Viagem de moto pela Estrada Real

Que tal percorrer o Caminho Velho da Estrada Real, que vai de Paraty, no Rio de Janeiro, até Ouro Preto, Minas Gerais, e de lá emendar sua viagem pelo Caminho dos Diamantes, que segue de Ouro Preto até Diamantina, também em Minas Gerais?

Com muitas atrações pelo caminho e uma boa infraestrutura para receber turistas, são encontrados diversos tipos de terrenos e opções de rotas que podem agradar aos mais variados gostos, desde quem gosta de curtir uma trilha, passando por caminhos que exigem muita técnica e habilidade para transpor alguns obstáculos, até estradas asfaltadas e em bom estado que permitem às grandes motos custom percorre-las com conforto.

Para traçar a rota a ser seguida, utilize o Sistema de Informações Turísticas Georreferenciadas da Estrada Real (SITGeo), uma ferramenta desenvolvida pelo Instituto Estrada Real, que possibilita a navegação pela Estrada Real por meio do Google Maps e do Google Earth, com informações sobre os atrativos da rota histórica.

Escudo da Estrada RealO Instituto Estrada Real criou em 2001 o Projeto Turístico Estrada Real, com o objetivo de valorizar o patrimônio histórico-cultural, estimular o turismo, a preservação e revitalização dos entornos das antigas Estradas Reais.

O conceito do projeto baseia-se no aproveitamento da rota e dos antigos caminhos que conduziam do litoral do Rio de Janeiro para o interior, em especial para as Minas Gerais, abrangendo as seguintes áreas nos vales dos rio Doce, Rio das Velhas e Rio das Mortes, os núcleos mineradores de:

  • Vila Rica (Ouro Preto)
  • Nossa Senhora do Carmo (Mariana)
  • Nossa Senhora da Conceição do Sabará (Sabará)
  • São João d’El Rey (São João Del Rei)
  • Vila Nova da Rainha (Caeté)

Mapa Estrada Nucleos mineradores

No vale do alto rio Jequitinhonha, os núcleos mineradores de:

  • Vila do Príncipe (Serro) e
  • Arraial do Tijuco (Diamantina)

Estrada Real Serro Diamantina

No oeste, o núcleo minerador da Vila do Infante da Nossa Senhora da Pitangueira.

O projeto considera que esses caminhos se estendiam por mais de 1.400 quilômetros, distribuídos por três vias principais:

Caminho Velho (Estrada Velha):

Liga Paraty, no litoral do Rio de Janeiro, a Ouro Preto, nas Minas Gerais, passando por Cunha, São João Del Rei e Tiradentes.

Com muitas histórias para contar, o Caminho Velho foi à primeira via aberta oficialmente pela Coroa Portuguesa para o tráfego entre o litoral fluminense e a região mineradora. São localidades que aliam a cultura típica de Minas Gerais, um combinado entre as raízes indígenas, africanas e europeias. Essa riqueza é responsável por atrativos como a arquitetura única de Ouro Preto, a gastronomia reconhecida internacionalmente de Tiradentes, as grandes estâncias hidrominerais do Circuito das Águas e a cultura latente de Paraty.

Dos 710 quilômetros originais do Caminho Velho, 10% estão asfaltados (75,5 Km), 1,5% de calçamento (10 km) e 6% de trilha (38 km). Os outros 82,5% são de estrada de terra (586,5 Km)

  • Ouro Preto - São Bartolomeu = 18 km de trilha
  • São Bartolomeu – Glaura = 3 km de trilha
  • Glaura – Cachoeira do Campo = 7,5 Km de asfalto
  • Cachoeira do Campo – Santo Antônio do Leite = 5 km de asfalto
  • Pequeri – São Brás do Suaçuí = 3 km de trilha
  • Casa Grande – Lagoa Dourada = 3 km de trilha
  • Tiradentes – São João Del-Rei = 10 km de calçamento
  • São João Del-Rei – São Sebastião da Vitória = 11 km de trilha
  • Garganta do Embau – Vila do Embau = 10 km de asfalto
  • Vila do Embau – Guaratinguetá = 7 km de asfalto
  • Guaratinguetá – Cunha = 22 km de asfalto no início
  • Cunha – Paraty = 24 km de asfalto

Caminho Velho Estrada Real

Caminho Novo:

Liga o porto e cidade do Rio de Janeiro a Ouro Preto, passando pela região das atuais Petrópolis, Juiz de Fora e Barbacena.

O Caminho Novo é o mais jovem da Estrada Real. Sua criação começou a ser definida em 1698, mas foi entre 1722 e 1725 que a rota estava finalmente definida. Repleto de atrativos turísticos, ele guarda dezenas de vestígios da época mineradora, um verdadeiro convite para o viajante. Aberto para ser alternativa mais rápida e fácil ao Caminho Velho, o Caminho Novo guarda para os turistas uma série de elementos da época das bandeiras e das primeiras explorações do território. São túneis, chafarizes e fazendas, hoje transformadas em confortáveis meios de hospedagem, que resgatam construções e costumes dos séculos XVIII e XIX.

