Entrar

2º dia - Araxá - Alto Araguaia

  • Categoria: Machu Picchu

altSaímos com sol forte novamente, a estrada muito ruim, e os buracos e emendas na pista eram um detalhe insuportável de tanto que atrapalhava e nos limitava na pista.

Chegamos em Rio Verde, paramos numa barraca que margeava a pista e devoramos água de côco e melancias. Um grupo de 5 amigos saiu na frente ficando eu, Kadinho e Barbieri para trás.

Chegando num determinado lugar que tínhamos que entrar à esquerda, não vimos placa indicando a próxima cidade que deveríamos encontrar e seguimos em frente.

Vendo que não achávamos a tal cidade, resolvemos voltar, pois até a gasolina estava acabando. Nisso, vimos dois carros que tinham acabado de sair da pista principal e cada um estava às margens, ou melhor, no meio do mato, de cada lado da pista. Paramos. Tinha uma Parati do lado direito e um Pálio novinho do lado esquerdo que tinha passado pela cerca de arame que confronta uma propriedade e a rodovia. A Parati saiu fácil com uma marcha a ré, e o Pálio deu um pouco mais de trabalho. Kadinho e Barbieri foram fazer uma força e eu não pude por ter deslocado o meu ombro direito tentando levantar a minha moto no descanso central, e apenas filmei. Kadinho e Barbieri me caçoaram por não ter feito força no carro. Sinto muito!

alt

Achamos o caminho para nossa rota com destino a Pontes de Lacerda. Começou a chover, fui numa tocada boa com os dois amigos quando, de repente, piso no freio e... surpresa... estava sem o freio traseiro da moto, e a chuva começava a aumentar. Parei a moto e fui verificar. A pinça do freio havia saído do lugar pela falta de um dos parafusos que seguram a pinça. Estava sozinho na chuva e com um problemão para resolver. Como estava dando para andar a 80 km por hora, fui com cuidado até encontrar os dois amigos que estavam parados me esperando. Falei do problema e, rapidamente, Barbieri pegou as ferramentas, um parafuso que combinava com o que soltou e começou a desmontar e montar a pinça, colocando um parafuso no local. Fomos em frente. Mais adiante, a capa da corrente da moto do Barbieri soltou e paramos para fixar na moto.

E fomos assim até anoitecer, nós três, sozinhos e tranqüilos na imensidão da pista, quando Barbieri parou sua XT por falta de gasolina. Kadinho foi até o próximo posto buscar o líquido precioso.

alt

Nisso, eu e Barbieri ficamos fazendo palhaçada no meio da pista, até que ele falou para mim assim... Éd Terrível, te dou 10 reais para você dar uma cagada no meio da pista... Imediatamente abaixei minha calça e comecei a executar a aposta... Claro, que tudo de brincadeira, e ele filmando... Enquanto simulava uma lambança no meio da pista, surgiu um Policial Rodoviário Federal que falou: se for para você tomar uma multa por falta de gasolina, me dá a preferência. Conversamos um pouco, brincamos e contamos um pouco do projeto da viagem. O guarda perguntou de éramos repórter e falamos que sim. Ele disse para falarmos das péssimas condições das estradas.

Até que Kadinho chegou com a gasolina. Pudemos, então, ir embora. A estrada era insuportavelmente esburacada nos oferecendo perigos constantes.

E assim chegamos em Alto Araguaia. Ficamos no Hotel Araguaia com um atendimento super especial.

Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização