• Livros
  • Publicado em

Diário de Bordo - De Maringá para o Deserto de Atacama

Fiz o lançamento do meu livro "Diário de Bordo - Motocicleta - De Maringá - PR para o Deserto de Atacama - Chile.

O livro está muito gostoso de ler, é dinâmico, daqueles que vc começa e não quer parar, com muitas dicas de viagem. Ótimo para presentear os amigos motociclistas.

Livro Diario de BordoCom diversas passagens cheias de ação e adrenalina, desde a saída, passando por emocionantes estradas desconhecidas, cidades sem apoio, travessia da Cordilheira dos Andes, chuvas intensas com granizo, neve, estradas com ventos fortíssimos, desertos escaldantes, noites geladas, a beleza do Geiser del Tatio e culminando com imprevistos em plenas áreas repletas de salinas e retorno de uma maneira pouco convencional, porém, bem.....leia o livro.

Enfim, com muito humor e sentimento a leitura desta viagem, sozinho, te colocará com uma enorme vontade de realizar qualquer motoviagem e se sentir de bem com a vida.

São 93 páginas e com diversas fotos coloridas.
Vendas ou pedidos para mim, via e-mail, com frete grátis.

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Valor R$ 24,90

Você irá gostar da leitura.

Autor: Ricardo Miessa Barreto
Editora: Autores Paranaenses
Formato: 14x21 cm - Colorido
Números de Páginas: 93
ISBN: 978-85-8020-201-4

Preâmbulo do livro

"Qual é o motociclista que não sonha em realizar uma viagem longa de moto? Pegar a estrada, curtir a estrada?

Acho que isto está implícito no espírito de aventura de todo motociclista, já no momento em que ele compra sua primeira moto.

Acaba virando uma meta, um sonho: realizar uma motoviagem.

Mas as dúvidas aliadas à falta de experiência levam a diversas interrogações: Vou para onde? Quantos dias? Quem vai comigo? Vou gastar quanto? Minha moto serve para essa viagem? É perigoso? Enfim, o sonho é um, mas as dúvidas são muitas.

Ciente dessas "dificuldades" e com o espírito de contribuir com os colegas motociclistas, aliado à vontade de relatar minha viagem e ter o prazer de perpetuar uma aventura na qual eu posso relembrar várias vezes, é que esta descrição se fundamenta.

Procuro, inicialmente, com certa pitada de humor, desmitificar alguns "obstáculos" que as próprias pessoas se impõem, como se fossem auto-desculpas para não realizarem ou adiarem suas pretensas viagens.

É citada também a importância de um prévio e consistente planejamento em detalhes, o que certamente será traduzido e configurado no fator mais importante da viagem: A SEGURANÇA.

Descrever uma viagem com a emoção do momento é a coisa mais fácil, por isso optei em rascunhar os sentimentos logo após cada etapa da viagem, onde as lembranças, os perigos, as dificuldades, as emoções ainda estão aflorando em nosso corpo e na nossa mente.

Evidentemente, cada motociclista sonha em fazer viagem para algum lugar em particular, mas o que se tem notado é que existem alguns locais que são ícones dos pilotos motociclistas brasileiros, tais como: Ushuaia, Buenos Aires, sul da Argentina com entrada para Santiago do Chile pelos Caracoles, Machu Picchu e a famosa "Mano Del Desierto", no deserto do Atacama, no Chile, que aqui é apresentada de uma maneira descontraída, cheia de informações úteis e emoções, principalmente para aqueles que desejam realizar esta viagem pela primeira vez. E, para aqueles que já realizaram esta magnífica viagem, com certeza vão relembrar cada momento da viagem, suas mentes retornarão aos locais com um sorriso nos lábios.

Fazer esta viagem para mim foi um marco dignificante, afinal de contas, sozinho, é um desafio a mais.

Verificar que em outros países da América do Sul há estradas tão boas ou melhores que as nossas, fazer contato com pessoas de cultura simples e totalmente diferentes, mas que te ensinam outra maneira de encarar a vida, tudo fica valorizado em uma viagem como esta.

Você encarar uma chuva intensa sem ter onde se abrigar, não saber se vai encontrar combustível nos postos à frente, desconhecer se há hotéis disponíveis, depois de um dia todo viajando, subir montanhas com fortes ventos e curvas acentuadas de mais de 180º com perigosas e pesadas carretas no sentido oposto, atravessar regiões com longas salinas congeladas, atravessar desertos com altas temperaturas e ventos que podem te derrubar da moto, enfrentar a travessia das famosas Cordilheiras dos Andes, onde qualquer descuido pode ser problemático e o alto risco de sua moto apresentar problemas em meio às geladas montanhas desertas, tudo isso pelo simples prazer de pilotar uma moto pela estrada e a emoção de vencer um a um os desafios que vão surgindo ao longo da viagem e ter o orgulho de dizer: FUI LÁ.

Isso é relatado a seguir com a emoção do momento de quem vivenciou esses e outros desafios maiores para poder concluir a viagem, quer seja pilotando a moto ou não.

Parece até engraçado para quem não tem o espírito de motociclista, compreender que você viaja milhares de km pelo simples prazer de viajar, chegar ao destino, tirar uma foto e retornar. Mas você foi até lá para tirar uma foto e retornou logo em seguida, perguntam as pessoas. Sim, é isso mesmo, fui até lá, curtir a maravilha que é pilotar em uma estrada, tirei a foto e retornei. Que prazer enorme que dá fazer isto. Só quem já viveu pode tentar descrever esse momento mágico. Mas é indescritível."

Deixar seu comentário

Postar comentário sem fazer login

0 / 2000 Restrição de Caracter
Seu texto deve conter 5-2000 caracteres
  • Nenhum comentário encontrado