Minas Gerais

Há mais ou menos um ano, eu, que nunca havia subido em uma moto, fui influenciado por forças que desconheço a comprar uma e, certamente, essa entidade misteriosa me fez passar em frente a uma concessionária onde estava exposta uma Shadow Aero. Não resisti, comprei a moto, levaram para a minha casa e aí era pelejar para tirar a habilitação.

Aproximadamente uns seis meses atrás, planejei comprar uma Yamaha Fazer 250, um sonho que concretizei quando adquiri uma lindona, cor azul, ano 2008, que apelidei de AZULICA.

A partir de então comecei a delinear um plano de realizar uma visitinha para uns tios, tias e uma boa quase centena de primos e primas, todos moradores da linda e acolhedora Bambuí-MG.

O paulistano Saulo realizou o que muitos brasileiros sonham fazer, mas sempre adiam por diversos motivos: ele percorreu os quatro caminhos da Estrada Real pilotando uma moto. Procurando ser o mais fiel possível aos roteiros originais, 85% do percurso realizado por Saulo foi em estradas de terra.

Para não passar as férias de verão em branco, eu e minha esposa Cristina resolvemos fazer uma viagem pela nossa Minas Gerais. Na verdade o projeto era fazer a Estrada Real inteira, de Diamantina a Parati, mas como a grana estava curta, optamos por um passeio alternativo (e coloca alternativo nisso).

Com quase três séculos de fundação, passando de povoado a arraial até chegar a município, Diamantina é uma cidade rica em história e tradições.

Terra do ex-presidente da República Juscelino Kubitschek e de Francisca da Silva de Oliveira, a famosa Chica da Silva, a cidade mineira fica no Vale do Jequitinhonha, a 285 km de Belo Horizonte.

Os motociclistas cariocas Maurício e Pallas fizeram em maio passado uma viagem de moto que durou três dias, durante os quais percorreram 945 km para ir até a cidade mineira de Carrancas, conheceram algumas das suas belas cachoeiras e retornaram para casa, em Maricá, RJ.

Foi de uma semana para a outra que inventei e concretizei. O Fim de férias estava propício para escapar do trabalho e rastrear no asfalto lugares para conhecer. Descobri na internet a Serra do Cipó, 100 km depois de Belo Horizonte, um lugar cheio de cachoeiras e visual de serra. Conhece Campos do Jordão? Aquele lugar cheio de gente... eu fui até a serra do Cipó, ao sul da Cordilheira do Espinhaço, entre o Cerrado e a Mata Atlântica. Pelos meus cálculos, 700 km de Sampa.

Na manhã de sábado, acompanhado da minha esposa Dani, nos dirigimos para a concessionária Harley Davidson de Belo Horizonte para encontrar os amigos Marcos Baeta, Fernando, Claudinho, Gui e Rogério e as suas respectivas esposas. Depois do café da manhã na concessionária, seguimos para o Posto Shell da cidade de Betim para nos encontrarmos com os demais amigos, conforme combinado.

Três casais mineiros do moto grupo Fajutos do Asfalto realizaram no fim do mês de abril e princípio de maio uma viagem de moto até a Serra da Canastra para conhecer algumas das mais belas paisagens mineiras. O grupo era formado por Élcio, Selene, Salazar, Edith, Marcos Rainho e Mônica.

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.