Esta é uma dúvida que assombra todo mundo durante o planejamento e preparação para uma viagem de moto que dure vários dias. O que levar na bagagem? A chave é encontrar o ponto de equilíbrio entre o máximo e o mínimo. É não levar muito mais objetos do que vai precisar ou deixar de levar o que pode ser extremamente necessário durante a viagem. Antes de relacionar o que eu levo e considero no planejamento das minhas viagens, chamo a atenção para alguns problemas que devem ser conhecidos e considerados no pêndulo dos exageros para arrumação de bagagens:

Uma bagagem exagerada vai:

  • Obrigar a levar mais bolsas;
  • aumentar o peso que a moto vai carregar;
  • aumentar o arrasto;
  • aumentar o consumo de combustível;
  • aumentar o desgaste dos pneus;
  • aumentar o desgaste da moto;
  • aumentar o desgaste do motociclista;
  • dificultar a disposição e o amarre dos objetos sobre a moto;
  • dificultar manobras, principalmente em baixa velocidade ou para estacionar;
  • dificultar a retirada da bagagem da moto para levar para o hotel e vice-versa.

Uma bagagem muito sóbria vai:

  • deixar um item importante para trás;
  • faltar roupa para diferentes condições de clima e temperatura;
  • faltar roupa adequada para os ambientes a frequentar;
  • aumentar o desconforto durante a viagem;
  • lavar roupas diariamente e torcer para que sequem rápido;
  • aparecer nas fotos com a mesma roupa todo dia.

É claro que os pontos que relacionei, principalmente no caso de uma bagagem mais sóbria, são mera suposição. Pode ser que a viagem seja feita com a mala no exagero tanto para mais quanto para menos e não se encontre nenhuma das dificuldades citadas. Vai depender muito do estilo de vida do motociclista, do destino e do próprio desenrolar da viagem. Mas sempre é bom pensar em todas as possibilidades para não ter nenhuma surpresa desagradável. Ao mesmo tempo é bom pensar que um erro na bagagem pode tornar uma viagem um verdadeiro martírio. Mas observe que coloquei mais pontos problemáticos para bagagem exagerada que para bagagem sóbria, e isto, no meu entendimento, tem dois motivos básicos: primeiro que a tendência de todo mundo é sempre exagerar para mais e segundo que sempre será possível comprar depois da partida algo que falta. Deixar algo pelo caminho normalmente é mais difícil para o motociclista, não só pelo valor sentimental, mas também pelo valor material do bem.

Eu costumo fazer uma lista do que vou levar muitos dias antes da data marcada para a viagem, e na medida em que for planejando os demais detalhes, vou revisitando a lista para verificar se algo não foi esquecido. Alguns dias antes da viagem eu faço um teste de campo, que é pegar todos os objetos da relação e dispô-los na bolsa. É uma oportunidade para checar se cabem, como serão colocados na moto e qual o peso que estarei me sujeitando carregar, sabendo que poderei inclusive ter que subir escadas com ele.

Mas vamos logo à lista. No final desta página eu coloquei os detalhes e explicações do porque de cada um dos itens. A quantidade é para uma viagem de uns 20 dias. Na explicação de cada item poderá ser observado que alguns excluem outros, dependendo do lugar para o qual será a viagem e da época do ano:

Água mineral Dinheiro e cartões Objetos de higiene pessoal
Balaclava 3 Elásticos para moto Óculos de sol
Barrinhas de cereais (ou frutas secas) Ferramentas para a moto Pomada para assadura
1 Bermuda Flanela Protetor labial
Botinas Jaqueta de Verão Protetor solar
Bolsa para moto Kit de primeiros socorros Relação de hotéis
2 Calças Lanterna Remédios
5 Camisetas Lenço ou tubo de pescoço Segunda pele
Capa de chuva 2 pares de Luvas Silver tape
Capacete Manual do proprietário 1 Sunga ou calção de banho
Chinelos Mapa do percurso ou GPS Tênis
Jaqueta e calça de cordura Máquina fotográfica 4 Tie-Up
5 Cuecas 5 pares de Meias 2 tubos de Reparador de pneu

Acho que me lembrei de tudo. Se aparecerem alguns itens que possa ter esquecido eu retornarei a este post e completarei. Se você tiver alguma sugestão, basta colocar no comentário, no final do artigo. Lembro que esta lista é a que eu acho ideal para as minhas necessidades, e podem não ser adequadas a todas as pessoas. Mas acho que pode ser útil pelo menos como base e para reflexão no planejamento de uma grande viagem.


Água mineral

Sempre levo na bolsa uma garrafa de água mineral ou duas, que bebo nas paradas fora dos postos de combustível e lanchonetes à beira da estrada.

Meu amigo JF sugere levar uma garrafinha SIGG para água - são de alumínio (muito melhores que os squeezes de plástico), tem a tampa de rosca e grande vantagem sobre as garrafas pet, pois é muito mais resistente e não vazar de jeito nenhum.

Balaclava

Eu ainda não me acostumei com o uso deste item, mas em lugares frios é bem útil para esquentar a orelha. Eu já comprei algumas sofisticadas, com material térmico, especial, mas as melhores são as simples e baratas. Na hora da escolha, deve ser observado o lugar da costura, pois alguns modelos as têm em lugares que podem incomodar e marcar a pele quando se coloca o capacete.

Barrinha de cereais

São leves, não fazem volume, não estragam, não fazem mal a ninguém (experimente ter uma diarréia no Atacama) e alimentam com qualidade numa emergência. Este texto também é sugestão do amigo JF. Em minha viagem para a Argentina e Chile eu levei muitas. Na estrada eu preferia lanchar algumas barrinhas que almoçar. Os amigos Carlos e Jacqueline Hochberg sugeriram levar frutas secas ao invés das barrinhas. Segundo eles, aguentam bem o calor e ficam melhor acomodadas junto com a bagagem.

Bermuda

Eu gosto de levar uma na bolsa, pois dependendo do destino pode ser útil em passeios mais informais. Mas obriga a levar pelo menos um tênis.

Botinas

Este é um equipamento fundamental e que normalmente é tratado com displicência pelos motociclistas. Tem que ser impermeável, com solado grosso e apropriada para motociclistas. É útil tanto para uso com roupa de cordura quanto com outro tipo de roupa. Protege os pés em caso de queda, da humidade, do frio e dependendo do modelo pode também ser usado para sair à noite com um jeans. Eu tenho um par de botinas da Guartelá, específico para operações policiais com moto, que além de impermeável e resistente é feita com material do tipo dry, facilitando o controle da humidade nos pés. Com ela eu costumo não levar outro calçado, exceto um chinelo.