Dos 515 quilômetros originais do Caminho Novo, 32% estão asfaltados (166 km), e 5% de trilha (25 km) de trilha. Os outros 63% são de estrada de terra (324 km)

  • Ouro Preto – Lavras Novas = 17 km de trilha
  • Lavras Novas – Chapada = 5 km de trilha
  • Itatiaia – Ouro Branco = 5 km de asfalto
  • Ouro Branco – Conselheiro Lafaiete = 7 km de asfalto
  • Barbacena – Antônio Carlos = 8 km de asfalto
  • Santos Dumont – Ewbank da Câmara = 3 km de trilha Ewbank da Câmara – Matias Barbosa = 25 km de asfalto
  • Matias Barbosa – Simão Pereira – Monte Serrat = 24 km de asfalto
  • Paraíba do Sul – Queima Sangue – Inconfidentes – Secretário = 32 km de asfalto
  • Secretário – Pedro do Rio – Petrópolis = 34 km de asfalto
  • Petrópolis – Porto Estrela = 31 km de calçamento e asfalto

Caminho Novo Estrada Real

Caminho dos Diamantes:

Liga Ouro Preto a Diamantina, também nas Minas Gerais.

O Caminho dos Diamantes passou a ter grande importância a partir de 1729, quando as pedras preciosas de Diamantina ganharam destaque nas economias brasileira e portuguesa. Além da história de seus municípios, da cultura latente e da gastronomia típica, o Caminho dos Diamantes destaca-se pela beleza natural.

Atrativos que somam aventura, natureza, história e cultura dão o tom das viagens pelo Caminho dos Diamantes da Estrada Real.

Dos 395 quilômetros originais do Caminho dos Diamantes, 21 % estão asfaltados (82,9 km), e 0,5 % de trilha (2 km). Os outros 78,5% são de estrada de terra (310 km).

  • São Gonçalo do Rio das Pedras – Milho Verde – Serro = 30,6 Km em asfalto
  • Serro – Alvorada de Minas = 18,8 Km em asfalto
  • Itambé do Mato Dentro - Senhora do Carmo = 15,2 km. Estão asfaltando
  • Ipoema – Bom Jesus do Amparo = 7 km de asfaltado
  • Santa Bárbara - Catas Altas= 2 km de trilha
  • Mariana – Ouro Preto = 11,3 Km de asfalto

Caminho dos Diamantes Estrada Real

Caminho do Sabarabuçu:

Liga Catas Altas a Glaura (distrito de Ouro Preto). Esse caminho, identificado recentemente, constituir-se-ia numa extensão do Caminho Velho, que assim passava a atingir as vilas de Sabará e Caeté. Esta variante tinha como referência o rio das Velhas e a serra da Piedade, no alto de Caeté.

Há cerca de trezentos anos, as serras íngremes do trecho, cortadas por cursos d'água como o rio das Velhas, eram vistas como verdadeiros tesouros, onde seria possível achar ouro e outras pedras preciosas. Essa crença se devia ao brilho que a atual Serra da Piedade (antigo Pico de Sabarabuçu) tem. O que os bandeirantes imaginavam ser ouro é, na verdade, o minério de ferro do topo da montanha, que reflete a luz do sol. Para chegar até a serra que reluzia, esses viajantes buscaram uma rota alternativa entre Ouro Preto, no Caminho Velho, e Barão de Cocais, no Caminho dos Diamantes. Foi aí que surgiu o Caminho de Sabarabuçu. O caminho segue margeando o rio das Velhas e tem a Serra da Piedade, do alto dos seus 1.762 metros, como um dos atrativos. Além da mítica história da serra que reluz, ela servia também como referência de localização para a chegada às minas a partir de Raposos, Sabará e Caeté.

Dos 160 quilômetros originais do Caminho de Sabarabuçu, 22,5% são de trilha (36 km).Os outros 82% são de estrada de terra (124 km)

  • Morro Vermelho - Sabará = 20 km de trilha
  • Sabará – Raposos = 3 km de trilha
  • Raposos – Honório Bicalho = 13 km de trilha

Entre as atrações podem ser apreciados diversos trechos ainda pavimentados em pedras, colocadas pela mão-de-obra de escravos, trechos de mata atlântica, cachoeiras, sítios arqueológicos, arquitetura histórica, culinária e artesanato coloniais.

Caminho do Sabarabuçu Estrada Real

Para auxiliar no planejamento da viagem, navegue também pelo site do Instituto Estrada Real. E não deixe de ver o filme abaixo, que tem duração de 10 minutos e fala da Estrada.

Fonte: Instituto Estrada Real

Visite também a seção Viagens por Minas Gerais para conhecer mais histórias interessantes.

Comentários (2)

This comment was minimized by the moderator on the site

Boa tarde, fiz recentemente uma expedição de moto por toda a Estrada Real. Percorri os 3 principais caminhos de uma só vez. O Objetivo foi registrar tudo em videos e fotos para através de um site de redes sociais divulgar essa experiencia para orientar outras pessoas a fazer o mesmo. Depois podem acompanhar uma previa no facebook: Mototurismo Estrada Real ou no instagram: mototurismo_estradareal. abraço a todos e sigo a disposição.

This comment was minimized by the moderator on the site

excelente para aqueles que pretendem fazer o roteiro da "estrada real". locais e preços de pousadas seriam muito úteis e valorizariam mais o seu trabalho;.

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Caracteres
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Livros sobre viagens pela América do Sul e Himalaia