Viagem de Moto Viagem de Moto Inspirando viajantes

Machu Picchu

Atravessando o rioO celular nos despertou às 4 horas e todos se colocaram a postos para adiantar ao máximo. Descemos, arrumamos as motos fizemos nossa oração da manhã e saímos em direção do incerto e não sabido daquele trecho medonho.

A noite e a chuva eram os mesmos de horas antes. Tocamos com muito cuidado. Em certos trechos que conseguia ficar ao menos em pé sem cair, parava para tirar umas fotos de situações que surgiam à minha frente.

Praca de armas cuscoAcordamos e tomamos um delicioso café servido pelo hotel. Em seguida fomos dar uma volta pela cidade.

Vimos no caminho o transito caótico da cidade de aproximadamente 400 mil habitantes e da imensa pobreza pelas ruas e comércio local. As pessoas não tinham o que fazer a não ser pedir esmola aos turistas e como Machu Picchu estava ainda interditado o acesso, devido às enchentes e desmoronamentos causados por uma grande tempestade que ocorreu na região, o turismo praticamente parou, visto que a maioria do turismo vem em busca desse lugar encantado e tão místico.

altTiramos o dia para fazermos um pequeno tour pelas terras Incas através de uma empresa de turismo. Moacyr não pôde ir por estar com uma forte diarréia e já estava a dois dias de cama com o Paulo Brunoro medicando.

Começando o passeio, fomos ver a cidade de Cusco num topo de um grande morro, onde ficava a Igreja de São Sebastião. Pudemos observar a arquitetura da cidade e as casas de cor marrom, praticamente todas elas. Vimos a pista do aeroporto de Cusco, que fica no meio da cidade, sendo uma bomba relógio para muitos moradores, pois se ocorrer uma queda no pouso ou decolagem, a tragédia não é menor do que aproximadamente umas 10 mil pessoas ou mais.

Criancas com trajes tipicosEu e Odileno fomos fazer um outro City Tour, já que havíamos pago para isso. Fomos visitar o Vale Sagrado dos Incas, um lugar maravilhoso aos pés da Cordilheira dos Andes, com muitas curiosidades e obras incríveis.

Como aqui também era carnaval, as pessoas usavam bolas de soprar com água e jogavam nas pessoas que passavam na estrada e uma nas outras. Era um divertimento inocente e, ao mesmo tempo, se fosse atingido, seria um banho garantido. Muitas festas e danças folclóricas na região e muita alegria nos rostos dos moradores por onde passávamos. E o comércio rolando solto por todos os lados.

EDGARDFizemos uma oração juntos e seguimos nossa viagem. Nosso ritmo estava lento e compadecido. Nossas mãos pareciam não querer acelerar a potencia que tínhamos nas motos. Seguimos como numa procissão. Em fila e lentamente. O sol começava a aparecer e o calor ia e vinha. O frio chegava e parecia doer mais que o calor. Tocamos em frente.

Parávamos para fotografar os vales e montanhas que iam surgindo à nossa frente. Moacyr, Fassarella, Paulo, Odileno, Kadin, eu e Barbieri. Passamos por uma cidade que chama Juliaca, que era poeira sobre poeira e um transito infernal de desordem. Achamos um local, e tentamos comer alguma coisa decente, mas não encontramos nada decente assim.

altDormimos em Puno. Fomos tirar as motos e tinha dezenas de carros prendendo-as no estacionamento. Pensei... nooossssaaaaa!!! Mas a vigia logo providenciou as chaves e fez as manobras.

Na saída, Moacyr sugeriu uma outra estrada que tinha 40 km de ripio, o que decidimos não encarar indo pela estrada comum e um pouco mais longa, porém asfaltada. Mesmo assim passamos por 42 km de estradas em obras, ripio, buracos e asfalto ruim.

altSaímos de Arica por volta das 11:00 horas, pois fomos ver de perto o Oceano Pacífico. Eu pela segunda vez e os outros pela primeira vez. Entramos no mar e fotografamos muito este momento.

Hora de sair, o deserto quente nos aguardava. Tocamos forte para o vento e o calor não maltratar muito a gente. Paramos para abastecer num posto sem cobertura. O sol estava dando a sensação de mais de 40 graus. O atendente do posto estava lambuzado de filtro solar, parecendo um monstro. E de mau humor. Um garoto disse que tinha 20 anos e não conhecia a chuva, pois neste lugar nunca chovia. Ficamos perplexos com o comentário.

Página 2 de 3

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.