Bolsa para moto

Este item eu acho que ninguém esquece, mas gostaria de chamar a atenção para a escolha da bolsa. Recomendo nunca usar mochila. Além de prejudicar a postura e aumentar o desgaste do motociclista, em caso de queda ela pode provocar danos à coluna.

Eu prefiro usar bolsa sobre o banco do garupa e sobre a churrasqueira, pois nesta disposição, além de reduzir o arrasto, permite que se tenha um apoio para as costas que faz uma grande diferença no fim de um dia na estrada. Outra observação é que a bolsa deve ser impermeável ou ter uma capa que pode ser usada sobre ela em dias de chuva.

Calças

A melhor calça para levar em viagens é a jeans, que pode ser usada para visitar lugares ou ir a um restaurante, mesmo quando um pouco mais sofisticado sem, no entanto, destoar do ambiente. Calça de cordura não fica legal em qualquer lugar, exceto sobre a moto ou nos restaurantes à beira da estrada. Eu tenho uma calça de brim com proteções nos joelhos e lateral, que pode ser usada na estrada ou à noite para passear e conhecer os lugares. Se não tiver uma calça específica para a estrada, devem ser levadas pelo menos duas calças.

Camiseta

Uma vestimenta interessante de usar em viagens de moto são as camisetas do tipo dry. Elas são muito práticas porque permitem que a transpiração seja dissipada com grande facilidade, aumentando o conforto. São facilmente lavadas na pia do banheiro e podem ficar penduradas num varal de roupas ou numa cadeira do quarto e, ainda assim, secam muito rapidamente. Numa viagem de vinte dias, por exemplo, umas quatro ou cinco de cores diferentes (para não ficar parecendo, nas fotos, que está com a mesma camisa todos os dias), serão suficientes para toda a viagem, sem deixar o motociclista "cheiroso", no mau sentido.

Dependendo das condições climáticas, é interessante alternar a quantidade de camisetas entre manga curta e longa. Além disto, umas duas camisas básicas para usar quando não estiver na estrada podem ser úteis.

Capa de chuva

Se levar um conjunto de calça e jaqueta de cordura este item é dispensável, caso contrário, leve uma capa de chuva e deixe-a sempre na parte de cima do case.

Capacete

Sobre este item vou comentar apenas que ele deve ser de boa qualidade e valorizar o controle do nível de ruído. Várias horas sobre uma moto com barulho do vento ou do escape aumentam muito o cansaço.

Chinelos

Minha bagagem não fica sem um par de Havaianas.

Conjunto Jaqueta e calça de cordura

Se a viagem incluir trechos com temperatura baixa, um conjunto com jaqueta e calça com forro térmico. Eu pessoalmente acho as de cordura as que têm o melhor custo x benefício para uso em clima ameno ou de baixas temperaturas.

Cuecas

Este item é difícil de definir a quantidade. Para vinte dias de viagem eu acho que umas cinco são suficientes, devendo ser lavadas na medida em que forem sendo usadas. Eu sempre levo uma sacola plástica na bagagem para colocar dentro a cueca que não secou à noite e continua úmida. Atenção que se for esquecida na sacola por mais de um dia, provavelmente a cueca será perdida.

Dinheiro e cartões

Eu olho no site do banco se os lugares que irei passar têm caixa eletrônico. Faço uma estimativa de gasto para o percurso até o próximo caixa, levo dinheiro para chegar a este lugar e mais alguma sobra.

É bom lembrar que nem todos os estabelecimentos aceitam cartões de crédito, e isto ocorre com maior frequência em algumas regiões menos desenvolvida e sem estrutura.

Em outros países é possível retirar moeda local em caixas automáticos utilizando cartões de crédito. Existe uma taxa para cada saque, mas este é um procedimento que aconselho, pois evita ter que levar muito dinheiro e normalmente o câmbio utilizado pelos cartões é mais favorável que a troca feita em casas de câmbio.

Documentos

Estes devem ser os primeiros objetos a serem separados para a viagem e nunca podem ser esquecidos. Eu o mantenho sempre em local de fácil localização para que sejam alcançados com rapidez. Se estiver utilizando uma roupa de cordura, eles ficam num dos bolsos desta roupa. Se a roupa não é impermeável, levo uma sacola plástica e coloco dentro. Mesmo levando capa de chuva, a possibilidade de se molhar num pé d'agua repentino é grande.

No Brasil, é obrigatório portar o CRLV - Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos e a CNH - Carteira Nacional de Habilitação. A CNH substitui a identidade para a maioria das necessidades, mas eu sempre levo ambas.

Em outro artigo eu escrevi sobre os Documentos necessários para viajar de moto pelos países do Mercosul (Uruguai, Paraguai e Argentina) que na maioria as regras valem também para os demais países da América do Sul. Tecle no título acima que o artigo será aberto.

Uma dica que adoto sempre: junto com os documentos da moto e meus documentos eu levo um cartão ou uma folha de papel com telefones úteis, como os do seguro, banco, cartão de crédito e principalmente de familiares e amigos que podem ser contactados em caso de necessidade. O cartão tem ainda informações sobre meu tipo sanguíneo. Não é o meu caso, mas recomendo incluir, para quem precisa, remédios que se faz uso e eventuais alergias.

Elásticos para moto

Eu sempre levo, mesmo não sabendo se vai ser necessário. Custa barado, menos de R$ 2 cada, e pode ser muito útil da estrada. No quanto também. Podem virar varal para secar a roupa enquanto durmo.

Ferramentas para a moto

Eu não entendo nada de mecânica, mas sempre levo um jogo de chaves ale, outro de chaves torx e pelo menos três chaves de boca básicas que atendem à maior parte das necessidades em uma emergência. Isto porque minha moto tem medidas no padrão americano, que é em polegadas, e pouquíssimos mecânicos costumam ter ferramentas que servem nela. Ela nunca me deixou na mão, mas sempre é bom prevenir. Além disto, estas chaves ocupam muito pouco espaço na bagagem.

Flanela

Sempre é útil.

Jaqueta de Verão

Dependendo da época do ano e a região que vou passar, eu levo uma jaqueta de verão, daquelas furadinhas, com proteção nos ombros, cotovelos e costas. Utilizo sempre uma jaqueta com manga longa, pois além da proteção em caso de queda, também protege contra os raios solares.

Kit básico de primeiros socorros

Desinfetante, esparadrapo, rolinho de gaze, band-aid, antiácido, analgésico e lenços umedecidos. Outra sugestão do JF. Eu não costumo levar, mas é interessante para prevenir pequenos acidentes.

