Saímos com sol forte novamente, a estrada muito ruim, e os buracos e emendas na pista eram um detalhe insuportável de tanto que atrapalhava e nos limitava na pista.

Chegamos a Rio Verde, paramos numa barraca que margeava a pista e devoramos água de côco e melancias. Um grupo de 5 amigos saiu na frente ficando eu, Kadinho e Barbieri para trás.

Chegando num determinado lugar que tínhamos que entrar à esquerda, não vimos placa indicando a próxima cidade que deveríamos encontrar e seguimos em frente.

Vendo que não achávamos a tal cidade, resolvemos voltar, pois até a gasolina estava acabando. Nisso, vimos dois carros que tinham acabado de sair da pista principal e cada um estava às margens, ou melhor, no meio do mato, de cada lado da pista. Paramos. Tinha uma Parati do lado direito e um Pálio novinho do lado esquerdo que tinha passado pela cerca de arame que confronta uma propriedade e a rodovia. A Parati saiu fácil com uma marcha a ré, e o Pálio deu um pouco mais de trabalho. Kadinho e Barbieri foram fazer uma força e eu não pude por ter deslocado o meu ombro direito tentando levantar a minha moto no descanso central, e apenas filmei. Kadinho e Barbieri me caçoaram por não ter feito força no carro. Sinto muito!

Viagem de moto pelo Brasil – Goiás e Mato Grosso

Achamos o caminho para nossa rota com destino a Pontes de Lacerda. Começou a chover, fui numa tocada boa com os dois amigos quando, de repente, piso no freio e... surpresa... estava sem o freio traseiro da moto, e a chuva começava a aumentar. Parei a moto e fui verificar. A pinça do freio havia saído do lugar pela falta de um dos parafusos que seguram a pinça. Estava sozinho na chuva e com um problemão para resolver. Como estava dando para andar a 80 km por hora, fui com cuidado até encontrar os dois amigos que estavam parados me esperando. Falei do problema e, rapidamente, Barbieri pegou as ferramentas, um parafuso que combinava com o que soltou e começou a desmontar e montar a pinça, colocando um parafuso no local. Fomos em frente. Mais adiante, a capa da corrente da moto do Barbieri soltou e paramos para fixar na moto.

E fomos assim até anoitecer, nós três, sozinhos e tranqüilos na imensidão da pista, quando Barbieri parou sua XT por falta de gasolina. Kadinho foi até o próximo posto buscar o líquido precioso.

Viagem de moto pelo Brasil – Goiás e Mato Grosso

Nisso, eu e Barbieri ficamos fazendo palhaçada no meio da pista, até que ele falou para mim assim... É Terrível, te dou 10 reais para você dar uma cagada no meio da pista... Imediatamente abaixei minha calça e comecei a executar a aposta... Claro, que tudo de brincadeira, e ele filmando... Enquanto simulava uma lambança no meio da pista, surgiu um Policial Rodoviário Federal que falou: se for para você tomar uma multa por falta de gasolina, me dá a preferência. Conversamos um pouco, brincamos e contamos um pouco do projeto da viagem. O guarda perguntou de éramos repórter e falamos que sim. Ele disse para falarmos das péssimas condições das estradas.

Até que Kadinho chegou com a gasolina. Pudemos, então, ir embora. A estrada era insuportavelmente esburacada nos oferecendo perigos constantes.

E assim chegamos em Alto Araguaia. Ficamos no Hotel Araguaia com um atendimento super especial.

Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

  1. Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.

Motos Adventure - expedição de moto pelo mundo

Livro sobre viagem de moto até o Atacama