Entrar

Meu querido diário... de motocicleta

Uma inspiração instantânea provocada pela leitura de um excelente artigo publicado aqui mesmo no ViagemdeMoto.com acabou me levando ao sótão dos meus pensamentos, de onde busquei avidamente um velho álbum do meu pai, nos seus bons tempos de motociclista. O artigo do inglês Paul Gander, que mexeu com o imaginário de milhões de jovens, também lançou uma centelha avivadora em outros que tiveram como eu a oportunidade de testemunhar, mesmo ainda moleque, uma época de ouro para os amantes do motociclismo. Uma época em que algumas dezenas de marcas internacionais, das mais variadas procedências, circulavam no país livres de taxas de importação, animadas pelo desenvolvimento industrial, desde o pós-guerra de 1945.

Meus pais onde tudo começou literalmente
Meus pais, onde tudo começou, literalmente

A moto aliada à necessidade popular de um meio de transporte econômico e resistente às insipientes estradas daquela época parecia ser a solução para uma nova era que despontava na busca de liberdade e aventura, impraticáveis durante o longo período da guerra.

Meu pai esq. e amigos em Jundiaí SP
Meu pai à esquerda e amigos em Jundiaí, SP

O grupo liderado pela Indian 1200cc. No centro a NSU 500cc e meu pai com a Saroléa 350cc
O grupo liderado pela Indian 1200cc . No centro a NSU 500cc e meu pai com a Saroléa 350cc

As pequenas viagens do meu pai e seus amigos, pelo que lembro e também pelas fotos que pude rever, não passavam da nossa região, geralmente incluíam Itapetininga, Angatuba (sua terra natal), Jundiaí, Campinas, Itapeva e outras poucas localidades.

Desfile cívico em Sorocaba SP
Desfile cívico em Sorocaba, SP

DKW 250cc 2 T Detalhe avanço manual lado direito do tanque
DKW 250cc 2 T. Detalhe do avanço manual do lado direito do tanque

Jawa 350cc ano 1956
Jawa 350cc ano 1956

Minha mãe meu irmão hoje professor de mec motos
Minha mãe e meu irmão, hoje professor de mecânica de motos

Minha mãe treinando numa Indian
Minha mãe treinando numa Indian

Última foto do meu pai com a Jawa 1960 estilizada com meu filho no colo e ao lado meu irmão Gerson
Última foto do meu pai com a Jawa 1960 estilizada, com meu filho no colo e ao lado meu irmão Gerson

Embora os passeios que fiz com meu pai fossem poucos e nunca ultrapassarem os limites de Sorocaba, (ele era reticente à ideia de levar uma criança na garupa) por outro lado meu tio Benito tinha prazer em me levar em sua Csepel quase todos os domingos e sempre escondido do meu pai... Era uma moto de procedência húngara fabricada em 1947, portanto ainda de "rabo-duro", o que poderia de certa forma explicar minha "resistência gluteal" para as longas viagens. A poderosa do tio Benito tinha uns 10 anos de uso e mesmo funcionando parada, aquela monocilíndrica de 250cc tinha uma batidona gostosa que ecoava no peito, em compasso com meu coração acelerado pelas primeiras emoções motociclísticas. Daí nem precisa ser nenhum Freud para explicar minha paixão pelas motos.

Nota: para situá-lo no tempo e espaço, meu pai faleceu em 1987 e minha mãe em abril deste ano, aos 84 anos.

Comentários (61)

  1. jussara

Amei. Muito bom.

  1. Bruno Scalla

Cara, que linda história.....sei como ficam marcadas essas doces e gostosas lembranças da infância....grande paizão!!<br /><br />Hoje estou restaurando um BSA bantam que meu pai colecionou boas histórias também...enfim, me identifiquei e achei muito legal seu relato.<br /><br />Um abraço e parabéns!

  1. adilson karafa    Bruno Scalla

Obrigado pelo comentário Bruno, fico feliz quando essa matéria encontra eco e traz boas lembranças a outras pessoas como vc.<br />Um grande abraço <br />Adilson

  1. Enderson Couto Miranda

Não apenas admirei as fotos e o contexto em que foram tiradas como me emocionei com o estilo de vida dos seus pais naqueles idos. Não tenho a menor dúvida que viveram muito felizes e voce e seus irmãos tiveram sorte de terem pais como eles. Sem dúvia uma história emocionante que mostra como uma motoclicleta ou a paixào por ela pode mudar nossa vida. Parabéns e obrigado por compartilhar.

  1. Adilson Ferreira Machado    Enderson Couto Miranda

Muito obrigado Enderson, é um prazer sempre renovado quando cruzamos com pessoas que comungam da mesma paixão motociclistica, só pelo seu comentário acredito que vc seria um grande companheiro de viagens, com muitas histórias para compartilhar.Um grande abraço!

  1. André Augusto Ramon

Caro Adilson,<br /><br />Em primeiro lugar, quero te agradecer muito por dividir conosco parte da história da sua família, da sua história, e nos presentear com fotos tão preciosas.<br /><br />Em segundo lugar, quero te dizer que foi muito bom ter lido sua matéria. Eu pude perceber algo que todos sabemos, mas as vezes deixamos, com a desculpa da "correria do dia a dia", meio "de lado": Como é bom ter nossos "velhos" por perto!!!<br /><br />Confesso que peguei um albúm de fotografias velho, que estava a um tempo perdido, e revivi alguns momentos em família quando eu ainda era criança... Companheiro... vim às lágrimas.... Peguei o tel e liguei pros velhos... Disse pra eles o quanto eu os amo e como me orgulho deles... Mais uma vez, muito obrigado.<br /><br />Que Deus te mantenha feliz e realizado sempre meu amigo. Tudo de bom e muitos km´s de alegrias e estradas pra você e toda sua família.

  1. Adilson Ferreira Machado    André Augusto Ramon

Caro Andre<br />Jamais imaginava a dimensão que esta pequena matéria conseguiria alcançar, principalmente naquilo que o ser humano tem de mais precioso, os laços de familia... Creia que a sua emoção foi transferida para mim imediatamente ao ler esse comentário tão sincero e verdadeiro. Eu é quem agradeço suas palavras meu amigo e desejo tudo de bom prá vc e sua família. Até qualquer dia...

  1. FÁBIO CALUZO

FANTÁSTICO! FIQUEI EMOCIONADO E FICO PENSANDO NA PAIXÃO PURA QUE SEU PAI E AMIGOS TINHAM NUMA ÉPOCA DE PIONERISMO. CONTAGIANTE. HISTÓRIA. PARABÉNS!

  1. Adilson Ferreira Machado    FÁBIO CALUZO

Valeu Fabio pela visita e comentário, é sempre uma satisfação contatar pessoas que compartilham da mesma paixão motociclistica. Um grande abraço<br />Adilson

  1. Renata Silva

Parabéns pelo site, obrigada por partilhar essas fotos, trabalho na área de acessórios para motos e sempre que posso vou visitar o seu site para ver se encontro alguma novidade, abs

  1. Adilson Ferreira Machado    Renata Silva

Obrigado Renata, pelo gentil comentário, é sempre uma alegria receber visitas, mesmo que virtuais, de pessoas que compartilham do prazer motociclistico. Volte sempre, se vc gosta de viagens veja minha matéria entitulada "Expedição Atacama-2010" (são 13 capítulos de uma viagem que marcou muito minha vida de motociclista...)<br />Abs

  1. Rogerio

Caro Adilson,<br />Lendo sua matéria lembrei muito do meu falecido Pai, que não era motociclista, mas um renomado médico. Até pensei em dizer o quanto afortunado é Vc por ter tido um pai motoclclista..um sonho de qualquer jovem...mas refleti e jamais poderia culpar meu pai por não ter sido um motocilcista, pois a paixão dele era a medicina...mas.. quando comprei minha primeira moto lá pelos idos de 80, ele estava junto comigo e até levei-o para umas voltas na quadra de casa...mas minha mãe..essa minha aventureira, uma certa vez desceu comigo a serra do mar pela 277, agarrada a mim como um carrapato...sensação que não esqueço até hoje...então, se não tive um pai motocilcista, hj tenho genro, irmão e futuro neto motociclista. Gostaria muito de ser lembrado por eles como Vc nos permitiu lembrar de seu pai motocilcista com Vc...história de vida sensacional...e linda....parabéns..e se tiver mais fotos...compartilha;;;

  1. Adilson Ferreira Machado    Rogerio

Caro Rogério, é incrível como a combinação de moto e família aflora nossos sentimentos, seu relato me emocionou sobremaneira, aliás como vc mesmo pode comprovar pelos comentários gerados pela matéria, esse parece ser um sentimento comum a nós motociclistas. Eu é quem parabenizo suas lindas palavras. Um grande abraço meu novo amigo!<br />(Se te interessar assino uma matéria neste site, entitulada Expedição Atacama- 2010, em que relato em vários capítulos uma viagem com meu irmão e um dos filhos, além de mais 2 amigos, dê uma olhada quando puder... )

  1. merola

Gostei de mais, eu ficava sobre o tanque da velha puch 250 do meo Tio que viajava bastante nessa época com seus amigos. Infelizmente temos pouquíssimas fotos encontradas.<br />Parabéns.

  1. Adilson Ferreira Machado    merola

Obrigado pela visita e comentário Merola, tenho certeza que esses momentos nunca se apagarão da nossa memória, é a mágica do motociclismo!<br />Grande abraço

Seja o primeiro a comentar este artigo.
Carregar Mais

Deixar seu comentário

Postando comentários como visitante. Cadastrar ou login na sua conta.
0 Characters
Anexos (0 / 3)
Compartilhar sua localização