Lanterna

Uma pequena.

Lenço ou tubo de pescoço

Ter bandanas e aqueles "tubos" de pescoço para proteger do sol e, nos momentos mais quentes, encharcá-los com água gelada. Ajuda muito a suportar o calor inclemente.

Luvas

Eu me acostumei tanto a usar luva quando estou na estrada que se não coloco me sinto pelado. Eu levo duas luvas em minhas viagens, uma de verão, feita do mesmo material da jaqueta, toda furada, e uma impermeável com forro térmico. Enquanto uma está sendo usada, a outra ocupa pouco espaço na bagagem. Esta deve ficar na parte superior da bolsa, para fácil localização.

Manual do proprietário

No caso de necessidade, indica algumas falhas básicas e suas causas, cuidados, etc.

Mapa do percurso ou GPS

Quando não tinha GPS e não conhecia o percurso, utilizava o Google, imprimindo os mapas, principalmente com detalhes das cidades que iria pernoitar. Ia colocando-os no bolso na medida em que iria percorrer o trecho.

Existem alguns guias, vendidos em livrarias e pela internet, focados em regiões ou países, que podem ser muito úteis nas viagens.

Com GPS e como minha moto não tinha uma tomada para carregar, providenciei uma. Os melhores aparelhos têm autonomia para poucas horas, normalmente insuficiente para todo o percurso. Em algumas lojas fora do Brasil existem alguns adaptadores à prova d'água com preços interessantes e que incluem proteção contra curto circuito. Sempre procuro manter os mapas os mais atualizados possíveis.

Outro detalhe importante é marcar nos mapas impressos ou no GPS os endereços dos hotéis disponíveis nas cidades que vou pernoitar.

Máquina fotográfica

Nunca viajo sem levar uma (na verdade uso duas), acompanhada de bateria reserva e pelo menos dois cartões de memória.

Meias

Já me recomendaram, e eu ainda não tive a oportunidade de experimentar, meias do tipo dry, encontradas em lojas que vendem artigos para ciclistas. Do mesmo modo que as camisetas, elas também ajudam no controle da umidade dos pés. Isto significa menos chulé.

Em viagens para locais mais frios, levo pelo menos um ou dois pares de meias de algodão mais grossas. Se não forem usadas na estrada, podem ser úteis à noite.

Objetos de higiene pessoal

Eu sempre levo pente, escova de dentes, fio dental, creme dental - um tubo pequeno, aparelho de barbear, espuma de barbear, desodorante, cotonetes, tesourinha de unha - daquelas de camelô que dobram e shampoo. Procuro colocar tudo numa necessaire se a bolsa não tiver algum bolso específico para isto. Quanto aos vidros, costumo levar só os de recipiente pequeno.

Óculos de sol

Meu capacete atual tem um óculos retráteis, mas mesmo assim eu acho importante ter um na bolsa.

Pomada para assadura 

É uma sugestão do Carlos, de Manaus. Eu já passei aperto no Chaco Argentino com o calor extremo. Se tivesse na bagagem ia me ajudar a dormir melhor de noite.

Protetor labial

Mesmo no calor eles costumam ser úteis, pois evitam o ressecamento e também protegem do sol.

Protetor solar

Não é recomendável pegar estrada sem as proteções devidas, e isto inclui não descuidar da pele. Ele deve ser aplicado diariamente em todas as áreas do corpo que não estiverem cobertas por roupa. Em regiões mais secas, o protetor solar pode ser utilizado também como hidratante da pele.

Remédios

Eu não uso, mas coloquei aqui para lembrar da necessidade de levar para quem faz uso constante.

Reservas em hotéis

Quando faço reserva prévia nos hotéis, levo impressa a confirmação da reserva ou no mínimo o telefone e endereço do hotel e o nome do funcionário com quem acertei a estadia.

Depois de alguns apertos, em viagens que opto por não fazer as reservas previamente, nunca deixo de buscar na internet e levar impressa uma planilha com os hotéis, seus endereços, telefones e, de preferência, com as coordenadas. Essa e outras planilhas que utilizo no planejamento de minhas viagens de moto podem ser baixadas no artigo Planilhas para o planejamento de uma viagem de moto.

Reparador de pneu

É um tubo com um material selante e ar sob pressão, que quando injetado no pneu preenche o furo e permite levar a moto até um borracheiro.

Segunda pele

Se a temperatura beirar ou ficar abaixo do zero grau por onde vou passar, eu levo um conjunto de segunda pele. Existem tipos específicos para cada faixa de temperatura que vão até vários graus abaixo de zero. Além de ocupar pouco espaço na bagagem, um só conjunto é suficiente para uma viagem longa.

Silver tape

É aquela fita igual durex só que grossa. Pode ser útil. Conforme comentário do Rodrigo, não é necessário o rolo todo. Hoje podemos comprar unidades menores ou usar o velho truque dos skatistas, enrolando uma quantidade menor em um palito de sorvete.

Sunga ou calção de banho

A sunga ocupa pouco espaço na bagagem, mas o calção ou bermuda de banho costuma ser mais indicado, dependendo do lugar que vou e se terei oportunidade de tomar banho em rios, lagos, cachoeiras ou piscinas. Também pode substituir a bermuda, dependendo do modelo. Lembre-se que as sungas costumam não ser bem aceitas nas culturas de alguns países.

Tênis

Dependendo do tempo de viagem, dos lugares que vou visitar ou do espaço na bolsa, eu costumo levar um do tipo sapatilha. Mas é o primeiro objeto a ser retirado da bagagem caso ela fique cheia demais.

Tie-Up

É aquela braçadeira de plástico. Pode ser útil e fica em qualquer lugar no fundo da bolsa.

Complementando este artigo, criei uma figura que pode ser impressa para ajudar a checar os itens a levar e também para arrumar a bagagem na moto. Leia o artigo Organizando a bagagem na moto.

Comentários (90)

  1. vanderlei Saldanha

Achei muito legal sua lista, vou fazer uma viagem de 11 mil km, contornando o Brasil, saindo de Curitiba,e cruzar a transamazonica,voltando pelo litoral, estou ansioso, vai ser uma baita aventura.

  1. Felipe Soares

Também eh importante se informar sobre doenças e vacinas antes da trip

  1. nilson goncalves

Ola amigo

Suas informaçoes foram muito uteis. Estou em fase de planejamento para viagem ao Alasca em junho. Conheço do Ushuaia ao Peru. A partir dai estou colhendo informaçoes pois irei sozinho e ja estou meio passado(quase 67 anos). Se tiver informaçoes sobre o trajeto agradeço antecipadamente. Abraços,

  1. Rômulo Provetti    nilson goncalves

Prezado Nilson, bom dia.
Recomendo a leitura do seguinte diário de uma viagem realizada até o Alasca: http://viagemdemoto.com/expedicao-bh-alaska

Se tiver alguma dúvida sobre o roteiro, poste um comentário no respectivo artigo que o autor tentará te ajudar.

Abraços

  1. Nilson Gonçalves    Rômulo Provetti

Obrigado amigo. Abraços

  1. Vagner Marcelino de Faria

Boa noite. Esta chegando o dia ! Segunda feira estarei partindo. Gostaria de tirar mais uma duvida com todos aqui do Viagemdemoto. Vocês conhecem ou já usaram o cartão confidênce.
Liguei lá hoje para fazer e já esta quase tudo certo. A pergunta é ! Acha fácil lugares para sacar em moeda local ? Como o cartão também é de debito, sera que nos postos que irei abastecer, hotéis e restaurantes eles aceitam cartão ?
Gostaria de saber se alguem tem essas informações para compartilhar. Obrigado .

  1. Rômulo Provetti    Vagner Marcelino de Faria

Na Argentina, muitos lugares ainda não aceitam cartão de crédito ou débito. No Chile você compra quase tudo com carão. Não conheço o serviço dessa Confidence, mas deve ser igual aos outros cartões, você vai a um ATM (caixa eletrônico) e saca dinheiro local, que é convertido para o dólar na sua conta.

  1. Vagner Marcelino de Faria

E isso ?

A contratação desse seguro é obrigatória no caso do automóvel não possuir um seguro internacional por danos à terceiros. Isto significa que se você tiver contratado uma Carta Verde que inclua o Peru (o nome deste país deve estar listado explicitamente no documento), não é necessário contratar o SOAT. No entanto, para evitar problemas com a polícia do Peru, famosa pelos pedidos de propinas aos motoristas estrangeiros, é recomendável adquirí-la, pois desta forma você irá portar um documento que será facilmente reconhecido pelos policiais peruanos.

Assim que cruzar a fronteira, você deve contratar este seguro em um posto de venda da cidade mais próxima. Para quem entra no Peru pelo norte do Chile, pode-se adquirir o SOAT em Tacna ou Arequipa. O preço varia em função do tipo de veículo. Um carro de passeio custa em torno de 26 Soles (R$21,27) por um período de 1 mês.

Qual a diferença de SOAP E SOAPEX ? é a mesma coisa ?

  1. Rômulo Provetti    Vagner Marcelino de Faria

Olá Pelegrino, bom dia.

Sim, você terá que contratar o SOAT em um agente próximo à fronteira e ele é obrigatório para transitar no Peru. O Carta Verde não tem validade no Peru, somente para os países do Mercosul. Você não conseguirá contratá-lo com sua seguradora, como fez para o Carta Verde, nem pela internet como com o SOAPEX.

SOAT tem o mesmo objeto do SOAPEX, a diferença é só a denominação adotada pelo Chile.

Dê uma lida nestes dois artigos que você poderá obter mais informações:

http://viagemdemoto.com/dicas-para-viagens/3437-documentos-para-uma-viagem-de-moto-ate-o-peru

http://viagemdemoto.com/dicas-para-viagens/425-documentos-para-argentina-chile-uruguai-paraguai

  1. Vagner Marcelino de Faria

Achei isso também> A Bolivia e o Peru ainda não tem uma solução equivalente, mas já estão exigindo a pólice de seguro em suas fronteiras, quem optar por estes países deve procurar uma seguradora que faça o seguro contra terceiros para estes países, que não é a C.V.

Além do seguro o motociclista deve portar:

Carteira de Identidade

Carteira de Motorista

Documento da moto em seu nome ou carta do proprietário autorizando a viagem assinada em cartório.

A moto não deve estar alienado caso contrário deve portar uma carta do agente financeiro autorizando a viagem.

DUT em branco (conhecido como documento de transferência)

Vacinação contra a Febre Amarela para alguns países.

Site>>> http://www.amo-rs.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=848:chile-inova-com-carta-verde-online-soapex&catid=18:moto-turismo&Itemid=106

  1. Vagner Marcelino de Faria

Boa noite, fiz o seguro da minha moto sem limites de quilometragem. O dono da corretora disse que vai fazer uma extensão do meu seguro, e assim solicitar o SOAPEX que irei pagar a parte, o mesmo para carta verde, irei pagar a parte. Mas para o Peru ele disse não saber qual seguro ser. Pesquisei em sites achei isso "(Site: http://www.viajologoexisto.com.br/plan/documentos/seguro-obrigatorio-mercosul-carta-verde)"

A titulo de informação, o SOAT é o equivalente da Carta Verde para Peru, Equador e Colombia.
O documento foi pedido em todas as fronteiras e pelos policias que nos pararam, apresentamos sempre junto do documento original do carro e CNH e não tivemos problema algum.

Pagamos algo como R$ 130, 00 por três meses de seguro, algo como 43 reais por mês, o que é quase o dobro do que pagamos pelo SOAT no Peru. Fizemos pela Porto Seguro e como não tivemos que usa-lo, infelizmente, não temos como analisar o serviços deles.

Isso procede ? como já tenho a carta verde e o SOAPEX para o chile. Preciso de algum seguro adicional para o Peru ?

Obrigado !

  1. Vagner Marcelino de Faria

Boa noite a todos, Gostaria de saber sobre a vacina da febre amarela. Eu fui até o posto de minha cidade e tomei. A enfermeira carimbou minha carteirinha e disse que como era para o Viagem tinha que por o Lote da vacina, data validade, nome da enfermeira e o carimbo dela do COREN.
Achei que era só isso, mas li em alguns tópicos pessoas comentando sobre a necessidade da Carteira de vacinação internacional. Existe isso ? Tenho que fazer aqui no Brasil ? Ou vou com a minha, e na entrada do Pais que exige a vacina eles fazem uma, baseando nas informações contidas na minha ?

Espero que tenha ficado confuso. Obrigado.

  1. Rômulo Provetti    Vagner Marcelino de Faria

A carteirinha de vacinas que você tem e onde foram anotados os dados da vacina contra febre amarela que tomou só tem validade no Brasil. Para fazer uma viagem para países que exigem essa vacina, você precisa do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP), que é emitido, gratuitamente, pela Anvisa (veja a lista de locais onde obter aqui). Leve a carteira de vacinas e a identidade.

