Viagem de moto pela Europa

Depois de 13 dias navegando e 4 dias curtindo a linda Barcelona, cheguei a Paris na sexta-feira, 8 de maio, para pegar a moto e iniciar a viagem pela Europa no dia seguinte. Mas qual o que, o meu primo Didier, responsável por me apresentar ao pessoal da Yamaha, avisou-me que sexta, sábado e domingo eram feriados na França e eu não teria outra alternativa a não ser fazer turismo. Bem, fazer turismo em Paris nem é um sacrifício tão grande assim, pelas fotos dá para vocês terem uma ideia.

Na segunda-feira, dia 11, o momento tão aguardado: o encontro com a Brigitte. Lá estava ela, lindíssima, com tanque cheio e com os cromados faiscando, como que para me impressionar. Os batimentos cardíacos quase entrando na faixa vermelha do conta-giros.

O Didier, colocando um pouco de bom senso na história, recomendou-me levar um capacete antigo, dos tempos em que ele pilotava uma Yamaha pelas ruas de Boa Viagem (Recife).

Foi uma sorte, pois lá é apenas o Centro Administrativo e eu não poderia sair com a moto sem estar devidamente equipado. Meu espanto foi ver o Di com 2 capacetes. Perguntei o motivo e vi que ele deixou o bom senso de lado, falou que ia voltar comigo, pois o trânsito de Paris na hora do rush é complicado. Céus, não piloto uma moto há 2 meses, nunca pilotei a Brigitte, ainda mais na hora do rush em Paris e, ainda por cima, com um garupa. Apelei para o bom e fiel São Cypriano e a empreitada foi coroada d'exito.

Chegamos sãos e salvos. Amanhã parto para a estrada. A todos os que tiverem um tempinho, se puderem e quiserem, dediquem-me um pensamento positivo e não deixem de postar seus comentários e compartilhar minhas viagens com seus familiares e amigos. Vocês não imaginam como são importantes nessas minhas aventuras.

Beijo grande no coração de todos.