normal Perguntas Brasil-Bolivia-Peru-Chile-Argentina-Uruguay 20,000km-64dias. Janeiro-março 2019

Mais
08 Abr 2019 14:51 #5047 por Romulo Provetti
Ótimo relato.

Quando fui à Bolívia há 6 anos essa determinação de cobrança maior não tinha muito tempo e era difícil encontrar outro local que vendesse o combustível no paralelo, então tive muitas dificuldades para abastecer no interior do país. Este ano devo retornar e espero encontrar maior facilidade.

Quando percorri a Ruta 40 a extensão de rípio era maior, cerca de 300 km. Sorte que não enfrentei ventos fortes nos trechos ruins.

Creio que as estradas argentinas estão mais parecidas com as brasileiras agora. Muitos trechos excelentes e muitos outros precisando de manutenção, exigindo cuidado sempre.

Muito obrigado pelas informações.

Esta imagem não é visível para visitantes.
Por favor, faça o login ou cadastre-se para vê-la.


Rômulo Provetti
viagemdemoto.com
romuloprovetti.com

Por favor, Entrar ou Registrar para participar da conversa.

Mais
08 Abr 2019 14:29 #5046 por Bernard-Charles
1- Gasolina na Bolivia. Tem que saber que por lei os postos devem vender a gasolina quase o dobro para os veículos com placa estrangeira. O preço final, fica cerca de 8 bolivianos por litro ou 4,48R$. Eles devem emitir uma nota fiscal especial para cada venta. Alguns empregados no sabem do tema e se recusam a servir. Me passou isso num posto e tive que mandar chamar o gerente para resolver a situação. Tem que saber que se pode contornar esse problema se tiver uma bombona na mão. Quando reabasteci no primeiro posto após a fronteira de Corumbá, um jovem boliviano me ajudou com um recipiente de 10 litros que enchemos ao preço "boliviano" para pôr em seguida no meu tanque. Se pode fazer sem problema já que o empregado do posto não enche o tanque estrangeiro diretamente. Como minha moto tem uma autonomia de quase 400 km por tanque de 20 l não tinha necessidade de trazer uma bombona na minha bagagem. Podia ter comprado uma na Bolivia mas visto o pouco tempo que ficava nesse pais não achei útil.
Também tem que saber que se pode abastecer fora dos postos oficiais nas cidades medias. Geralmente, se sabe com sinais na beira da estrada ante de chegar nesses sítios. Pode ser uma placa azul com o desenho de bomba de gasolina a 1km por exemplo. Como não são postos normais tem que parar no povoado e perguntar aonde está o posto de venta. Ai se vende a gasolina desde um barril a um preço intermediário entre o normal e o estrangeiro, cerca de 6 bolivianos o litro. Enchei o meu tanque assim em Chochís, numa loja perto da praça central e num povoado ante de chegar a Santa Cruz de la Sierra.