Dos países que você irá visitar (Argentina, Chile, Paraguai e Peru) apenas o Paraguai exige que você leve o certificado (veja a relação de países aqui).

  1. Vagner Marcelino de Faria

Bom esta quase chegando o dia de ir, se eu levar só dinheiro em reais mesmo, a troca pela moeda local é fácil ?
As casas de câmbio são fáceis de ser localizadas também ?
Tem risco de viajar com uma quantia muito grande em dinheiro ? Não tenho cartão internacional.
Alguma dica ou recomendação sobre este assunto ?

Obrigado desde já.

Boa tarde a todos !

  1. Rômulo Provetti    Vagner Marcelino de Faria

Olá Pelegrino. Não é difícil nas cidades maiores. Cidades pequenas é que pode complicar. Para achar casas de câmbio, a melhor forma é perguntar.
É interessante guardar o dinheiro em pequenas partes em vários lugares da bagagem e em algum tipo de bolsa que fica debaixo da roupa que você estiver usando.
A recomendação é calcular bem o gasto para levar o que planeja gastar.
Abraços

  1. Vagner Marcelino de Faria

Boa noite a todos !

Lá vem Eu com mais uma pergunta.
Estou levando alguns medicamentos mais para prevenção. Tais como analgésico, Antigripal, antiácido ...
A pergunta é; Preciso ter a receita médica dos medicamentos nos quais estou levando ?
E outra, tenho um amigo que ira junto e que como continuamente anti-hipertensivo para controlar sua pressão ?
Também se enquadra em minha situação ? Necessita ou não de suas respectivas receitas médicas ?

Obrigado por sanar minhas duvidas anteriores, Boa noite.

  1. Rômulo Provetti    Vagner Marcelino de Faria

Olá Pelegrino. Pergunte o quanto achar necessário. Melhor esclarecer suas dúvidas antes da viagem do que descobrir que faltou algo quando já for tarde demais.

No caso dos medicamentos controlados – tarjas vermelha e preta – leve-os na caixa original junto com a receita médica carimbada pelo médico e em seu nome.

Não precisa de receita para os medicamentos não controlados, mas deve levar o mínimo necessário para o tempo de duração da viagem. Excesso de unidades pode ser mal interpretado pelos fiscais da aduana.

  1. Vagner Marcelino de Faria

Vou fazer uma viagem e passar por vários países do Mercosul, dentre eles, Paraguai, Argentina, Chile e Peru.
Preciso somente do seguro carta verde, ou preciso também do seguro "SOAPEX" ?

São obrigatórios ?

Obrigado e boa tarde a todos !

  1. Rômulo Provetti    Vagner Marcelino de Faria

Pelegrino, você precisa contratar os dois. São obrigatórios.

Dê uma olhada neste artigo, que tem informações sobre os documentos que precisará para sua viagem:

Documentos para uma viagem pelos países do Mercosul

  1. Vagner Marcelino de Faria

Boa noite, lendo em vários sites, consegui bastante dicas. Mas gostaria de saber como fazer com a comunicação ?
Dia 26 de setembro vou sair de Vargem Grande do Sul-SP com destino a Machu Picchu. Minha rota terá média de 11.000 Km.
Minha dúvida é, tem algum chip para os países do Mercosul ? Os chips das operadoras do Brasil funcionam normal nos Países nos quais irei passar ? Se alguém tiver esta informação eu agradeço.
Obrigado a todos !

  1. Rômulo Provetti    Vagner Marcelino de Faria

O chip daqui funciona lá fora, mas não use sem contratar um plano de roaming com a sua operadora. Chamadas sem a contratação antecipada tem preços proibitivos.
A opção de comprar um chip pré-pago costuma ser mais econômica dependendo do tempo que vai ficar no país. Você compra o chip em uma loja de telefonia celular. Basta apresentar o passaporte e peça para o funcionário que te atender para fazer a pré ativação.

  1. Vagner Marcelino de Faria    Rômulo Provetti

Muito obrigado pelas informações !

  1. Adilson Souza

Um item que pouca gente se lembra de levar é a chave reserva. Vai ser imprescindível numa eventual perda da chave principal pois é codificada.

  1. Diana

Dicas valiosíssimas e de conteúdo riquíssimo em detalhes. Muito boa sua intenção em compartilhar essas informações. Amei.

  1. jeferson de oliveira cardoso

parabens pelas dicas,todas sao uteis,valeu Romulo provetti,feliz 2016 a todos.

  1. Alexandre

Ótimas dicas quero acrescentar que inclui uma vez talco na bagagem e nunca mais tirei!
pés e traserio. Não assa, mantém tudo seco.
Boa viagem!

  1. MIGUEL ÂNGELO DE MATTOS DA SILVA

Bom dia a todos.
Achei bem completo o artigo, mas gostaria de sugerir o seguinte:
1 - quando for separar a documentação, não esquecer de verificar a validade da CNH, CRLV (obrigatório no RIO DE JANEIRO) e receitas médicas de medicamentos de uso contínuo;
2 - para viagens longas, o mel é uma bomba energética de ação imediata. Líquidos com cafeína (mate, coca-cola) também são energéticos, já os energéticos como redbull, fire, etc, em grandes quantidades podem provocar diarréia. O meu limite é uma unidade. ATENÇÃO PARA OS QUE TEM CONTROLE DE AÇÚCAR;
3 - PDA, smartphone, etc e seus carregadores, são importantes para se conectar em redes sociais. Isso além de ajudar a informar aos familiares e amigos a sua localização, registrar fotos da sua viagem, também combate dois grandes inimigos chamados de SOLIDÃO e SAUDADES DE CASA;
4 - não deve faltar na bagagem, sendo a dica mais importante para usar na hora do cansaço e sono: DORMIR no local planejado ou onde for possível, em caso de acontecer imprevistos. Lembre-se! No dia seguinte a viagem continua e chegar é a conseqüência.
Acho que é só esta a minha contribuição.
Parabéns pela matéria.
Pilotem e sejam felizes.
PHD Miguel Ângelo.:
P.S. : PHD não é título acadêmico, mas para quem não conhece, significa Proprietário de Harley-Davidson.

  1. Eduardo Oliveira

Parabéns pelas ótimas dicas, Rômulo. Acrescentaria óleo lubrificante para corrente; um canivete; um rolinho de arame; um canivete; um alicate de bico/cortante; um esticador (para ser utilizado em caso de reboque); dois funis (um para óleo e outro para combustível); um rastreador GPS; um adaptador universal para tomadas, para carregar os eletrônicos (celulares, GPS, intercomunicador etc); e uma mochila para hidratação.

