Minas Gerais

Colors: Red Color

Há algum tempo já havia planejado este passeio. Não é uma "viagem de moto" extensa, mas é algo para ocupar um dia inteiro.

Embora o tempo estivesse um pouco chuvoso aqui em Minas Gerais, resolvi meio que "de supetão", sair em um Domingo de sol com algumas nuvens. O fiz em uma Yamaha Virago 250s, ano 99.

Já li neste site relatos de epopeias sobre duas rodas, pessoas que abandonaram a rotina para seguir por dias pelas estradas do mundo. Mas para aqueles que ainda aproveitam, a conta gotas, graças aos grilhões do trabalho, os fragmentos de liberdade, que os finais de semana proporcionam e ainda não puderam realizar viagens mais longas, indico um passeio que pode ser muito atrativo, especialmente para quem mora pelas bandas de Belo Horizonte, uma alternativa para esquentar o motor da moto e refrigerar a alma: rodar pelo Parque Estadual do Rola Moça, localizado entre os municípios de Belo Horizonte, Nova Lima, Ibirité e Brumadinho.

Há mais ou menos um ano, eu, que nunca havia subido em uma moto, fui influenciado por forças que desconheço a comprar uma e, certamente, essa entidade misteriosa me fez passar em frente a uma concessionária onde estava exposta uma Shadow Aero. Não resisti, comprei a moto, levaram para a minha casa e aí era pelejar para tirar a habilitação.

Aproximadamente uns seis meses atrás, planejei comprar uma Yamaha Fazer 250, um sonho que concretizei quando adquiri uma lindona, cor azul, ano 2008, que apelidei de AZULICA.

A partir de então comecei a delinear um plano de realizar uma visitinha para uns tios, tias e uma boa quase centena de primos e primas, todos moradores da linda e acolhedora Bambuí-MG.

O paulistano Saulo realizou o que muitos brasileiros sonham fazer, mas sempre adiam por diversos motivos: ele percorreu os quatro caminhos da Estrada Real pilotando uma moto. Procurando ser o mais fiel possível aos roteiros originais, 85% do percurso realizado por Saulo foi em estradas de terra.

Para não passar as férias de verão em branco, eu e minha esposa Cristina resolvemos fazer uma viagem pela nossa Minas Gerais. Na verdade o projeto era fazer a Estrada Real inteira, de Diamantina a Parati, mas como a grana estava curta, optamos por um passeio alternativo (e coloca alternativo nisso).

Com quase três séculos de fundação, passando de povoado a arraial até chegar a município, Diamantina é uma cidade rica em história e tradições.

Terra do ex-presidente da República Juscelino Kubitschek e de Francisca da Silva de Oliveira, a famosa Chica da Silva, a cidade mineira fica no Vale do Jequitinhonha, a 285 km de Belo Horizonte.

Os motociclistas cariocas Maurício e Pallas fizeram em maio passado uma viagem de moto que durou três dias, durante os quais percorreram 945 km para ir até a cidade mineira de Carrancas, conheceram algumas das suas belas cachoeiras e retornaram para casa, em Maricá, RJ.

Foi de uma semana para a outra que inventei e concretizei. O Fim de férias estava propício para escapar do trabalho e rastrear no asfalto lugares para conhecer. Descobri na internet a Serra do Cipó, 100 km depois de Belo Horizonte, um lugar cheio de cachoeiras e visual de serra. Conhece Campos do Jordão? Aquele lugar cheio de gente... eu fui até a serra do Cipó, ao sul da Cordilheira do Espinhaço, entre o Cerrado e a Mata Atlântica. Pelos meus cálculos, 700 km de Sampa.

Na manhã de sábado, acompanhado da minha esposa Dani, nos dirigimos para a concessionária Harley Davidson de Belo Horizonte para encontrar os amigos Marcos Baeta, Fernando, Claudinho, Gui e Rogério e as suas respectivas esposas. Depois do café da manhã na concessionária, seguimos para o Posto Shell da cidade de Betim para nos encontrarmos com os demais amigos, conforme combinado.

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.