2- Estradas na Argentina. A rede de estradas é geralmente boa, não tive problemas de passagens muito ruins bem que em algumas partes tem que ter cuidado. Essas partes mas problemáticas como asfalto ruim com trincas, relevos o buracos são bem sinalizadas com placas na beira da estrada algumas centenas de metros antes. Só tive um problema na 40 com o único tramo de 73 km ripio que subsiste antes de chegar a Tres Lagos vindo do norte. E verdade que par o meu batismo de vento da Patagônia tinha passado por momentos épicos nesse dia entre Gobernador Costa e Gobernador Gregores, com passagens extremos cerca do povoado de Perito Moreno. Eu não sabia ainda da dica que para saber das previsões dos ventos se podia consultar o site www.windguru.cz , então não pude saber a que velocidades de vento me tinha enfrentado nessa jornada. Como nunca depois encontrei ventos tão fortes inclusivo na 3 entre Ushuaia e Rio Gallegos a pesar dos anúncios de windguru com ventos de 30 nós (55 km/h) e rajadas de 45 nós (83 km/h) quando passei por ai, deduzi a posteriori que havia sofrido algumas rajadas muito cerca dos 100 km/h naquele dia.
Em um posto de gasolina de Tamel Aike me encontrei esse mesmo dia com 2 motoqueiros brasileiros com bigtrails que haviam decidido evitar ripio para chegar a Tres Lagos fazendo um contorno por Rio Gallegos. Muitos motoqueiros já haviam falado nesse dia do perigo do vento e do fatal que ficou o tramo de ripio para Tres Lagos. Fiquei na duvida se devia me arriscar o não por esses 73 km de ripio que os argentinos chamam de "tramo maldito".
Parei em Gobernador Gregores para a noite e ai o dono da casa onde fiquei me avisou que com o vento que fazia e com minha moto custom era uma loucura tentar passar por ai. Me contou que o mês anterior havia acolhido um casal de alemães cuja mulher se havia roto uma perna numa caída e que teve que ficar 30 dias parada na casa. Perguntei se podia passar pelo ripio da 288 mais ao sul mas também me desaconselhou isso porque havia chovido muito e com a passagem frequente dos caminhões por ai o caminho ficava fatal para motos como a minha. Foi assim que resolvi fazer o desvio por Rio Gallegos para chegar a El Calafate.
Tem um outro pedaço ruim sem asfalto de 14 km na 257 entre os postos fronteira de Chile e Argentina em San Sebastián. Quando passei a primeira vez indo para Rio Grande vindo de Punta Arenas, no dia 26 de fevereiro, estava seco e podia andar perto dos 80km/h sem problema. Quando voltei de Ushuaia indo para Rio Gallegos no dia 1 de março, havia chovido muito e o mesmo pedaço estava cheio de buracos e foi então muito sofrido para mim e a moto.

Por favor, Entrar ou Registrar para participar da conversa.

Mais
01 Abr 2019 19:20 #5037 por Romulo Provetti
Prezado Bernard-Charles, parabéns pelo sucesso da viagem.
Você teve problemas para abastecer a moto com gasolina na Bolívia? Se teve, como resolveu?
E as estradas na Argentina? Li que a crise econômica naquele país está provocando uma degradação na infraestrutura, principalmente nas estradas.
Abraços

Esta imagem não é visível para visitantes.
Por favor, faça o login ou cadastre-se para vê-la.


Rômulo Provetti
viagemdemoto.com
romuloprovetti.com

Por favor, Entrar ou Registrar para participar da conversa.

Mais
01 Abr 2019 17:36 #5036 por Bernard-Charles
Eu já terminei a minha viagem. Sai o 10 de Janeiro e voltei no dia 18 de março. Eu fiz bastante alterações na planilha inicial mas no final deu quase 22 000 km. Foi bem legal, não me passou nada com a policia ou outros perigos com gente amigos do alheio como se fala para a Bolivia.
Me encontrei com vários motoqueiros do Brasil sobretudo no sul da Argentina no ferry para Ushuaia ida e volta. Os últimos foram um grupo de Chapeco (SC) que encontrei no porto de Punta del Este.

Por favor, Entrar ou Registrar para participar da conversa.

Mais
07 Fev 2019 14:16 #4998 por ivan.castilho
Caso queira companhia para viagem posso passar meu roteiro e fazemos uma adaptações. Vou numa custom também Yamaha Midnight 950.

Pode me adicionar no Whatsapp fica mais fácil o contato +55 15 997403036

Abraço!

Por favor, Entrar ou Registrar para participar da conversa.

Mais
31 Dez 2018 20:34 - 31 Dez 2018 21:03 #4956 por Bernard-Charles
Sou francês, engenheiro aposentado e instalado no Brasil desde 2015. Comprei a minha moto em previsão de largos recorridos pela América do Sul. Tive ela com 11.000 km e penso revende-la depois dessa viagem para comprar uma com menos quilometragem. Verei depois dessa viagem se fico com uma Custom ou passo para uma Big Trail.

O bicho da aventura: Kawasaki Vulcan 900 Classic LT.
Equipamento extra: 2 maletas laterais de alumínio de 42 litros cada com bolsa internas removíveis mais um baú de 36 l feito e montado com suportes adaptados na Idea-Pro de Curitiba.

