A caminho do Nordeste

1º dia - Belo Horizonte/MG - Janaúba/MG

DSC02711Estou de novo na estrada em uma viagem de moto e, desta vez, para conhecer um pedaço do Nordeste. Vou até uma pequena cidade perto de Fortaleza/CE, onde me encontrarei com minha família, que irá para lá de avião dentro de alguns dias. Antes de encontrá-los, vou passar por Lençóis, na Chapada Diamantina. Se o incêndio que está ocorrendo na Chapada não impedir, pretendo conhecer algumas das paisagens daquele bonito parque nacional.

Estrada

2º dia - Janaúba/MG - Lençóis/BA

Viagem de Moto para o Nordeste do BrasilAo contrário das minhas viagens de moto anteriores, nesta eu não me preocupei em buscar muitas informações sobre as estradas que iria passar. A intenção era chegar a Fortaleza passando pelas principais rodovias que levam ao Nordeste. Poucos dias antes de sair, resolvi também conhecer a Chapada Diamantina, já que passaria perto. Tracei a rota mais curta para definir o local de pernoite e fui. O problema nestas horas é que, nem as estradas do Brasil, nem os mapas dos GPS, são confiáveis.

Saí de Janaúba por volta de 7h30. Ainda na cidade, o equipamento não localizava a estrada que deveria pegar e não havia nenhuma placa indicando. Durante boa parte do tempo eu vi na tela um ponto azul percorrendo uma grande área verde, sem estradas. Tive que perguntar o caminho, mas sempre fui bem atendido e gerei muita curiosidade por onde passei. Em Espinosa, parei em um posto para perguntar como pegava a estrada. Um rapaz com uma Bros me pediu para acompanhá-lo e me levou até a saída da cidade, indicando o caminho correto.

3º dia - Chapada Diamantina

Viagem de Moto pelo NordesteA primeira constatação foi que qualquer tempo que você tiver disponível para conhecer a Chapada Diamantina não será suficiente. São muitas as atrações, dentro e fora do Parque Nacional. Montanhas, chapadões, rios, cachoeiras e grutas, cada qual mais impressionante que o outro. Como tenho só dois dias, estou tentanto aproveitar ao máximo. Estudei as opções que poderia conhecer com a moto e fui para a estrada. Antes dei uma volta pela cidade de Lençóis e depois visitei o Morro do Pai Inácio, a Caverna da Torrinha e a Pratinha. Fantásticas!

4º dia - Chapada Diamantina

DSC06446Hoje o dia foi sem a moto, que deixei estacionada na pousada. O esforço que fiz ontem refletiu no meu joelho. Não estou conseguindo fazer muito esforço, principalmente para subir, então, resolvi fazer uma trilha tanquila hoje.

Fui conhecer algumas cachoeiras que ficam próximas a Lençóis. A caminhada durou cerca de três horas e foi bastante agradável, com destaque para as Piscinas do Serrano, onde sentei debaixo de uma queda d'água e relaxei por um bom tempo. Linda também é a Cachoeira Primavera onde a água que cai de uns sete metros de altura e bate nas costas com muita força. A trilha acompanha o Rio Lençóis e termina em um mirante, de onde se vê a cidade e toda a região.

5º dia - Lençóis/BA - Salgueiro/PE

Viagem de Moto pelo Nordeste do BrasilAcordei, arrumei a bagagem na moto e fui acertar a conta da pousada. Me perguntarem se não esperaria o café da manhã, que seria servido dentro de meia hora. Disse que queria ir para a estrada cedo. A senhora que me atendeu não me deixou sair, me levou até a cozinha, arrumou um banquinho para eu sentar e me serviu um lanche. Saí para a estrada por volta de sete horas.

Caia uma leve garoa quando fui para a estrada. Como já fazia calor, resolvi não colocar a capa de chuva. Foi uma delícia, pilotar sentindo o frescor da chuva, que me acompanhou por cerca de 100 km. A chuva é muito bem vinda na região, que sofre com a seca e com um grande incêndio que atinge uma parte da Chapada Diamantina há alguns dias.

6º dia - Salgueiro/PE - Fortim/CE

DSC06486Às sete horas da manhã estava na estrada, saindo de Pernambuco, e seguindo para o litoral do Ceará. A excelente estrada e o pouco movimento de carros e caminhões permitiu que os quilômetros fossem vencidos com rapidez.

Logo depois de Salgueiro, observei ao longo da estrada um grande movimento de máquinas dedicadas à construção da Transnordestina, uma ferrovia que, quando pronta, ligará Maranhão, Piauí, Pernambuco e Ceará. Vários quilômetros estão prontos e podem ser vistos da BR-116. Espero que seja concluída logo para baratear o frete, reduzir o número de caminhões, melhorar a segurança das estradas, Facilitar as exportações e trazer desenvolvimento para o Nordeste do país.

Pontal do Maceió, Fortim, Ceará

DSC06509Passei os últimos sete dias junto com minha família, em uma praia chamada Pontal do Maceió, na cidade de Fortim, Ceará, a cerca de 130 km de Fortaleza. É uma daquelas praias desertas que o brasileiro ainda não descobriu, por isso, ela é muito tranquila, sem o movimento e a consequente bagunça que encontramos nas praias mais badaladas. Além disso o mar é muito calmo. Tudo nos convidando a relaxar e descansar o máximo durante o período em que estivemos nessa localidade.

E foi o que fizemos, nadamos no mar e na piscina do hotel, caminhamos, relaxamos, dormimos e comemos bem. Eu descansei bem para poder retornar para a estrada, pronto para os desafios que vêm pela frente.

7º dia - Fortim/CE - Camocim/CE

DSC06681Depois de despedir da família, fui para a estrada. Saindo de Fortim, peguei a CE-040 em Direção a Fortaleza. Uma excelente estrada, muito bem sinalizada, asfalto bem cuidado, inicialmente com pista simples até Beberibe e depois pista dupla até Fortaleza. Passa por muitas vilas, o que coloca nela uma quantidade muito grande de “lombadas eletrônicas”, fazendo com que a velocidade média seja baixa.

Chegando em Fortaleza, dei uma volta pelo centro da cidade e pela orla, mas como não era meu destino, e por causa do calor, resolvi seguir em frente sem demorar muito na cidade.

8º dia - Camocim/CE - Jericoacoara/CE

DSC06705Hoje eu peguei estrada por volta das 8h30. De camocim, retornei 28 km até Granja e de lá peguei a CE-085, uma estrada com bom asfalto, bem sinalizada e pouco movimento. Rapidamente cheguei em Jijoca de Jericoacoara, a cidade onde fica o Parque Nacional de Jericoacoara.

Ao entrar na cidade, passei por um grupo de guias que fizeram sinal para parar, mas segui em frente, à procura de um estacionamento para deixar a moto, como havia planejado.

9º dia - Jericoacoara/CE

DSC06853Jericoacoara é uma praia no município de Jijoca de Jericoacoara e está localizada dentro do Parque Nacional de Jericoacoara. Já foi considerada por um jornal americano como uma das dez praias mais bonitas do mundo. Até meados dos anos 80 era apenas uma vila de pescadores no meio de imensas dunas. Quando o turismo a descobriu, cresceu sem controle.

Como foi erguida sobre as dunas e dentro de um parque, não se pode construir estradas para chegar à vila, tendo que ser acessada por veículos 4 X 4, e suas ruas são cobertas de areia fofa.

10º dia - Jericoacoara/CE - Parnaíba/PI

DSC06869Choveu bastante durante a madrugada, o que me fez ficar maturando se iria facilitar ou dificultar o retorno para Jijoca pilotando a moto. De manhã, depois que tomei o café e acertei a conta da pousada, fui para a praça da vila, para saber como estava a estrada. Ao percorrer as ruas, notei que a areia estava mais compactada, mais fácil de passar do que quando cheguei, dois dias antes.

Na praça, conversei com alguns bugueiros e motoristas de 4 X 4 e me falaram que estava mais fácil em alguns trechos por causa da chuva, mas outros trechos a areia estava muito fofa e a chuva não foi suficiente para compactar. Perguntei para um motorista de uma pickup se ele aceitaria levar a moto na caçamba até a parte onde acabava a estrada de areia e ele topou.

11º dia - Delta do Parnaíba

DSC06896Por sugestão do amigo Sendon, cheguei ontem na cidade de Paranaíba para conhecer o Delta do Parnaíba, o único delta em mar aberto das Américas e um dos três maiores do mundo em extensão. Ele está situado entre os estados do Maranhão e do Piauí e abre-se em cinco braços, envolvendo 73 ilhas fluviais, sendo que 65% se encontra em território maranhense e 35% em território Piauíense.

