• Dicas
  • Publicado em:

Viagem de moto no frio

Fazer uma viagem de moto pela Europa, Estados Unidos, pelas regiões dos Andes ou da Patagônia é o sonho de qualquer motociclista. Mas viajar para regiões de clima temperado, principalmente no inverno, pode ser uma tarefa complicada para um motociclista brasileiro, acostumado ao clima tropical, e pior ainda, se estiver despreparado.

Se não tiver segurança quanto à sua resistência em relação ao frio, escolha períodos de clima mais ameno, como a primavera ou o princípio do outono, quando as temperaturas costumam ser mais agradáveis nestas regiões.

Mas se quiser mesmo fazer uma viagem num período mais frio, ou mesmo vai passar por regiões de maior altitude em qualquer época do ano, como se preparar para eventuais temperaturas baixas? Qual o equipamento necessário para viajar de moto e proteger-se das más condições meteorológicas da melhor maneira possível? Como estar preparado o suficiente para que a viagem não seja desconfortável ou mesmo desagradável?

É necessária muita atenção na escolha dos melhores equipamentos, além de saber agasalhar-se corretamente.

Dos acessórios mais importantes para viajar de moto em baixas temperaturas, vamos destacar alguns itens:

Roupa impermeável com forro térmico

A utilização de uma roupa impermeável impede que o corpo do motociclista fique molhado. O forro térmico protege contra o frio. E, finalmente, que tenha tecidos que permitam reter melhor o calor e ao mesmo tempo extrair o excesso de umidade da transpiração gerada pelo corpo. Isso aumenta a sensação de conforto e possibilita a condução da moto de forma mais segura. Por outro lado, permite que a pele “respire” e isso faz com que a temperatura do corpo se mantenha sempre num nível adequado. No Brasil temos muitos conjuntos de calça e jaqueta de cordura que suportam temperaturas abaixo de zero e tem estas características impermeáveis. O problema destas roupas é que se o roteiro inclui trechos com altas temperaturas, o motociclista vai "cozinhar" dentro delas nesta situação.

Os tecidos empregados na confecção de roupas de motociclistas evoluíram muito nos últimos anos. Alguns deles empregam alta tecnologia com microporos milhares de vezes menores que as gotas de água, porém centenas de vezes maiores que o vapor de água, que fazem com que a água exterior não possa entrar, sendo impermeável, e por outro lado que o suor interno evaporado possa sair, resultando em um material transpirável.

Balaclava

Acessório utilizado para proteger a cabeça do motociclista. É através da cabeça que 40% do calor corporal é perdido e isso demonstra toda a eficácia e importância deste artigo. Como será utilizado dentro do capacete, convém escolher uma balaclava com costuras planas para não deixar marcas na cabeça. A sua utilização pode significar, ao fim de alguns quilómetros, a diferença entre uma viagem confortável ou desagradável.

Luvas

As luvas são uma peça essencial para andar de moto com a máxima segurança, e em baixas temperaturas têm um papel preponderante. Elas são as responsáveis por proteger as mãos em caso de queda, mas também das más condições atmosféricas. É muito importante adquirir luvas quentes, impermeáveis e confortáveis de modo a enfrentar as condições climáticas mais adversas. Do mesmo modo, deve-se escolher as que melhor se adaptam ao formato e tamanho das mãos. Existem luvas com tripla função, térmica, impermeável e transpirável. Algumas permitem retirar o forro interno para suportar temperaturas mais elevadas.

Colete elétrico

Não muito comum no Brasil, mas fácil de ser encontrado em lojas de produtos para motociclistas no exterior, o colete elétrico é um acessórios bastante apreciados pelos motociclistas no hemisfério norte. Com ele, um condutor mantém-se quente e confortável durante as viagens. Ao comprar o colete elétrico, não se deve esquecer de adquirir o conector para a bateria da moto, caso contrário ele será apenas uma peça de roupa normal.

Bota

O calçado é um dos acessórios mais importantes para conseguir andar de moto em baixas temperaturas com a máxima comodidade. Nesse sentido, deve-se adquirir botas que sejam muito confortáveis e prestar atenção ao estado das costuras e das proteções. É importante que a sola seja de borracha para aderir a qualquer tipo de piso, a parte superior deve ser impermeável, para não deixar entrar água da chuva, e transpirável, para aumentar o conforto.

Sistema de camadas

Para todos os motociclistas que fazem uma utilização esporádica da sua moto em baixas temperaturas e não pretendem adquirir um kit de inverno completo, existem alternativas. Elas podem ser complementares, no caso da roupa ter um limite de resistência ao frio. Uma das maneiras mais eficazes de manter a temperatura do corpo é quando o motociclista utiliza o chamado “sistema de camadas”, que passa por vestir três “camadas” de roupa de diferentes materiais, em vez de uma única camada de roupa grossa.

  • A primeira “camada” é a que se encontra mais próxima do corpo e deve ser uma peça de roupa interior de seda ou de lã. Nunca utilize uma que seja de algodão, que não evapora a transpiração, deixando o corpo molhado. Fáceis de encontrar no Brasil, a 2ª pele é uma alternativa interessante, e é encontrada com vários níveis de resistência ao frio;
  • A segunda “camada” não deve ser demasiado justa ao corpo, deve ser larga para que haja circulação de ar entre a primeira e a segunda camada, o que é fundamental para secar a humidade que é expelida pelo corpo;
  • A terceira “camada” não serve tanto para manter o calor no seu interior, mas sim para proteger da água e do frio exteriores.

Deixar seu comentário

Postar comentário sem fazer login

0 / 2000 Restrição de Caracter
Seu texto deve conter 5-2000 caracteres
Seu comentário será enviado para moderação pelo administrador.
  • Nenhum comentário encontrado