  1. fernando

Fósforo ou isqueiro

  1. Josi

Olá eu ando de moto com o meu marido, estou pensando em ir com ele para Rio das Ostras, e quero comprar uma mochila para a viagem, esta certo uma mochila ou não.

  1. Rômulo Provetti    Josi

Bom dia, Josi. Se puder, recomendo não utilizar mochila nas costas enquanto está em uma moto, pois em caso de queda, ela pode causar danos à sua coluna. Um outro problema da mochila é que se o passeio ou viagem for longo, o peso nas costas vai aumentar o desgaste do seu corpo. Se a moto tiver um local onde você possa prender a mochila, como uma churrasqueira ou sissy bar, então não haveria problema. Lembre-se que durante um passeio ou viagem de moto estamos sujeitos a chuva, então a mochila deve ser impermeável ou ter proteção para água.

  1. marden almeida

estou querendo comprar Sino para colocar na minha moto. alguém sabe me dizer onde encontro em Belo Horizonte? ou em algum site na internet? obrigado e abraço

  1. Rômulo Provetti    marden almeida

Marden, é o guardian bell? Acho que na Motostreet tem para vender. Eu já vi na Machina Helmets (Rua dos Inconfidentes, 776 Funcionários ). Semana passada eu vi na Chuck Wash (Rua do Ouro, 835 - Serra)

  1. marden almeida    Rômulo Provetti

Valeu Rômulo ! na Moto Street não tem, mas vou ver nas outras indicações. tomei conhecimento do Guardian Bell no seu livro e achei bacana demais. Minha esposa trouxe para mim um da Harley dos Estados Unidos, mas quero presentear um irmão e um amigo. vou lá na Chuck. valeu e um abraço

  1. renato

Sugiro tambem remedio para o ouvido pois viagem longa dah dor nos ouvidos

  1. Adilson

Ótimas dicas. Parabéns pelo site.

  1. Ricardo Furtado

Muito bom o artigo... Pretendo fazer minha primeira viagem longa e essas informações foram fundamentais. Abraços, Ricardo Luminárias, MG

  1. Nelson Poli 1

Parabens por todas as informações. Realmente gostei muito. Posuo uma Shadow 600cc., é super confortavel para viagens. Um forte abraço Nelson Poli 1

  1. Dimas

Você esqueceu do Kit Borracheiro, pois dependendo da viagem e ocorrer algo inesperado. Melhor que chamar o socorro é mais gratificante vc mesmo consertar o pneu, ou trocar a câmera. Xd

  1. rafael lima

uma faca ou um estilete para que se possa cortar algo em alguma ocasião emergencial, ou mesmo descascar frutas em beiras de estradas. Uso sempre uma faca pequena sem serra e um estilete + para emergência como ou mesmo para cortar a SILVER - TAPE pq lembre-se vc não é MacGyver! grato!!!

  1. Jonathan

E um radio com fone Pq viagem longa sem um rock não consta

  1. aleciooliveira

olá,pessoal,gostaria de tirar uma duvida,posso viajar com uma caixa pequena no banco trazeiro da moto?eu vou amarra bem!

  1. Rômulo Provetti    aleciooliveira

Olá Alecio, Você pode levar sim, mas teste antes de iniciar a viagem, para verificar se ela não vai incomodar durante a pilotagem. Dependendo do material que é feita a caixa, verifique se não tem pontas cortantes, etc.

  1. mauro césar

Olá pretendo fazer uma viagem de fortaleza para são paulo em julho deste ano. a minha pergunta é vcs indicariam fazer uma viagem dessa em que no minimo vou rodar 7 mil km durante uns 10 dias em uma moto titan 150 cilindradas?

  1. Rômulo Provetti    mauro césar

Mauro, temos aqui no site pessoas que fizeram viagens com distâncias maiores e motos com menor cilindrada. Veja a história destes dois motociclistas: http://www.viagemdemoto.com/index.php/viagens-pela-america-do-sul/631-viagem-de-moto-pela-america-do-sul O importante é você respeitar os limites da moto e seus para fazer uma viagem com a maior segurança e conforto possível. Cadastre-se no nosso fórum e nos mantenha informados sobre seus planos.

  1. Fabio

Olá PQD, obrigado pelo alerta. O link foi corrigido
Esse ano vou fazer a minha primeira Trip internacional e vou com todas as suas dicas na bagagem!! Vlw mesmo! Abrax

  1. Fabio

Excelente texto e dicas preciosas para aqueles que vão se aventurar pela primeira vez nas estradas internacionais. Se puder veja o link dos documentos necessário no mercosul, pois tentei acessar e está com problema! Grande Abraço!

  1. Rômulo Provetti    Fabio

Olá PQD, obrigado pelo alerta. O link foi corrigido

  1. Robson

Outra coisa sem canivete multi uso não se anda..e um bastão de luz química pode ajudar muito quando a lanterna (de testa) pifar à noite na chuva.....

  1. Robson

Silver Tape levo rolo completo , aquilo imobiliza até braço quadrado em queda , segura partes de moto quebrada e etc...não ocupa tanto espaço assim e o peso é mínimo .

  1. RUBENS XAVIER

Gostei, muito importante tudo o que foi colocado, e acho que também seja necessário levar uma toalhinha pequena de banho. Abs

  1. Rômulo Provetti    RUBENS XAVIER

Valeu pela dica, Rubens. É indispensável para quem vai acampar, por exemplo. Abraços

  1. Carlos-Manaus

Muito bom, pensou em tudo porisso parabenizo.so gostaria de acrescentar uma pomada para assadura. Poder ser muito útil. Abraco

  1. Rômulo Provetti    Carlos-Manaus

Oi Carlos, boa lembrança. Eu mesmo já senti falta de uma passando pelo Chaco Argentino. Que calor. Vou acrescentar na lista. Valeu

  1. jovane

parabens vc sabe tudo de viagem

  1. paulo campos

boa noite prezado gostei do teu site...como motociclista prezo pela prevençao e segurança. estou interessado,junto com meu filho e nossas lander 250, em fazer o trecho brasilia - manaus. pode me dar dicas? obrigado e ate a proxima

  1. Rômulo Provetti    paulo campos

Olá Paulo, obrigado pela mensagem. A melhor forma de você planejar sua viagem é ler o relato de viagens feitas por outros motociclistas. Sugiro que você leia o relato de algumas viagens que temos publicadas aqui no site: [url]http://www.viagemdemoto.com/index.php/viagens/brasil/102-norte-do-brasil[/url] [url]http://www.viagemdemoto.com/index.php/viagens/brasil/142-viagens-pelo-brasil/1012-brasil-sobre-duas-rodas[/url] [url]http://www.viagemdemoto.com/index.php/viagens/destaques/224-transamazonica-um-sonho[/url] Abraços

  1. Humberto Alves de So

Adorei as dicas,vão ser muito úteis na minha viagem de São Paulo à minas gerais (700 km)

  1. Adilson Ferreira Machado

Olá Rômulo Fico impressionado com a sua dedicação nos assuntos motociclisticos... A sua participação neste site é fundamental a todos nós que gostamos de moto e principalmente de longas viagens. Parabéns mais uma vez pelas matérias inteligentes que tem publicado. Abraço

  1. Rômulo Provetti    Adilson Ferreira Machado

Adilson, muito obrigado pela mensagem, ainda mais de um motociclista experiente como você. É um incentivo para continuar trabalhando para valorizar a cultura da vigem de moto. Grande abraço

  1. Rômulo Provetti

Já ouvi pessoas comentando a favor e contra. Tem quem defende e quem experimentou e não gostou. Parece que o mais importante é que seja bem aplicado.

  1. Carlos Macapuna

Galera, vou fazer a minha primeira grande viagem em Julho, e minha maior preocupação é do pneu furar! Andei vendo sobre a vacina de pneu, é eficaz e recomendado? Alguém tem alguma experiência? Obrigado!

  1. Tobiasferreira

minha Dyna é raiada... ja tinha pensando mesmo em colocar pneus novos e depois terminar de usar os que estao nela... mas sinceramente essa ideia de por a motoca num caminhao me frustra um pouco, ainda mais porque vou com garupa... aquelas vacinas nao tem efeito quando o pneu é com camara?? o pessoal da Harley me sugeriu fazer um treinamento para retirar a roda e instalar uma nova camara de ar, mas confesso que nao sou muito bom com esse tipo de serviço...

  1. Rômulo Provetti

Oi Tobias, Sua Dyna tem roda raiada ou de liga? Se for de liga, leva o kit de reparo com macarrão, que tem na MotoStreet. São baratos, você mesmo repara e dá para rodar muito depois, em alguns casos, se o furo não for grande, é definitivo. Se é raiada, sinto muito, dependendo do lugar vai ter que colocar em um caminhão e levar a moto para um lugar que tenha estrutura. A melhor forma de se precaver é viajar com pneus novos. Na última viagem eu troquei os dois pneus, mesmo um deles ainda tendo muito tempo para rodar. Guardei e retornei com ele quando o outro gastou. Abraços

  1. Tobiasferreira

ola Romulo... estou me organizando para fazer uma viagem ate o Ushuaia no inicio do proximo ano, mas estou com algumas duvidas que acredito ja foram suas tambem...rs.. minha principal duvida é sobre a possibilidade de furar o pneu, tenho uma Harley Davidson Dyna ( ja te encontrei em um cafe da manha na HDBH) e o meu maior medo é que fure algum dos pneus ao longo do trajeto... ate tenho aquelas vacinas para o caso de uma emergencia, mas nao tenho certeza se os borracheiros ao longo do caminho tem capacidade ou coragem de desmontar a moto... ja passou por algo parecido? obrigado pelas respostas... ja li a maioria dos seus relatos, na tentativa de me preparar um pouco mais.rsrs abraços

  1. wellington gomes figueiredo

as unicas luvas totaltmente impermiáveis que usei foram aquelas de uso na construção civil (de borracha!). São quentes mas são totalmente iompermiáveis.

  1. Rômulo Provetti

Caramba, Robson, você já fez uma boa avaliação das opções disponíveis. Compartilho com você a preferência pelos dois cilindros, pelos mesmos motivos. Fiz uma viagem de cerca de 6.000 km com uma Transalp e acrescento que, apesar de ter um projeto antigo, ela é uma moto muito confiável. Dê uma olhada nestes dois artigos escritos pelo Pirex, que podem te ajudar na escolha da sua moto: [url]http://www.viagemdemoto.com/index.php?option=com_content&view=article&id=1319:qual-e-a-melhor-forma-de-comprar-uma-moto&catid=127:dicas&Itemid=176[/url] [url]http://www.viagemdemoto.com/index.php?option=com_content&view=article&id=1343:chegou-a-nova-companheira-de-estradas-bmw-f-800-gs&catid=127:dicas&Itemid=176[/url] Abraços

  1. Robson

Olá Romulo, boa tarde. Primeiramente gostaria de agradecer pelas informações que vc vem disponibilizando, que são de muita importancia, principalmente para os novatos... como eu. Possuo uma XRE 300 para uso na cidade, gosto muito da moto pela altura, conforto, economia, etc., e vou ficar com ela para este uso. Agora quero partir para uma moto de 600, 700 cc, ai vem a dúvida, tenho lido muitos comentarios. Mais me agradou muito as de dois cilindros, por se tratar de uma moto mais confortável, sem tanta vibração, como a XT 660, a GS 650, a XT teneré. Na sua opnião qual seria a mais adequada?. Pois a V strom DL 650, ja é um pouco ultrapassada, gostaria que a nova V strom ja estivesse no mercado nacional, com abs e outras melhorias estéticas... A Versys Toure me agrada muito, pois ja vem completa, com proteor para as mão, abs, as boulets, parabrisa maior com defletor, apesar de muitos criticarem por não considerar uma moto big trail, dizem que é apenas uma ER-6N mais alta. A Transalp, criticam pelo peso e foral (de combi) mais tem a garantia de milhares de consecionárias para apoio, acredito que é bem confortável, um cambio de 5 marchas... Obs. as viagens que pretendo faser serão sempre com a companheira é claro, por isso estou preocupado com o conforto do garupa. Um grande abraço, robson

  1. Rômulo Provetti

Oi Alberto, Cara, até hoje eu não encontrei uma luva que me atendesse 100 %. Uma luva que seja impermeável e térmica é muito grossa e você perde muita sensibilidade. Eu uso uma da Harley-Davidson que tem duas funções de temperatura (uma mais quente e outra um pouco menos). Mas mesmo assim ela não esquenta o suficiente. Além dessa luva eu levo uma luva de 2a. pele, para quando apertar. Em fevereiro em peguei em torno de 7º negativos e para esquentar teve hora que eu coloquei a mão em cima do cilindro do motor (!!!).

