Expedição Altiplanos Andinos

Um grupo com 8 motociclistas e 7 garupas fez uma viagem de moto pelo Peru e Bolívia para conhecer Machu Picchu e o Salar de Uyuni, dois dos destinos mais procurados por motociclistas, mochileiros e aventureiros na América do Sul, utilizando os serviços de uma agência de turismo que preparou toda a viagem, inclusive com carro de apoio. Acompanhe o detalhado relato dessa incrível viagem.

Expedição Altiplanos Andinos

"O êxito da vida não se mede pelo caminho que você conquistou, mas sim pelas dificuldades que superou no caminho".
Abraham Lincoln

Machu Picchu, a cidade perdida da civilização Inca, e considerada Patrimônio Mundial pela Unesco, faz parte do imaginário de muitos motociclistas. Assim, começamos a montar roteiro da viagem anual de nosso Moto Clube, Eu,Gata E Cão Fiel. Buscando relatos a respeito e descobrimos a Tagino Adventure, empresa turística de Porto Velho, Rondônia, que tem expertise em roteiros pelo norte da América do Sul.

1º dia - Rio Branco - Puerto maldonado

Chegamos a Rio Branco no dia 23 e, após deixarmos bagagens no Hotel, fomos à concessionária Honda buscar as motos e preparar para a viagem. Ao sair para retorno ao Hotel, pegamos uma tempestade tropical, com trânsito de final de tarde, todas as roupas ficaram totalmente encharcadas, e isto iria nos atrapalhar mais tarde.

2º dia - Puerto Maldonado - Ollantaytambo

No dia seguinte, sabíamos que teríamos uma das "pedreiras" a serem enfrentadas nessa viagem de moto pela América do Sul, subir a Cordilheira dos Andes. Por recomendação de viajantes experientes, compramos Sorojchi Pills, remédio a base de cafeína que serve para alívio do mal da altitude e tomamos logo no café da manhã.

3º dia - Machu Picchu

Ollantaytambo evidencia o plano urbano da antiga cidadela inca. Deve ser observada toda a complexidade da cultura desse povo andino, com construções que desafiam o terreno, erguidas com base em técnicas ainda desconhecidas, para o culto de religiões que até hoje ainda são seguidas por parte dos habitantes locais. A visita ao Vale Sagrado é uma imersão nesse passado ainda pouco estudado, isolado, e por isso conservado em muitas das suas características fundamentais, tanto físicas quanto culturais.

4º dia - Ollantaytambo - Cuzco

Chegamos em Ollantaytambo e pegamos as motos e seguimos viagem em direção a Cuzco. Seguimos por belos caminhos e passamos pela região onde fica Pisac e o Vale Sagrado dos Incas. O Vale Sagrados fica entre Cuzco e Machu Picchu, a 2.800 metros de altitude, no vale do Rio Urubamba. As terras férteis, a água abundante e o clima agradável fizeram com que os incas escolhessem essa região para estabelecer seus povoados e desenvolver a agricultura. Hoje, além das belas paisagens naturais, quem conhece o Vale Sagrado encontra também incríveis construções que retratam bem o que foi o império inca.

5º dia - Cuzco - Puno

No dia seguinte seguimos em direção a Puno, local onde fica o Lago Titicaca. Chegamos à tarde e um passeio às Islas de Uros nos aguardavam. Vários "riquixás" estavam nos aguardando e fizemos uma corrida pelas vielas de Puno até o porto, onde um grande barco nos aguardava para o passeio às ilhas.

6º dia - Puno - Oruro

Na manhã seguinte estávamos partindo para a Bolívia. A estrada era muito boa, com belo visual e logo chegamos a Desaguadero, fronteira do Peru com a Bolívia. Havia ali um movimento intenso nas aduanas e nos chamou a atenção a arquitetura Boliviana e suas construções. Na Bolívia, o material de acabamento das casas e prédios (areia, areola, argila) é muito caro e somente as casas mais abonadas utilizam em sua construção. Por toda parte (inclusive La Paz, sua capital), construções somente no tijolo, sem nenhum emboço, trazem um ar de favela por todo país.

7º dia - Oruro - Uyuni

Partida para Uyuni – Um desfile de cânions, rios, montanhas com cores diversas pelo imenso deserto e curvas, muitas curvas, nos levaram até Potosí en nossa viagem de moto. Capital do departamento de mesmo nome, não esqueceu seu passado colonial, responsável pelas toneladas de prata extraída de suas minas locais com moinhos hidráulicos. Sua bem preservada arquitetura da época lhe rendeu o título de Patrimônio Histórico da Humanidade pela Unesco, uma espécie de prêmio de consolação por séculos de exploração da miserável população.

8º dia - Salar de Uyuni

O Salar de Uyuni é o maior deserto de sal do mundo. Está localizado nos departamentos de Potosí e Oruro, sudoeste da Bolívia, altiplano andino, a 3.650m de altitude.

Há cerca de 40 mil anos a área do atual deserto de sal fazia parte do lago Michin que, quando secou, deixou como remanescentes os atuais lagos Poopó e Uru Uru, e dois grandes desertos salgados, Coipasa e o extenso Uyuni. O Salar de Uyuni tem aproximadamente 10582 km² de área, ou seja, é maior que o lago Titicaca, que apresenta aproximadamente 8300 km².

9º dia - Uyuni - San Pedro de Atacama

Novamente na estrada e no trecho que faria o maior estrago durante nossa viagem de moto pelo Altiplano Andino. Saímos após às 8hs da matina em direção a San Pedro de Atacama e, neste dia, tivemos grandes dificuldades. Tivemos que rodar por rípio por aproximadamente 400km, lembrando que, com exceção de Vítor, todos estávamos com garupas.

Conteúdo relacionado - América do Sul