Essa será a minha primeira viagem larga de moto bem que eu já tenha bastante experiência com extensos recorridos em solitário de carro no exterior. No inicio, ante de planejar qualquer itinerário, confesso que eu tinha uma certa apreensão pelo muito desconhecido que tinha pela frente. No entanto, depois de ler vários relatos de viagens e ver muitos videos na rede, comecei a acumular informações praticas e a me familiarizar com essa aventura. Assim, a medida que eu fazia o meu planejamento, uma coisa que nunca fiz ate agora porque gostei sempre improvisar a medida que ia avançando, eu fiquei tomando confiança vendo as etapas, as estradas tomadas e os lugares que podia visitar. O desconhecido se ia esfumando pouco a pouco e o receio inicial diminuindo proporcionalmente.
Como receio residual fica o forte vento lateral que eu vou pegar na ida e volta para Ushuaia. Nunca passei por isso ainda e vou ter que descobrir na marra.

Para ter uma ideia do orçamento, fiz a planilha só com a previsão de custo da gasolina conforme os preços/L nos países atravessados. Seria perto de 1000€ para o item combustível. Para o custo do alojamento, posso estimar uma media alta de 25-30€ após algumas simulações nos sites booking.com e airbnb. Nesse item, só ponho como imperativo o wifi e estacionamento privado, o resto uma cama e um chuveiro de agua quente. Seria um tope máximo perto de 1600-1700€.
A prever também mais 1500€-1800€ para a comida e outras coisitas como cartões SIM locais, revisões da moto a cada 6000 km, visitas de sítios, passeios de barco, etc. Faz tempo que só como uma refeição por dia e como pouco. Me reservo alguns almoços extras conforme a região como caranguejos "centolhas" no sul do Chile mais outras especialidades locais com vinho idôneo para acompanhar.
Incluir 2 pneus novos a comprar na Argentina aonde chegam os 12 000 km de recorrido. Eu já troquei os 2 aos 12000 km o mês passado, o traseiro precisava o dianteiro nem tanto que eu guardei de reserva na garagem. O bom seria trocar no Chile pelo preço menor ai mas eu tenho que me informar melhor dos preços na Argentina para me decidir quando chegar em Puerto Montt. Estimação: perto de 290€ dos 2 Pirelli que eu paguei no Brasil.
Total estimado com margem: 5000€. Por isso mais margem para emergência prevejo um caixa de 6000€ disponível na minha conta bancaria europeia já que pagarei quase tudo com cartão de lá. Penso que não chegarei a gastar tudo isso mas melhor estar precavido. Levo também 1500 $ no bolso porque é melhor comprar moeda local no cambio em vez de retirar liquido nos ATMs.
Intentarei manter um carnê de despesas para poder relatar com mais precisão esse apartado "finanças" quando voltar pra casa.

Por enquanto, o mas chato da aventura é que eu tive que refazer as vacinas do sarampo e febre amarela que são obrigatórios para entrar na Bolívia. Eu já fiz os 2 na França no tempo do meu serviço militar como cooperante no Congo mas o meu carnê ficou longe. Tenho agendado dia 2 para fazer o meu CIVP no posto ANVISA do aeroporto Afonso Pena. Servirá também para alguns países da Ásia. Estarei então pronto para sair a partir do 7 de janeiro.
Ate lá estarei agradecido pelos conselhos e dicas vindos do pessoal que já faz esse percurso o algumas partes dele.
Seguro que tem alguns lugares espetaculares que não inclui e que poderiam ser visitados ainda que desviando um pouco do itinerário planejado. Guardo algo debaixo do pé para improvisar já que, como sou aposentado, não tenho data para chegar.

Junto a foto da moto e a planilha provisória. Tenho também o mapa do percurso mas como pesa 10,5MB parece que não passa no sistema.


Esta mensagem tem imagens anexas. Por favor, faça login ou registre-se para vê-las.

Ultima edição: 31 Dez 2018 21:03 por Bernard-Charles. Razão: correção de faltas

Por favor, Entrar ou Registrar para participar da conversa.

Powered by Fórum Kunena