Entrar

Museu da Moto de Tiradentes

Museu da Moto Tiradentes

Fundada em 1702, a pequena cidade histórica mineira de Tiradentes possui um dos conjuntos arquitetônicos mais bonitos e conservados do Brasil. Localizada aos pés da Serra de São José, foi o lugar onde nasceu Joaquim José da Silva Xavier, mártir e líder da inconfidência mineira, cujo apelido deu nome ao município.

Ao caminhar pelas ruas de pedra, você encontra sobrados e casarões do século 18, igrejas barrocas, museus, lojas de artesanato, ateliês de artistas e várias opções gastronômicas e de lazer. Um dos passeios mais procurados pelos turistas que visitam a cidade é percorrer os 12 quilômetros que separam Tiradentes de São João Del Rei em uma maria fumaça.

Em junho, a cidade, que é pacata boa parte do ano, se transforma para receber um dos mais importantes e tradicionais encontros de motociclistas do Brasil, o Bike Fest Tiradentes. Esse evento, que começou como um encontro de alguns poucos proprietários de motocicletas da marca Harley-Davidson, transformou-se em um evento multi marcas, ocorre anualmente desde 1992 e leva à cidade milhares de motociclistas de todo o país e do exterior.

Mas Tiradentes não é destino de motociclistas somente durante o famoso encontro. É comum encontrar nas estradas que levam à cidade, grupos de motociclistas que vão para um rápido bate e volta ou para passar um fim de semana e aproveitar as muitas atrações turísticas que a região oferece.

Em razão da afinidade entre os motociclistas e a cidade, nenhum lugar do país poderia ser mais adequado para abrigar um museu dedicado às motocicletas do que Tiradentes. Funcionando com regularidade há cerca de um ano, o Museu da Moto de Tiradentes é a realização de um sonho do colecionador mineiro Rômulo Filgueiras.

Museu da moto Tiradentes

O Museu da Moto está instalado em um casarão construído na década de 1960, localizado cerca de 300 metros da Estação Ferroviária, na Av. Gov. Israel Pinheiro, 35, Tiradentes (MG). Tem no acervo 83 motocicletas expostas em uma área de 360 m2, junto com motores, miniaturas, peças, placas, utensílios, fotografias e curiosidades. Rômulo possui ainda outras 12 motocicletas em processo de restauração, que serão incorporadas futuramente à exposição. Quem visita o Museu é recebido pelo próprio Rômulo e sua esposa Andressa, que mostram a história da moto desde a invenção da bicicleta, através de réplicas em tamanho natural do Celerifero (França - 1790) e da Draisiana (Alemanha - 1817 - completou 200 anos no último dia 12) até chegar ao que hoje conhecemos como motocicleta.

Museu da moto Tiradentes

O acervo é composto por algumas raridades nacionais e de outros países, como uma motocicleta fabricada em 1909 na Bélgica pela Fábrica Nacional de Armas de Guerra (FN), com sidecar de vime, motor monocilíndrico com menos de 1,5 HP de potência, farol a carbureto e uma avançada transmissão por eixo cardã.

Tem ainda exemplares fabricados na Hungria, Belarus, Rússia, Inglaterra e na extinta Tchecoslováquia, por marcas que deixaram de existir, e outras que continuam famosas, como modelos das décadas de 1940 e 1950 fabricados pela BMW, Harley-Davidson, Indian, Norton e Royal Enfield. Os saudosistas encontrarão modelos de Vespas, Suzukis, Hondas e Yamahas que marcaram gerações de apaixonados pelas duas rodas no Brasil e no mundo entre as décadas de 1960 e 1980.

Museu da moto Tiradentes

Além das motos e bicicletas de uso normal, alguns veículos curiosos fazem parte do acervo, como a norte-americana Rokon Ranger, com pneus largos que lembram os de um trator e tração nas duas rodas, que era usada principalmente em serviços agrícolas, e um raro scooter Salsbury, fabricado na Califórnia, Estados Unidos, na década de 1940, com formas arredondadas e design futurista.

Segundo Rômulo Filgueiras, sua coleção inclui motos restauradas pelo seu pai e outras antigas que algumas pessoas que sabiam da sua paixão lhe ofereciam e ele foi comprando e restaurando ao longo das últimas décadas. A maioria das motocicletas mais raras são fruto de um árduo trabalho de garimpagem em vários lugares do país.

O empresário e motociclista pretende no futuro ampliar as instalações do museu com mais espaço para motos, além de construir um bistrô, sala de restauração, biblioteca e loja de souvenirs.

A entrada custa R$ 10 (crianças não pagam) e parte da renda é destinada ao Asilo de Tiradentes. Para conferir as datas de funcionamento, acesse a página do Museu no Facebook.

Comentários (0)

Seja o primeiro a comentar este artigo.

Deixar seu comentário

Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização