim??? Espera um pouco, tem algo errado aí;

1º dia - Borda da Mata - Campanário

Após uma noite mal dormida, acordei as 04h30min da manhã. Uma ducha rápida para despertar, me equipei e saí às 5h15min de casa. Minha previsão de muito frio e neblina não se confirmou pra minha sorte, fazendo com que o primeiro trecho até a capital mineira pela Fernão Dias, sem transito carregado, rendesse bem.

2º dia - Campanário - Porto Seguro

Saí às seis e meia de campanário rumo a Teófilo Otoni. Transito tranquilo na BR-116 e depois na BR-418 até Nanuque, com exceção de um ou outro caminhão e carros de moradores locais. A rodovia é bem deserta, inclusive sem opções de parada, a não ser de um posto entre Teofili Otoni e o trevo de Carlos Chagas e um outro no referido trevo, nenhuma outra opção de parada até Nanuque, sugerindo que já deve sair abastecido de T. Otoni para seguir em frente.

3º dia - Porto Seguro

Após uma quase noitada com os novos amigos em Arraial D'ajuda, levantei às seis horas da manhã, tomei um café e segui para Porto Seguro, fazendo travessia de balsa (custo de R$ 9,50) para um City Tour nas praias e centro histórico. Em seguida fui para Santa Cruz de Cabrália e depois retornei para Arraial D'ajuda, fazendo novamente a travessia de balsa, mas dessa vez me cobraram R$ 4,50 de passagem. Ao questionar a diferença de preço, me informaram que haviam me cobrado como preço de morador (ou seja, turista paga mais caro, um absurdo na minha opinião, mas não me incomodei com isto, afinal, estava de férias).

4º dia - Porto Seguro - Nazaré

O dia começou um pouco tenso, pois minhas intenções de acordar às cinco horas da manhã e sair às seis não ocorreram, perdi a hora. Além disso, fui acordado com o alarme da moto, que disparou sem motivo aparente.

5º dia - Nazaré - Salvador

Levantei logo cedo e, após tomar café, segui para Itaparica 60 km adiante, para pegar ferry boat e fazer a travessia para Salvador. A travessia durou em torno de uma hora, com uma bela vista de Salvador.

6º dia - Salvador - Aracajú

Após levantar e acomodar as coisas na moto, sai com destino a Sergipe, para aproveitar cedo o dia que começava com chuva. Peguei a avenida da orla até chegar à rodovia BA-099, Rota Turística Linha Verde ou Estrada do Coco.

Chegando à praia do Forte, por volta das oito horas, fui visitar o projeto TAMAR e me informaram na portaria que só abririam os portões a partir das 8h30min, que até as 9 horas a entrada era livre e a partir desse horário seria cobrado R$16 pela entrada. Não perdi tempo e fui lá conferir o projeto.

7º dia - Aracaju - Maceió

Completando nesse dia uma semana de viagem, acordei bem cedo e segui com destino ao município de Itabaiana no Sergipe, para uma visita ao Parque dos Falcões. Contudo, ao chegar no local, fui saber que o mesmo só estaria aberto para visitações a partir das 9 horas. Decidi então não esperar e segui viagem rumo a Alagoas pela BR-101, indo para o município de Neópolis, Sergipe, para fazer a travessia de balsa para o município de Penedo, Alagoas.

8º dia - Maceió - Recife

Domingo. Acordando logo cedo em Maceió, sai do Hostel às 6 horas da manhã com destino a Maragogi.

Minha previsão de gastar em torno de duas horas para chegar foi por água abaixo com a perda de sinal do GPS em algum lugar e, pra ajudar, a falta de placas em alguns trevos dificultaram meu deslocamento rumo ao norte do estado.

9º dia - Recife- Natal

Logo cedo, sai de Recife rumo a Natal, meu tiro final rumo ao norte. Entretanto, na BR-101 até a capital do Rio Grande do Norte, a rodovia esta duplicada e a moto parecia flutuar na pista. Logo eu já estava na divisa com o estado da Paraíba.