A pousada que estou hospedado não tinha o passeio para vender. Assim que terminei o café da manhã, arrumei a bagagem, peguei a moto e fui procurar uma agência que tivessse o bilhete para vender. A primeira que encontrei vendia, mas a mulher que me atendeu disse que o transfer até o porto já havia saído e o barco estava programado para sair às 9 horas. Eram 8h45 e o porto ficava a 15 km de distância. Ela disse que ligava para o porto informando que iria mais um passageiro. Paguei R$50 pelo bilhete, pedi para ela me orientar como chegar e fui para lá, chegando ainda com folga de 5 minutos.

12º dia - Parnaiba/PI - Sete Cidades - Teresina/PI

DSC07010Ontem eu havia pensado em seguir para Piripiri e dormir lá assim que terminasse o passeio pela Foz do Parnaíba, mas acabei ficando em Parnaíba para lavar a moto. Então, resolvi seguir hoje direto para o Parque Nacional das Sete Cidades, outra sugestão de visita do Cendon. Encerrei a conta no hotel e saí da cidade por volta de 8h20 em direção a Piracuruca, uma das duas cidades onde fica o Parque. A outra é Piripiri. A BR-343 está ótima, o que fez a viagem render e me permitiu chegar em Piracuruca, 128 km depois, em apenas 70 minutos.

Para chegar à entrada norte do parque é necessário passar por Piracuruca e pegar uma estradinha asfaltada, mas mal conservada., mas que passa por uma região bonita, com muitas chácaras, sem movimento. O Parque Nacional das Sete Cidades fica no norte do estado do Piauí, e nele existem várias formações rochosas para as quais foram dados nomes, com tamanhos e formas que lembram castelos, edifícios, muralhas, pessoas, animais, mapas e objetos. No parque existe também uma grande variedade de inscrições rupestres de origem desconhecida.

13º dia - Teresina/PI - São Luis/MA

DSC07171Depois de fechar a conta do hotel, fui para a estrada. Antes, passei num ponto onde tirei uma foto com o principal cartão postal da cidade, a Ponte Estaiada.

Assim que fui para a estrada, fiquei de olho para ver a placa que marca a divisa entre o Piauí e o Maranhão para tirar a tradicional foto, mas quando percebi já estava há muitos quilômetros dentro do Maranhão.

A estrada estava muito boa, até chegar cerca de 150 km de São Luis, quando ficou muito ruim, cheia de buracos e com um movimento insuportável de caminhões. Para piorar, estão duplicando uma parte, fazendo com que os caminhões da obra se misturassem com os da estrada, levantando poeira. Um horror.

14º dia - São Luis/MA

Viagem de Moto pelo NordesteMinha intenção era seguir com a moto até Barreirinhas, para conhecer o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, mas fui informado que as principais atrações do parque, as lagoas, estão secas. Há alguns anos o "inverno" na região, que é como o povo nordestino chama o período de chuvas, tem sido de pouca chuva, transformando os Lençóis em um deserto de dunas de areia, um ambiente desolador, quente ao extremo e difícil de andar. Então, resolvi ficar mais um dia em São Luis, para conhecer melhor a cidade.

Como comentei ontem, os prédios da cidade histórica de São Luis estão muito degradados e não estão recebendo os cuidados necessários para mostrar aos visitantes a real beleza que a cidade tem. Muitos camelôs, bancas de jornais, outdoors, carros estacionados em todo lugar, sujeira... Tinha um outdoor com propaganda de uma clínica na fachada de uma igreja...

15º dia - São Luis/MA - Tinguá/CE

DSC07207Hoje de manhã, ao girar a ignição da moto, tomei um susto. Ela deu uma engasgada, depois um pipoco e não ligou. Tentei uma segunda e terceira vez e nada. Esperei um tempo, tentei de novo e ligou, como se nada tivesse acontecido. Fiquei pensando no tipo de gasolina que tenho colocado nela nos últimos dias.

Saí por volta de 8 horas, como de costume. Os primeiros 150 km foram complicados, gastei quase três horas para percorrê-los. Muitos caminhões, carros, motos, buracos e poeira. Estão duplicando um trecho.