  1. Alberto

Olá Rômulo, estarei indo p/o Chile (São Pedro de Atacama) com um grupo de amigos em outubro,e gostaria de saber se vc tem alguma dica de luvas impermeáveis com forro térmico para baixas temperaturas. Estou entre a Joe Rocket Ballistic e a Riffel Explorer.Tem bom custo/bebefício? A Alpinestars 365 e a Overland parecem ótimas mas tem preço muito alto.Tem outra marca/modelo a sugerir? Obrigado

  1. Rômulo Provetti

Olá genil A moto aguenta, a pergunta é se você aguenta ficar sobre ela por horas seguidas. Apesar de sabermos de casos de pessoas que utilizaram a Hornet em viagens, inclusive longas, não é uma moto que privilegia o conforto em pilotar por muito tempo como uma big trail ou uma custom. Grande abraço

  1. gfsdgsfdg

valeu, são dicas simples e muito util

  1. GENIL

SUAS DICAS FORAM DE ESTREMA IMPORTANCIA. ME CHAMO GENIL,MEU SONHO E FAZER UMA VIAGEN DE MOTO,POR DIAS NA ESTRADA CONHECENDO LUGARES E PESSOAS NOVAS. HOJE TENHO 31 ANOS E ME PREPARO PARA COMPRA UMA CBF 600 / SERÁ QUE ESTA MOTO AGUENTA O TRANCO? ESTA PRIMEIRA VIAGEN DEVE SER PARA CONHECER O CEARÁ, POIS SOU DE FORTALEZA E O MAIS LONGE QUE CHEGUEI FOI A CIDADE DE CAMOCIM.(480 KM )

  1. Rômulo Provetti

Olá Nelson, Você pretende chegar na Venezuela passando pelo Pará/Amazonas ou pelo Acre / Panamericana? Se for por esta última opção eu estive no Peru / Bolívia há poucos dias e é muito tranquila migração. Só o oficial da aduana do Peru que pediu uma "contribuição" para ele tomar uma cerveja e lhe dei o equivalente a 5 Reais para não ter problemas. O processo de migração costuma ser muito tranquilo em todas as divisas da América do Sul, costumando demorar um pouco se der azar de chegar depois de um ônibus de turismo, por exemplo. Nunca tive problemas de animosidade. Grande abraço

  1. Nelson

Olá, se possível for, gostaria de receber informações sobre observações de segurança e precauções que se deve ter, na trajetória para Venezuela com saída do Rio de Janeiro. A minha dúvida, é quanto a passagem pelas regiões de fronteiras, e se a relação é amistosa. Muito obrigado e parabéns

  1. Rômulo Provetti

Olá Osvaldo, É Difícil de dizer quanto gastaria porque vai depender muito do modelo de moto, do roteiro, da estrada que vai pegar, do estilo do piloto. Eu já rodei numa 750 numa viagem de 5500 km e a média foi de 19 km/l mas foi por excelentes estradas e eu não sou de enrolar o cabo. Grande abraço

  1. OSVALDO GUIMARAES

eu gostaria de saber um 750c gastaria de acre a belém de gasolina

  1. Halina e elomar Bakonyi

Adoramos as dicas que encontramos no seu site!! Somos um casal apaixonados por motos e amamos viajar com a nossa 750, parabéns pelo site. Halina e Elomar Bakonyi.

  1. Rômulo Provetti

Olá, James. Normalmente, nas cidades onde está havendo uma etapa do Dakar, fica mais difícil conseguir hospedagem. Eu tive problemas em Valparaíso e Copiapó em 2009. Tente fazer a reserva com alguns dias de antecedência utilizando um site de hospedagens, como o [url]www.booking.com[/url]. A barraca é uma alternativa, mas lembre-se que terá que levá-la durante toda a viagem (e lembre-se dos sacos de dormir também...) e quanto menos itens levar, melhor.

  1. James

Oi Romulo, Tudo bem! Valeu com as dicas vai ser muito útil em nossa viagem, vou sair de BH com minha esposa no dia 26/12/11 e vamos ate o Chile passando pelo Uruguai, Argentina pretendemos ver a largada do Paris Dacar em Mar Del Plata. E a nossa primeira viagem de moto para fora do pais, pela sua experiencia você acha aconselhável levar uma barraca ou conseguimos achar hotéis facilmente, nosso receio e a época do ano ou algum imprevisto e dai perdemos as reservas. Estamos indo em uma Vstron com baus laterais e traseiro. Obrigado pelo apoio, James Guidi

  1. alberto silva

adorei suas dicas. um abraço e boas curvas

  1. Roberto

Gostei muito das dicas. Assim vale muito a pena !! Nada como a experiência.... Abraço.

  1. Rômulo Provetti

Boa lembrança, Rodrigo. Vou alterar o texto. Obrigado pela dica. Abraços

  1. Rômulo Provetti

Elson. O uso de barraca é também uma alternativa não só pelo custo, mas também como uma opção de viagem. Grande abraço e obrigado por participar

  1. Elson Antonio Gehlen

Sou moto turista e tenho feito algumas viagens de moto pelo Brasil e também por mais quatro países da América do Sul. VOU DAR MINHA SUGESTÃO: eu gosto de ficar em barraca, então incluiria, a barraca, saco de dormir, um cobertor fino, lona pra forro de barraca; como faço algumas refeições, levo um Fogareiro(espitieira) a alcool, 500ml de alcool(da para 10 refeições), fósforo ou binga, Frigideira pequena ou panelinha, garfo e faca, copo para beber água, garrafa térmica de um litro (de alumínio), eu faço um proparo com, guaraná em pó, chocolate em pó, leite em pó. Mas fico muito agradecido pela dica. Se quiser dê uma olhada no meu Blog.: elson-mototurista.esporteblog.com.br atualizo a cada dois ou tres dias. Abraços e fica com DEUS.

  1. Rodrigo

Rômulo, parabéns pelas dicas! Uma observação, sobre a silver tape, lembre o pessoal que não é necessário o rolo todo, hoje podemos comprar unidades menores ou usar o velho truque dos skatistas, enrolar uma quantidade menor em um palito de sorvete! Abraços!

  1. Eduardo e Lilian

Cara muito legal as matérias do seu site. Cada dia melhor. Parabéns

  1. Serigy Moto Clube

Olá, somos do moto clube Serigy de Aracaju/SE. Seu site é bom demais, parabéns. Nos tornamos seguidores agora e quando puder nos visite. [url]http://serigymotoclube.blogspot.com[/url]

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização

CADASTRE-SE PARA RECEBER AS VIAGENS PUBLICADAS

Você poderá sair da lista de e-mail a qualquer tempo.